NOSSAS REDES

ACRE

Procurador diz que MP deve apurar suposta ação de extermínio na morte de Caveirinha

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A morte de Severino Ripardo de Lima, de 37 anos, conhecido pelo apelido “Caveirinha”, ocorrida na última quarta-feira, 6, numa ação de policiais militares na Baixada da Sobral, em Rio Branco, desencadeou uma série de questionamentos por parte da família. Caveirinha é acusado de ter sido membro da organização criminosa Bonde dos 13 e a família acredita que ele teria sofrido tortura antes de ser assassinado pela polícia.

Em entrevista ao programa de rádio Voz do Povo nesta segunda-feira, 11, apresentado pelo jornalista Itaan Arruda, o procurador de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Sammy Barbosa, que integra a procuradoria-geral adjunta para assuntos jurídicos, explanou que o caso poderá ser investigado.

“É necessário que haja a devida investigação, uma  avaliação do que de fato tenha acontecido. Se, por acaso, tiver havido alguma ação irregular, o MP vai agir como sempre agiu, que é o combate à criminalidade dentro da legalidade”, disse o procurador.
Barbosa afirma que o MP fará todo o esforço para que o Acre não sofra novamente com a existência de grupo de extermínio. “Toda ação tem que estar pautada no que determina a lei e a constituição. Só podemos fazer aquilo que a lei autoriza fazer”.

O procurador garante que atualmente o Acre não tem ambiente para a volta de grupo de extermínio. “As instituições estão muito maduras e não vão permitir em hipótese alguma que aquela situação retorne. Temos agido com intuito de apoiar a ação policial sempre. Somos parceiros, mas não admitimos ilegalidade, ou grupo de extermínio”.

Entenda o caso

Caveirinha, presidiário monitorado por tornozeleira, foi morto com um tiro no peito após uma averiguação policial em uma residência localizada na Travessa São Pedro, no bairro Bahia Velha. Militares se deslocaram até ao local e adentraram a residência. Segundo a polícia, Severino chegou a apontar uma pistola para os policiais e um dos agentes reagiu efetuando um tiro no peito da vítima, que estava só em casa. Durante a ação, segundo a Polícia, foi apreendido duas armas de fogo, drogas e muita munição.

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat