NOSSAS REDES

ACRE

Vacinação contra gripe no Acre não atingiu meta em 6 grupos prioritários

G1, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Cobertura vacinal no estado chegou a 87,63%, segundo Saúde. Grupos que não atingiram a meta foram das crianças, gestantes, pessoas com comorbidades, militares, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

A vacinação contra gripe no Acre atingiu 87,63% de cobertura, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). Foram aplicadas 212,2 mil doses em pessoas do grupo prioritário e mais 2,7 mil na população em geral.

Conforme os dados, seis dos 11 grupos prioritários não cumpriram com os 90% estabelecidos. Entre eles, o das crianças, gestantes, pessoas com comorbidade, militares, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

A gerente de Imunização do Acre, Renata Aparecida, afirma que, apesar de a campanha ter sido concluída no dia 31 de maio, as vacinas continuam disponíveis em algumas unidades de saúde do estado. Segundo ela, os municípios estão sendo orientados a continuar com a vacinação.

“O estado do Acre não conseguiu alcançar essa cobertura, porém ainda estamos com o sistema aberto para inserir doses. A orientação aos municípios é de que continuem buscando esse público prioritário. Não alcançamos cobertura no público criança, gestante no estado, o que gera uma preocupação”, disse Renata.

Dos 22 municípios acreanos, sete não atingiram a meta de 90% de cobertura, entre eles Plácido de Castro, que ficou com 79,06%; Xapuri com 76,01%; Acrelândia, com 75,62% e Capixaba com 70,20%. Já as cidades de Sena Madureira, Bujari e Porto Acre ficaram com 60,70%, 60,36% e 56,78%, respectivamente.

Cinco mortes por gripe

Segundo o último boletim de monitoramento da influenza, divulgado pela Sesacre, cinco pessoas morreram no estado por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza. Os dados são de 1 de janeiro a 13 de junho deste ano.

“Sabemos que o número de casos de influenza é alto e sem contar as subnotificações, que são os casos das pessoas que não procuram as unidades de saúde. Por isso, reforçamos a importância da vacinação”, afirmou a gerente.

O boletim aponta que foram registrados 14 casos de H1N1 no estado neste período e três óbitos pela doença. Além de sete casos confirmados e dois óbitos pela gripe H3N2.

Cobertura vacinal por grupo

  • Crianças (6 meses a menores de 6 anos): 77,11%
  • Gestantes: 89,67%
  • Mães até 45 dias após o parto: 98,40%
  • Trabalhadores da saúde: 98,38%
  • Professores: 111,02%
  • Povos indígenas: 98,32%
  • Idosos com 60 anos ou mais de idade: 100,94%
  • Portadores doenças crônicas e condições especiais: 89,19%
  • População privada de liberdade e funcionários: 64,8%
  • Funcionários do sistema prisional: 43,9%
  • Militares: 49,1%

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat