NOSSAS REDES

ACRE

Transporte no Acre se afirma como grande gerador de emprego

PUBLICADO

em

O transporte, em julho, apresentou saldo positivo de 11.021 postos de trabalho, diferença entre o total de admissões (64.824) e demissões (53.803) do mês em todo o País.

No Acre, o período também tem sido muito bom e o crescimento é de 43% em relação a todo o ano de 2020. A oferta de vagas no setor saiu de 3.940, no ano passado, para 5.647 em 2021 (até julho).

Em nível nacional, no acumulado de janeiro a julho de 2021, foi ocupado um total de 50.033 vagas de emprego no setor. Os dados foram atualizados pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), no Painel do Emprego no Transporte.

As informações elaboradas pela CNT são as mais recentes, disponíveis a partir do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência. A ferramenta apresenta a movimentação mensal do mercado de trabalho formal no Brasil.

“Esperamos uma maior recuperação do emprego na segunda metade de 2021, desde que o acesso à vacina contra a Covid-19 avance e não haja um agravamento da situação geral da pandemia com a variante delta do coronavírus. O Brasil precisa promover um ambiente de negócios propício à geração de empregos em massa e o setor de transporte tem um papel relevante nesse cenário”, avalia o presidente da CNT, Vander Costa.

Para Vander Costa, os números mostram que as empresas do transporte têm oportunizado um ganho importante para reduzir a taxa de desemprego do país e fortalecer a economia. Porém ainda é preciso um olhar cauteloso das nossas autoridades para as empresas de transporte rodoviário de passageiros, “que vêm sendo fortemente impactadas desde o início da pandemia”, completa.

Considerando o balanço de admissões e desligamentos de empregos formais do transporte nos sete primeiros meses de 2021, o estado do Rio de Janeiro foi o que apresentou a maior perda de postos de trabalho (-3.612), seguido de Pernambuco (-925) e Paraíba (-209). Já o melhor desempenho em termos de geração líquida de empregos formais na área no período foi alcançado pelos estados de São Paulo (+26.134), Minas Gerais (+6.519) e Santa Catarina (+4.848).

Ao considerar os diferentes modais de transporte no acumulado de janeiro a julho de 2021, é possível identificar que o maior saldo na criação de empregos formais (+72.850) ocorreu no segmento de transporte rodoviário de cargas (TRC). Em realidade oposta está o transporte rodoviário de passageiros urbano, que vem desde o início da pandemia em tendência negativa. Nos primeiros sete meses deste ano, foram fechadas 20.626 vagas de trabalho somente nesse segmento. A mesma situação ocorreu no grupo rodoviário de passageiros de longo curso (-7.566).

Com informações de Ac24horas

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS