NOSSAS REDES

ACRE

Sem ambulância reserva, Rio Branco deve receber novo veículo do Samu para atender demanda

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ministério da Saúde anunciou nesta segunda-feira (27) a entrega de 419 novas ambulâncias para cidades do Brasil. Quatro municípios isoladas não possuem Samu. Sem ambulância reserva, AC deve receber novo veículo do Samu para atender demanda Yuri Marcel/G1 Sem ambulância reserva, o Serviço de Atendimento Móvel no Acre (Samu) deve receber uma nova ambulância do Ministério da Saúde para a frota de Rio Branco. A Saúde anunciou, nesta segunda-feira (27), que vai entregar 419 novos veículos e expandir o atendimento para mais 66 municípios do país. Em 15 dias, o veículo deve chegar no estado. Atualmente, o Acre dispõe de 28 ambulâncias do Samu distribuídas pelas cidades. Os municípios isolados de Santa Rosa do Purus, Jordão, Marechal Thaumaturgo e Porto Walter, que não têm acesso por terra, não possuem veículo disponível do serviço. Troca Ao G1, o coordenador do Samu, Pedro Pascoal, explicou que a nova ambulância será usada como suporte avançado, a que tem UTI e é chamada de 01. Já o veículo usado atualmente com o suporte avançado ficará como reserva técnica. “Dispomos de uma frota na capital relativamente nova, porque são viaturas que chegaram em 2017. Essa viatura ainda não chegou pra gente, o secretário Alyson assinou o documento na metade do mês de fevereiro, e essa documentação estava para ser liberada na mesa do ministro. Depois da liberação, será feita todo trâmite para liberação do guincho e a viatura viria para cá”, confirmou. Ainda segundo Pascoal, as ambulâncias do Samu fazem o transporte de pacientes do interior do estado para hospitais na capital. Segundo ele, esse tipo de serviço não deveria ser feito pelo Samu, mas sim pelos municípios. “Os pacientes de baixa e média complexidade, que não têm a necessidade de ir com suporte na transferência – são aqueles que, por exemplo, quebraram um dedo, que tem diabetes – e muitas vezes o Samu assume o papel de transferência. Conforme a portaria do Ministério da Saúde, a portabilidade do Samu é para atendimento pré-hospitalar, que são nos domicílios, via pública ou local público”, frisou. Manutenções Com as constantes transferências, Pascoal afirmou que é comum as ambulâncias disponível nas cidades do interior irem para manutenção. Sem uma viatura reserva, a cidade fica à espera do fim dos trabalhos de conserto. “Sempre tem uma viatura do município que vem pra reparo e usamos as reservas técnicas, que no momento não tenho nenhuma, para substituir. Essa nova viatura chegando, vou deixar a 01 como reserva técnica para não deixar nenhum município descoberto”, concluiu. Conforme Pascoal, a ambulância da Vila Santa Luzia em manutenção. Para não deixar a região sem atendimento, foi disponibilizada uma ambulância da Secretaria de Saúde (Sesacre).

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat