NOSSAS REDES

ACRE

Polícia líder do CV na fronteira do Acre e advogado proíbe imprensa de registrar imagens

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Polícia Civil apresentou na manhã desta sexta-feira (12), na Divisão Especial de Investigações Criminais (Deic), no bairro Cadeia Velha, em Rio Branco, o preso Francisco Camilo de Oliveira, 36 anos, vulgo “Nego do Nildo”, uma das principais lideranças da organização criminosa Comando Vermelho na região de fronteira do Estado do Acre.

“Nego Nildo” foi preso em uma abordagem de rotina da Polícia Militar em Rio Branco e foi conduzido à Delegacia de Flagrante (Defla). Contra ele havia um mandado de prisão em aberto pelo crime sequestro.

De acordo com o Delegado Karlesso Nespoli, Francisco estava sendo investigado pelos Agentes da Delegacia de Brasiléia no interior do Acre há 1 ano e tem envolvimento com tráfico de drogas, associação ao tráfico, tráfico de armas e homicídios contra membros de facção rival.

“Os agentes da Delegacia de Brasiléia já estavam investigando Francisco há 1 ano e com grande empenho conseguimos produzir prova contra Francisco que é uma liderança de uma organização criminosa que agia nas sombras. Com várias ferramentas a equipe conseguiu provar que além de fazer parte de organização criminosa, está envolvido com o tráfico de drogas, associação ao tráfico, tráfico de armas e ainda homicídios contra membros de facção rival. Uma pessoa extremamente perigosa, muito cautelosa em relação a sua ação e por acaso estava foragido aqui em Rio Branco. Além do Mandado de investigação, ele possui um mandado de condenação criminal por crime de sequestro. Então é uma pessoa que esperamos que fique o maior tempo possível preso”, disse o Delegado.

Ao ser apresentado a Imprensa, o Advogado de defesa de “Nego Nildo”, Alberto Machado, entrou no auditório da Delegacia e a todo momento tentou impedir que os profissionais da Comunicação fizessem o seu trabalho, chegando a colocar as mãos na câmera do cinegrafista na tentativa de impedir que seu cliente fosse filmado.

“A acusação do meu cliente eu ainda não tenho conhecimento. Vim para acompanhar o depoimento dele. Meu cliente foi preso em Brasiléia com mandado de prisão, foi pra (Defla) e depois veio aqui pra (Dic) para prestar depoimento e eu gostaria que ele não fosse filmado porque é direito constitucional dele de ser resguardado. Ele é apenas acusado de ter cometido algum crime e quem pode cercear o direito dele, se for o caso, se talvez ele chegue a ser condenado ou não é o juiz”, disse o Machado.

ACRE

Vítima de homicídio no Canaã tinha 19 anos; três mortes ocorreram na Capital nesta quarta

Contilnet, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A vítima de homicídio na tarde desta quarta-feira (17) foi identificada. Trata-se de Railson Mesquita da Silva,de 19 ano. Ele foi morto com 4 tiros na Rua Durval Camilo, no bairro Canaã.
Jovem estava de bicileta quando foi morto
A vitima estava trafegando na sua bicicleta, dois homens numa moto se aproximaram e um dos criminosos puxou uma arma e efetuou vários disparos.
A vitima ainda correu, para tentar fugir dos assassinos mas caiu e foi atingido com tiros na cabeça e no peito.

A dupla na motocicleta fugiu do local, Samu esteve no local e atestou a morte, a Policia Militar isolou a área ate a chegada da perícia criminal. O corpo de Railson foi levado ao Instituto Médico Legal.
Esta é a terceira morte ocorrida nesta quarta, em Rio Branco

Continue lendo

ACRE

Com prisão decretada, falso médico que atendia no AC segue escondido há mais de 4 meses

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Há mais de 4 meses escondido para não se entregar à polícia, Manoel Pereira da Silva Júnior, suspeito de exercer de forma ilegal a medicina, teve o pedido de habeas corpus negado pelo Tribunal de Justiça do Acre.

Ele teve a prisão preventiva decretada em fevereiro deste ano por estelionato, em Sena Madureira. Na época, a casa dele foi alvo de busca e apreensão, mas ele conseguiu fugir e se mantém escondido tentando derrubar a decisão da prisão.

De acordo com o processo, o suspeito estava utilizando o nome e registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) de outro médico e fazia consultas particulares e também no serviço público. Júnior é formado em medicina na Bolívia, mas não possuía a autorização para atuar como médico.

O advogado Rodrigo de Araújo, que defende o suspeito, diz que ele não tem intenção de se entregar até ter o pedido de liberdade aceito. Araújo destaca ainda que considera a prisão preventiva desnecessária, já que existe a intenção de colaborar.

Um novo pedido de HC, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), foi protocolado para suspender o mandado de prisão e garantir que ele responda em liberdade.

“A gente nem está entrando no mérito do que aconteceu. Mas, a pena dele vai ser pequena e, provavelmente, ele vai ficar no regime semiaberto. Então não tem necessidade dessa rigidez de colocar ele preso preventivamente. Além da pena ser pequena [de 6 meses a 2 anos], até hoje não foi aberto processo propriamente dito”, disse.

O advogado disse ainda que Júnior pensa em colaborar com a Justiça, desde que não precise ser preso para que faça isso.

“Suspendida a ordem de prisão, ele no outro dia, imediatamente, vai comparecer à delegacia de Sena Madureira e vamos prestar todos os esclarecimentos necessários”, finaliza.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp OLÁ INTERNAUTA! : )