NOSSAS REDES

ACRE

SAÚDE: Assembleia Legislativa do Acre derrota Tião Viana

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) comemorou efusivamente a derrota do o Projeto de Lei (PL) n° 08 que precarizarava os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e terceirizariam os serviços. Agora, neste ano de 2018 não poderá ser apresentado outro projeto sobre o mesmo tema.

“Tão logo soubemos da chegada deste PL na Assembleia Legislativa do Estado Acre (Aleac), ainda na semana passada, nós corremos para a Assembleia Legislativa do Estado Acre [Aleac] para nos inteirarmos dos fatos e vimos o tamanho do crime que estavam comentendo”, destacou Adailton Cruz, presidente do Sintesac.

Apoios importantes

Adailton destacou ter sido mobilizada toda a diretoria, assessoria e apoiadores do Sintesac para buscar uma saída. “Foi uma luta árdua, mas temos de destacar que desde o primeiro momento os deputados Raimundinho da Saúde e Jenilson Leite se posicionaram do lado dos trabalhadores e nos apoiaram”, ressaltou.

Com a derrubada do veto governamental à Lei do Pró-Saúde ainda na terça-feira (13), muito comemorada pelos servidores presentes, todas as atenções do Sintesac se voltaram para o famigerado PL 08, responsável por possibilitar a terceirização generalizada de todos os serviços do Estado.

Oposição e os deputados da Saúde

“Nossa luta foi árdua e contamos com o apoio dos nove deputados da oposição além dos dois deputados da base e identificados com o setor de Saúde, os quais muito nos ajudaram. Por conta disso, o PL foi retirado de pauta na terça feira, quando contávamos com 11 votos favoráveis, 10 para o governo e duas abstenções”, comentou Adailton.

Na manhã desta quarta-feira os membros do Sintesac, juntamente com representantes de outras entidades estaduais, fizeram os últimos atos em defesa do SUS, quando a estratégia dos deputados de oposição se mostrou mais inteligente que o “rolo compressor” do governo, resultando na derrubada do PL por 11 votos a 10. Os deputados Jesus Sérgio e Éber Machado, cujo votos contra o governo já haviam sido anunciados não compareceram.

Votaram com os trabalhadores e com o SUS

Jenílson Leite (PCdoB), Raimundinho da Saúde (Podemos), Antônio Pedro (DEM), Eliane Sinhasique (MDB), Whendy Lima (PP), Nicolau Júnior (PP), Chagas Romão (MDB), Gherlen Diniz (PP), Jairo Carvalho (PSD), Nelson Sales (PV) e Luiz Gonzaga (PSDB).

Votaram contra os trabalhadores e o SUS

Daniel Zen, Lourival Marques, Leila Galvão e Ney Amorim (todos do PT), Dra. Juliana (PRB), André da Droga Vale (PRP), Josa da Farmácia (PTN), Maria Antônia (PROS), Heitor Júnior (PDT) e Manoel Moraes (PSB).

Ausentes da votação do PL da terceirização
Jonas Lima (PT, em viagem), Jesus Sérgio e Éber Machado (PDT).

Governo perde votação na Aleac e terceirização de serviços é varrida do Estado do Acre

Quem disse que o governo petista de Tião Viana era imbatível na Assembleia Legislativa do Estado Acre (Aleac) não falou isso para os membros do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac): primeiro foi o veto contra a lei do Pró-Saúde foi derrubado na terça-feira (13) e nesta quarta-feira foi derrubado o Projeto de Lei da terceirização dos serviços no Estado e programada para atingir primeiro as unidades de saúde em Rio Branco.

Com a participação efetiva do Sintesac no combate à terceirização, a diretoria pode e os servidores puderam comemorar o enterro definitivo do PL 08, que abria os serviços de todas as áreas do Estado para serem entregues aos empresários.

A vitória do movimento sindical somente foi possível graças o apoio dos deputados Raimundinho da Saúde (Podemos) e Jenilson Leite (PCdoB), ambos pertencentes a base de sustentação do governo e que votaram com os servidores e em conjunto com os deputados de oposição.

Uma semana de lutas

Durante os últimos dois dias, o Sintesac e os demais sindicatos (Sindfarm, Sindiconam, Spate e Sinteac) manteviram uma vigília constante na Aleac sempre em busca de derrubar as medidas que precarizariam os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e terceirizariam os serviços. Contudo, a luta no parlamento se iniciou ainda na semana passada, quando o governo enviou para a Assembleia Legislativa o Projeto de Lei (PL) n° 08.

Na manhã desta quarta-feira a diretoria e membros do Sintesac fizeram uma ação corpo-a-corpo com os deputados, notadamente os da base de sustentação do governo petista. Havia, desde a véspera, a expectativa de que quarto deputados da base votariam contra o PL.

Deputados de honra

Apoiados principalmente pela bancada de oposição e os deputados Raimundinho da Saúde e Jenilson Leite, a luta foi ferrenha. Já no começo da tarde desta quarta-feira e sem a presença dos outros dois votos favoráveis da base governista, deputados Jesus Sérgio e Éber Machado, ambos do PDT, a luta era dada como perdida, pois da oposição também estavam ausentes os deputados Wendy Lima e Nicoloau Júnior, ambos do PP.

Feitas as contas, o governo tinha naquele momento 10 votos favoráveis à terceirização e nove contra. A votação nominal foi iniciada e os deputados da base votaram de forma favorável ao PL 08, com exceção dos dois rebeldes. Raimundinho e Jenilson, deixando a votação em 10 a dois.

Um estratagema da oposição

Ocorre que quando a mesa diretora passou a colher os votos dos deputados de oposição, os dois faltosos – Wendy e Nicolau, surgiram no plenário e revelaram a estratégia da oposição.

O líder do governo, Daniel Zen ainda tentou uma última manobra, mas foi contido pelo deputado Ney Amorim, presidente, que manteve a votação e o resultado foram 10 votos em favor do governo e da terceirização e 11 votos contra, derrubando em definitivo o PL 08.

Agora, outra lei no mesmo sentido – regulamentar a terceirização – somente poderá ser apresentada em 2018, com uma nova legislatura eleita. Após o resultado, os 11 deputados que votaram com os trabalhadores saíram do plenário e foram recebidos com palmas e abraços por parte dos trabalhadores presentes.

Com informações de SINTESAC

ACRE

Vídeo mostra helicóptero do Governo que causa grave acidente em via pública

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O helicóptero Hárpia 1, do Governo do Estado do Acre, popular “Estrelão”, colidiu com uma caminhão em via pública, próximo ao Posto Correntão, no segundo Distrito de Rio Branco, capital, na manhã deste sábado, 18. Segundo testemunhas, as informações indicam que a aeronave tentava decolar quando o motorista do veículo manobrava.

Segundo relatos, a hélice da aeronave e o motor foram danificados, e uma pessoa ficou ferida na perna. A parte traseira do caminhão foi totalmente danificada. 

Tripulantes de helicóptero ficaram feridos após acidente em Rio Branco; aeronave tem seguro.

Duas pessoas ficaram feridas após o acidente entre o helicóptero Harpia 1, do governo do Acre, e um caminhão tipo “baú”, que aconteceu na manhã deste sábado, 18, na frente do Auto Posto Correntão, na BR-364, em Rio Branco.

O coordenador do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Nayck Souza, informou que a aeronave estava auxiliando nas ações de Segurança Pública fazendo patrulhamento aéreo e pousou na rotatória, mas durante a decolagem, o caminhão passou próximo da hélice e ocorreu o acidente.

“Existe uma barreira policial no local, onde havia sido feito um ponto base. Foi feito o pouso nesse local e, após o acionamento para outro patrulhamento, veio um caminhão baú e acertou uma das partes do helicóptero. Dois tripulantes da aeronave tiveram ferimentos leves e foram levados ao pronto-socorro”, disse Souza.

A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) isolaram a área até a chegada de peritos das polícias Civil e Federal, que realizaram os procedimentos de análise do veículo e do helicóptero.

O caminhão envolvido no ocorrido transportava resíduos hospitalares e teve o baú destruído. A hélice e o motor do helicóptero também ficaram danificados. O valor total dos prejuízos ainda não foi divulgado.

Ainda segundo o coordenador do Ciopaer, o helicóptero tem seguro e já foi realizado contato para a manutenção das partes que foram danificadas. O acidente deve ser apurado pelo Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA). Informações de Ithamar Souza.

Vídeo: Com o seguro atrasado, helicóptero do governo pousa no meio da rua, e sem sinalização, caminhão colide contra a aeronave.

O tenente Roger, chefe de manutenção do helicóptero, disse que ainda não tem como detalhar o ocorrido e nem falar em prejuízos.

Um acidente nada comum aconteceu na BR-364, precisamente em frente a rotatória do Correntão, na chegada de Rio Branco, mas não trata-se de transportes pequenos, trata-se do helicóptero João Donato de propriedade do Governo do Estado do Acre que atingiu um caminhão ao tentar decolar na manhã deste sábado (18).

A via estava sem sinalização e ao tentar decolar a aeronave atingiu um caminhão que teve parte do baú arrancado. Já o helicóptero ficou com as hélices quebradas e uma parte da lateral arrancada.

Apesar do susto e do prejuízo ninguém ficou ferido, mas vale destacar que não se sabe até o momento o motivo que teria levado o helicóptero a pousar naquele local e muito menos sem sinalizar o perímetro, tendo em vista que o local é onde se concentra um grande tráfego de caminhões e veículos de grande porte. 

A informação que se tem é de que a aeronave em questão não tinha motivo para está no local, o que se sabe é que não está havendo nenhuma operação policial naquela região.

Para piorar mais ainda a situação, um militar que não quis se identificar, informou que o governador Gladson Cameli não tem mantido em dias o seguro da aeronave que está atrasado por falta de pagamento. Por Alemão Monteiro. 

 

Veja o vídeo:

Continue lendo

ACRE

Homem é achado morto em igarapé no interior do Acre

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

No AC, bombeiros registraram 33 mortes por afogamento em 2019 — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Advogados Online