NOSSAS REDES

BRASIL

Olavo chama parlamentares do PSL de palhaços por ida à China e nega ser guru do governo

Folha de São Paulo, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Escritor disse que políticos estão ‘entregando o Brasil à China’

Anaïs Fernandes
SÃO PAULO

O escritor Olavo de Carvalho criticou a ida de uma comitiva de parlamentares do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, à China para conhecer o sistema de reconhecimento facial do país e disse que, se fosse de fato guru do governo, isso não aconteceria.

“Instalar esse sistema nos aeroportos brasileiros é entregar ao governo chinês as informações sobre todo mundo que mora no Brasil”, afirmou Olavo em um vídeo postado no Twitter na noite desta quarta-feira (16).

O escritor, que é responsável pela indicação dos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), chamou os parlamentares de “caipiras” e “palhaços” e disse que eles estavam fazendo uma loucura ao entregar o Brasil ao poder chinês. 

“Vocês são idiotas, meu Deus do céu? Vocês têm ideia da extensão da tecnologia chinesa de controle comportamental? Vocês não estudaram nada disso e nem querem estudar. Estão achando lindo que foram convidados para ir para a China. É um bando de caipiras”, afirmou.

Segundo reportagem do portal UOL, uma comitiva de 12 membros do PSL embarcou para a China na terça-feira (15), a convite do governo chinês, que teria pago todas as despesas, para conhecer o sistema. 

A ideia é que os parlamentares apresentem no início do ano legislativo (fevereiro) um Projeto de Lei que obriga a implantação de tecnologia de reconhecimento facial em locais públicos para auxiliar as forças de segurança pública no combate ao crime e na captura de suspeitos ou foragidos.

“Esses deputados não sabem absolutamente… Eu digo, o problema do Brasil é a ignorância, é o analfabetismo funcional, é a presunção dos semianalfabetos, e está aqui os semianalfabetos”, continuou o escritor passando a ler uma lista de nomes, incluindo o da deputada federal eleita por São Paulo Carla Zambelli.

“Nunca vou te perdoar isso aí. Já te ajudei muito e já apoiei muito. Se você não sair desse negócio eu não falo mais com você”, afirmou.

O escritor cobrou ainda uma posição do governo: “Cadê o Executivo? O Executivo vai deixar esses caras irem para lá para entregar o Brasil ao poder chinês desta maneira?”, questionou. Horas depois, fixou uma postagem em sua conta no Twitter, marcando o presidente Jair Bolsonaro: “@jairbolsonaro é um grande, honesto e leal presidente, mas cercado de falsos amigos”.

Na manhã desta quinta, Bolsonaro afirmou também no Twitter que “para a infelicidade dos que torcem contra, medidas eficientes para segurança pública ainda serão tomadas e propostas.”

“Os problemas são profundos, principalmente pelo abandono dos governos anteriores”, acrescentou.

A China tem o maior e mais moderno sistema de vigilância do mundo, que usa o reconhecimento facial para identificar os cidadãos –e, desta maneira, prender criminosos e suspeitos. No país, existem 170 milhões de câmeras com essa capacidade e outras 400 milhões serão instaladas, de acordo com informações divulgadas pelo governo.

Os equipamentos conseguem reconhecer o rosto das pessoas e fazer imediatamente a associação com suas informações registradas. Permitem também identificar o gênero e a idade das pessoas e associar o rosto do cidadão a informações como seu carro, suas rotas mais frequentes, seus parentes, dados tributários, profissionais e outros.

Críticos do sistema na China acusam o governo do Partido Comunista de usar a tecnologia para conseguir amplo controle social sobre seus cidadãos. O governo diz que só usa o sistema contra criminosos e não dissidentes políticos.

Olavo cita no vídeo a empresa Huawei, que tem câmeras que realizam reconhecimento facial, mas não é a única —a Dahua Technology, por exemplo, é fornecedora do governo chinês.

“A firma que trata disso, a Huawei, é altamente suspeita, o representante dela já foi preso na Polônia, no Canadá e nos Estados Unidos por atividade de espionagem […] não vão nem investigar, não estão sabendo de nada, pega uma porcaria de uma leizinha do governo Temer e acha que isso vai nos defender contra o maior sistema de informação que tem no mundo. Vocês são uns palhaços mesmo”, disse. 

Ele se refere à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, sancionada em agosto pelo então presidente Michel Temer e que passa a vigorar em 2020. 

Em relação à Huawei, Wang Weijing, então diretor de vendas da chinesa, foi preso na semana passada na Polônia, em nome da China, por acusações de espionagem. A empresa demitiu Wang afirmando que ele levou a empresa ao descrédito e que suas ações não têm relação com a Huawei.

Em dezembro, Meng Wanzhou, filha do fundador da gigante de tecnologia asiática, foi detida no Canadá, a pedido dos Estados Unidos. O governo americano acusa a fabricante de smartphones de ter enganado bancos internacionais sobre transações ao Irã, violando regras de sanção ao país.

CRÍTICA À IMPRENSA

Olavo afirmou que, caso ele fosse guru de Bolsonaro, a vinda da CNN para o Brasil também não aconteceria. 

“Está na cara que a mídia brasileira inteira é inimiga do governo”, disse. “Não basta isso, precisa vir a CNN para contratar mais 400 jornalistas e o governo permite isso aí. E eu sou o guru dessa porcaria. Eu não sou o guru de merda nenhuma. Se eu fosse, as pessoas não teriam sequer a coragem de apresentar essas ideias”, continuou.

Na segunda-feira (14), a rede de notícias americana CNN anunciou que fechou acordo com um grupo de mídia brasileiro para licenciar sua marca no Brasil. 

A CNN Brasil será programada e operada por uma nova empresa liderada pelo jornalista Douglas Tavolaro, que deixa a vice-presidência de jornalismo do Grupo Record, e pelo empresário Rubens Menin, fundador da MRV Engenharia, maior construtora do país.

À Folha a CNN internacional disse que as licenciadas que operam canais e plataformas da marca são editorialmente independentes.

BRASIL

Mega-Sena: veja os números sorteados nesta quarta-feira; prêmio do próximo concurso vai a R$ 37 milhões

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ninguém acertou as seis dezenas da Mega-Sena do concurso 2126, que foi realizado na noite de quarta-feira 20 de fevereiro de 2019, no Caminhão da Sorte, em Jundiaí. Com isso, a premiação estimada para o sorteio do próximo sábado,  23 de fevereiro de 2019, está em R$ 37 milhões.

RESULTADO – MEGA-SENA 2126
07   12   24   27   39   58

O prêmio de R$ 21.346,79 será pago a 130 apostas que acertaram cinco números. Já a quadra foi certeira para 48.139 apostas, e cada uma vai levar R$ 487,08.

Para o próximo concurso, em 23 de fevereiro, as apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do mesmo dia nas lojas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país ou pela internet, no site Loterias Online.

Continue lendo

BRASIL

Relator vota pela criminalização da homofobia

Agência Brasil, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O ministro Celso de Mello do STF votou nesta quarta-feira (20) a favor da criminalização da homofobia, impondo derrota aos conservadores da base do presidente Bolsonaro.

Pelo voto, as agressões contra os LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais) deverão ser enquadradas como crime de racismo.

Após a manifestação, a sessão foi suspensa e será retomada amanhã (21).

Mello é o relator da na Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) nº 26, que começou a ser julgada na semana passada pelo STF.

Na ação, o PPS defende na Corte que a minoria LGBT deve ser incluída no conceito de “raça social”, e os agressores, punidos na forma do crime de racismo, cuja conduta é inafiançável e imprescritível.

A pena varia entre um a cinco anos de reclusão, de acordo com a conduta.

Continue lendo

BRASIL

Trabalhador precisará contribuir 40 anos para aposentar-se com 100% do salário

Agência Brasil, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O trabalhador precisará contribuir 40 anos para aposentar-se com 100% da média do salário de contribuição, informou hoje (20) o Ministério da Economia. A nova fórmula de cálculo do benefício substituirá o fator previdenciário, usado atualmente no cálculo das aposentadorias do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Atualmente, os benefícios do INSS são calculados da seguinte forma: sobre 80% da média do salário de contribuição para a Previdência incide o fator previdenciário, que mistura expectativa de vida e tempo de contribuição. A aplicação do fator previdenciário resulta em aposentadorias mais elevadas para quem trabalha mais tarde e em benefícios menores caso a expectativa de vida da população aumente.

Pelas novas regras, o trabalhador com 20 anos de contribuição começará recebendo 60% da média das contribuições, com a proporção subindo dois pontos percentuais a cada ano até atingir 100% com 40 anos de contribuição. Caso o empregado trabalhe por mais de 40 anos, receberá mais de 100% do salário de benefício, algo vetado atualmente.

Durante o período de transição de 12 anos, no entanto, o limite de 100% continuará valendo, tanto para o setor público como o privado. Segundo o secretário de Previdência da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Leonardo Rolim, o novo cálculo é mais simples que o fator previdenciário.

A proposta de reforma da Previdência está sendo detalhada no Ministério da Economia. Participam da entrevista o secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco; o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, e o secretário adjunto de Previdência, Narlon Gutierre. Também dão explicações o procurador-geral adjunto de Gestão da Dívida Ativa da União, Cristiano Neuenschwander, e o diretor de Programa da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Felipe Portela.

Continue lendo

Promoções

TOP 5 MAIS LIDAS

ACRE.COM.BR © 2017-2019 - Todos os direitos reservados. Contato: (68) 98114-3077.

Faça sua denúncia
Enviar denúncia
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: