NOSSAS REDES

ACRE

Polícia investiga golpe de mais de R$ 30 mil contra beneficiário do INSS em Tarauacá

Juruá Online, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Uma investigação da delegacia do município de Tarauacá (AC) tenta chegar aos autores de um golpe, aplicado contra um beneficiário de 61 anos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que realizou uma transferência de pouco mais de R$ 30 mil, para a conta bancária de um golpista, que se apresentou como funcionário de um escritório de advocacia.
De acordo com o delegado Alexnaldo Batista, a vítima tinha ganhado uma causa na justiça contra o INSS, cujo processo se arrastava há muitos anos e o valor era significativo. Se apresentando como funcionário de um escritório de advocacia, o estelionatário levou a vítima até o banco e forneceu o número de uma conta vinculada a uma agência do Banco do Brasil de Cruzeiro do Sul afirmando ser do advogado que atuou no processo. Com o dinheiro já em conta, resultado da ação judicial, a pessoa realizou o depósito crente que se tratava da conta do advogado.
“Na verdade existe uma quadrilha de estelionatários que tem informações de valores que pessoas aposentadas ou prestes a se aposentarem vão receber. Eles procuram esses beneficiários e se apresentam como funcionários de escritórios de advocacia.  Falam em nome dos advogados que atuam nos processos e diante dessas informações, convencem as vítimas. Elas informam que o dinheiro já está na conta da pessoa e dizem que precisam da parte que pertence ao advogado. As vítimas na maioria das vezes têm pouca escolaridade e com boa fé realiza o pagamento”, explica o delegado.
Ainda de acordo com Alexnaldo Batista, as informações dos processos são públicas e os criminosos conseguem detalhes através dos sites dos tribunais do estado ou federal. “Eles vão acompanhando o processo porque vivem disso, e no momento em que sai a decisão, já procuram a vítima. Em muitos casos os advogados legítimos são de fora do estado e demandam certo tempo para informar o cliente sobre a decisão da justiça”, detalha.
A Polícia Civil segue investigando o caso para tentar chegar aos autores e reaver o prejuízo da vítima.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat