NOSSAS REDES

ACRE

Rio Acre continua abaixo de 2 metros e segue sendo monitorado pela Defesa Civil

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

ORio Acre, na capital, marcou 1,62 metro nesta quinta-feira (17) e continua sendo monitorado pela Defesa Civil estadual que afirma ser um nível dentro da média esperada para esta época do ano, levando em consideração a menor cota já registrada. Porém, ainda é preocupante.

Há quatro anos, no dia 17 de setembro de 2016, o manancial marcou 1,30 metro na capital acreana e foi a menor cota registrada desde que o rio passou a ser monitorado, em 1971.

“Para esse período do ano essa cota está dentro da média esperada. Em 2011 nós chegamos a 1,50 metro e foi um dos períodos mais extremos que tivemos. Mas, em 2016, tivemos a menor cota”, relembrou o coordenador adjunto da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Eden Santos.

Santos afirmou que, se levar em consideração os níveis mais baixos já registrados, ainda é aceitável a média desta quinta, porém não deixa de ser preocupante porque ele pode continuar baixando.

O coordenador adjunto disse que as previsões para os próximos dias são de chuvas passageiras e isoladas e que isso pode não refletir no nível do Rio. As chuvas com maior volume só devem começar a ocorrer a partir da segunda quinzena de outubro.

“A gente vai vivendo esse período do ano um dia de cada vez, continuamos monitorando, verificando as previsões e tendo um diagnóstico do que fazer”, complementou.

Apesar do nível baixo do manancial, Santos afirma que não há risco de um possível desabastecimento por causa da captação.

“Nessa questão do abastecimento, o Depasa que dá esse aporte em todo estado sempre faz manobras para fazer sucção de água para o município de Rio Branco, utilizando bombas flutuantes que tem a capacidade de absorção de água mesmo como o nível do Rio baixo”, afirmou.

A direção de Operação do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) já informou, desde quando o rio chegou a cota de 1,47 metro, que a captação de água na capital é feita por meio de flutuantes desde o ano passado e que ainda não havia risco de desabastecimento, mesmo com o rio tão baixo.

Com nível baixo, lixo fica acumulado às margens do rio — Foto: Juan Diaz/Arquivo pessoal

Arquivo pessoalCom nível baixo, lixo fica acumulado às margens do rio — Foto: Juan Diaz/

Rio Acre no interior

Apesar da cota baixa em Rio Branco, o nível do rio apresentou o menor nível em Brasileia, no interior do estado, que marcou nesta quinta, 1,28 metro.

Em Assis Brasil o manancial chegou ao nível de 2,81 metros, em Xapuri 2,53 metros, segundo dados da Defesa Civil.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat