NOSSAS REDES

ESPECIAL

Papa Francisco envia Rosário ao ex-presidente Lula

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O ex-presidente Lula recebeu o terço na cela onde está preso, na sede da Polícia Federal em Curitiba.

O papa Francisco enviou um rosário ao presidente Lula, preso político há 67 dias. O presidente recebeu o terço nesta segunda-feira (11) na sede da Polícia Federal em Curitiba.

Em maio, o pontífice criticou o papel da mídia na difamação de figuras públicas. “Criam-se condições obscuras para condenar uma pessoa. A mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e com a calúnia e a difamação essas pessoas ficam manchadas. Depois chega a Justiça, as condena, e no final, se faz um golpe de Estado”, afirmou na ocasião. 

O rosário foi entregue hoje na PF por Juan Gabrois, assessor do Papa Francisco para assuntos de Justiça e Paz, que foi impedido de visitar o presidente. Leia mais aqui.

Dúvidas sobre o ‘presente do papa Francisco’

Consultor do Vaticano, o argentino Juan Grabois levou rosário ‘benzido’ pelo pontífice na visita – barrada – à Superintendência da PF em Curitiba

Na foto de capa, o rosário foi entregue ao ex-presidente na tarde desta segunda-feira (Nelson Antoine/Folhapress; Reprodução/Twitter).
.
A equipe do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) publicou nas redes sociais do petista nesta segunda-feira a foto de um rosário que teria sido um “presente do papa Francisco“. O objeto religioso foi entregue por Juan Grabois, um advogado argentino ligado a movimentos sociais e que também é um dos consultores do Pontifício Conselho Justiça e Paz.Em um vídeo gravado do lado de fora da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde Lula está preso desde 7 de abril, o argentino afirmou que trazia um terço “benzido pelo papa Francisco”. A reportagem procurou a Nunciatura Apostólica no Brasil para confirmar a origem do presente, mas não obteve resposta. O Vaticano também não se manifestou sobre o episódio.

Visitas religiosas

Às segundas-feiras, de acordo com a PF, o petista, assim como os demais presos do local, está autorizado a receber autoridades religiosas para “assistência espiritual”. Já visitaram o ex-presidente o teólogo Leonardo Boff, o religioso Frei Betto e o monge Marcelo Barros.

Grabois, porém, foi impedido de entrar. Do lado de fora do prédio, ele disse que foi barrado por não ser um “sacerdote consagrado”. O argentino contestou a justificativa apresentada, segundo ele, pelos funcionários da PF. “Todos os batizados são discípulos religiosos que têm uma missão a cumprir”, destacou. Ele disse, ainda, que iria embora chateado por não poder cumprir sua visita “por razões de natureza política”. Por Veja.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat