NOSSAS REDES

ACRE

PF suspeito de premeditar morte da filha diz que deu leite por orientação da mãe da criança

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O policial federal Dheymersonn Cavalcante, acusado de ter envolvimento com a morte da filha Maria Cecília, de apenas dois meses, ocorrida na última sexta-feira, dia 09, em Rio Branco, resolveu abrir o jogo e contar tudo sobre a morte da criança. Ele deu uma entrevista exclusiva ao ac24horas na última quarta-feira, dia 13.

O policial, que se diz inocente, conta e comprova, com documentos e fotos, que ajudou financeiramente a enfermeira Micilene Souza, e que tinha uma relação de “muito afeto” com a filha. O policial também confirmou que deu leite industrial a criança, mas que foi a própria mãe quem o orientou a fazer isso.

Em mensagens supostamente trocadas por Dheymersonn e Micilene, cedidas ao ac24horas, a enfermeira conta ao pai da criança que Maria Cecília teve problemas respiratórios e que quase morreu dentro de casa enquanto dormia. Diz ainda que dava leite industrial à bebê e que a criança havia ficado doente dias antes de morrer.

Dheymersonn Cavalcante conversou com a reportagem, mas não autorizou fotografias. O policial estava acompanhado da esposa e do advogado. A conversa aconteceu em um edifício comercial no bairro Bosque, no período noturno. Nitidamente abalado, o policial contou que retirou a barba por medo e que teve a vida e o nome destruídos por uma “mentira” que cairá por terra na Justiça.

Leia a entrevista exclusiva com o policial.

ac24horas: Você tinha um relacionamento com a mãe da Maria Cecília. Você pressionou a dona Micilene a abortar essa criança?

Dheymersonn: De maneira nenhuma. Isso é mentira, e eu posso provar. Ela foi auxiliada durante a gestação. Eu tinha transferido valores em dinheiro. E em tudo, antes de qualquer obrigação. Outra coisa que nunca existiu: essa história de comprimidos para o abordo. Isso é mentira! Eu tenho conversas [no whatsapp] para comprovar isso também. Quem teve a ideia de abortar, tão logo soube que ela estava grávida, não fui eu, foi ela. Eu tenho como provar que foi ela quem teve a iniciativa. E a irmã dela disse que entendia. E eu disse que concordava porque ela me falou de um problema de saúde que podia levá-la a um óbito.

ac24horas: O que aconteceu naquele dia? A criança tomou leite mesmo artificial? Havia esse hábito?

Dheymersonn: A Micilene conta que a minha filha não tomava leite artificial, mas é mentira dela. A minha filha tomava leite artificial desde o sétimo dia de vida. Eu deixei a Micilene no hotel no último dia 05, e aqui nós cuidamos da bebê, passeamos, passávamos o dia inteiro com a criança. Fomos no Lago do Amor, fomos com minha mãe e a bebê na Ufac. Tiramos fotos juntos e fomos fazer o DNA juntos. Marquei consulta com o oftalmologista, porque ela disse que tinha a bebê um problema no olho. Eu fiz o melhor. Nos relacionávamos muito bem, eu tenho todas as provas aqui. Ela que por vezes deixava de falar da minha filha, e isso me gerava angústia.

ac24horas: Essa criança já teve algum problema de saúde?

Dheymersonn: No dia 18 [de fevereiro] ela ficou sem me dar notícia. Dias depois, quando apareceu, ela me disse que a minha filha quase morreu. Ela disse que a criança comeu, dormiu e que quando ela acordou já estava sem respiração. Ela disse que ressuscitou a minha filha. Depois disso, a angústia foi tão grande que eu nem perguntei se ela havia levado a minha filha no médico.

ac24horas: O que você tem a dizer sobre esse leite? Me explica direito essa história. Ela tomava isso? A mãe dava esse leite? Como era essa suposta mamadeira? Vocês deram leite demais para a bebê?

Dheymersonn: O leite ela tomava, sim, artificial. Eu tenho como provar, eu tenho isso. Ela fala que eu dei duas mamadeiras para a criança. Duas mamadeiras é muito leite. O que ela tomou, na verdade, foram duas chuquinhas. E eu acredito que a minha mãe deu uma quantidade razoável que se dá a uma criança. Eu espero que a perícia faça um bom trabalho e encontre o problema que a minha filha tinha. Ela já tinha tido um episódio como esse. Ela quase morreu. E nem por isso eu responsabilizei a mãe dela. Eu até que poderia. O leite que eu dei à minha filha era o mesmo leite que ela dava: era o leite apropriado de zero a seis meses. Era o leite Nan. Ela foi alimentada no dia 07 e no dia 08 [de março].

ac24horas: É verdade que a criança chegou “molinha” em casa? Ela tomou alguma coisa? Essa criança foi dopada? Como foi isso?

Dheymersonn: Ela fez uma declaração muito triste, muito infeliz, dizendo que a menina tinha chegado molinha no dia 07. Ela tinha ficado uns dias comigo, aliás, algumas horas do dia, e eu sabia que eu tinha que voltar para a menina mamar. Eu sabia que não podia ficar direto com ela. E eu não ficava muito tempo.

ac24horas: Você teria coragem de matar uma criança inocente de três meses? Como você se sente sendo acusado desse crime tão bárbaro?

Dheymersonn: Deus me livre! Eu não como e não durmo se não for com remédio. Eu não sei explicar o sentimento que eu tenho – e começa a chorar-. Eu estou afastado do trabalho porque eu não tenho condições de trabalhar. Eu perdi a minha filha, perdi minha imagem, e estou sendo visto por todo mundo como um monstro. Eu não sei o por quê ela está fazendo isso, mas mas eu sei que vou mostrar a verdade. Eu tenho todas as provas como eu falei. No final de tudo isso, ela é quem vai responder! Eu perdi minha filha e estou passando por isso!

ac24horas: Você não acha que sua mãe poderia ter causado a morte dessa criança? Ela não pode ter dado leite demais à Maria Cecília?

Dheymersonn: De maneira nenhuma. A minha mãe quando soube, ela ficou foi feliz. Minha mãe amava essa menina assim como eu. A Micilene mesmo falava que ela ia estragar a criança porque dava carinho demais, dengo demais. Ela [Micilene] agradecia a minha mãe pelo carinho, pelo cuidado. A minha mãe veio pra cá justamente para isso: para cuidar de mim e da minha filha. De maneira nenhuma isso teria acontecido. Nunca!

ac24horas: Você tem medo de ser preso? O que você espera disso?

Dheymersonn: Eu não vou ser preso, porque eu não fiz isso. Porque a Micilene está mentindo. Se ela está desesperada, quer encontrar um culpado, eu não sei. Eu sei que cuidei da minha filha da melhor maneira que eu pude. No dia, quando eu falei com a minha mãe, ela estava em desespero. Eu tinha ido no shopping comprar frauda, e voltei voando. Eu não sei porque a Micilene está fazendo isso. Eu socorri a minha filha, eu fiz o melhor que eu podia por ela. Agora, vem a Micilene dizer que eu fiz tudo isso. Eu não mateia a minha filha. Eu tenho medo do que as pessoas podem fazer quando me encontrarem. Eu não matei a minha filha.

ACRE

Polícia prende acusados de tiroteio na Sobral

Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na tarde dessa terça-feira (17), a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, prendeu 5 suspeitos de envolvimento em crimes no bairro Belo Jardim e Sobral encaminhou no dia de hoje para o presídio Francisco de Oliveira Conde.

A operação é uma resposta ao cumprimento de 4 mandados de busca e apreensão e 5 mandados de prisão, no qual pelas investigações, poderá dar um desfecho no caso dos motoqueiros que em julho deste ano, realizaram vários disparos em via pública do bairro Sobral, ferindo várias pessoas e levando a óbito uma das vítimas.

Na ação, os policiais também apreenderam motocicletas que foram utilizadas no dia do crime da região da Sobral, foram apreendidos outros objetos de interesse para a investigação.

Em ambos os casos, os investigadores identificaram os autores dos crimes e obtiveram comprovação da autoria, tendo sido representado ao poder judiciário por mandados de busca de apreensão domiciliar e prisão dos envolvidos, o que foi deferido pelo Juiz.

Os presos que foram levados ao presídio nesta quarta-feira (18), onde aguardarão o encerramento das investigações até seu julgamento.

AGAZETA.NET

Continue lendo

ACRE

8° BPM realiza maior apreensão de arma de fogo no ano

Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

 

A Polícia Militar, através do 8° BPM, CPO II realizou na manhã de hoje (18), a maior apreensão de arma de fogo, ao longo do Bairro da Vitória, por volta das 06h30.

Na ocasião, os militares levantaram informações de uma casa em que estariam escondidas armas de fogo.

Ato continuo, montou-se uma operação dos locais em que estariam escondido essas armas sendo logrado êxito nas apreensões de um Rifle CBC cal.22, uma PT 100, Escopeta cal.20, Escopeta cal.20, Escopeta cal. 28, Revólver cal. 38
Besta artesanal cal 28, 01 colete balístico e aproximadamente 15 munições intactas de diversos calibres.

Por esses fatos, foram efetuadas as prisões dos nacionais Kenisson de Queiroz Mendonça 24 anos, Danilo Lima da Silva 19, Marcos Sória Dimas 19, Luis Eduardo Cardoso Vieira 18 e, ainda, de mais 04 menores infratores.

Todos os envolvidos foram conduzidos na delegacia para os procedimentos cabíveis, sendo que operação durou mais de 04 horas e muitos militares que saiam de serviço permaneceram para ajudar nessa missão.

Assessoria do 8° BPM

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp WhatsApp Notícias