NOSSAS REDES

Segurança Pública

Agentes penitenciários são demitidos acusados de envolvimento com o crime no Acre

Contilnet, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Outros três agentes estão sendo investigados por facilitação de fuga de presos

O novo diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), Lucas Bolzoni, publicou no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (21), as exonerações de dois agentes penitenciários, ambos acusados de envolvimento com o crime organizado e de facilitar a comunicação de presos de dentro dos complexos com o mundo externo.

No primeiro caso, o agente penitenciário demitido de suas funções, M.V da S,, chegou a ser preso no ano passado,  acusado de entrar no presídio de segurança máxima Antônio Amaro Alves, levando consigo munição de uso restrito e que seriam entregues aos detentos.

Já o agente penitenciário, também exonerado, J. dos S. F., foi preso em flagrante também no ano passado, após deixar dois celulares na ventilação de uma das celas da unidade prisional Evaristo de Morais, em Sena Madureira, no interior do Acre. ´

À época, o delegado que investiga o caso, Marcos Frank, informou que o agente J. dos S. F, confessou o crime e afirmou que estava sendo ameaçado pelos detentos.

Além dessas duas primeiras exonerações, o diretor do Iapen também afastou mais três agentes penitenciários de suas funções, tendo em vista, esses serão investigados por facilitação de fuga.

Por telefone, Lucas Gomes disse que essas exonerações e afastamento de agentes penitenciários acusados de delitos é apenas o começo.

“Queremos moralizar nossos presídios. Não é compatível com as funções de um agente penitenciário colaborar com o crime. O agente penitenciário é contratado para cumprir a lei e a ordem e não compactuar ou fazer parte de grupos de facções”, disse o diretor.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Presos perigosos fazem fuga em massa do presídio de Rio Branco; confira fotos e nomes

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Segurança ainda não confirmou quantos presos conseguiram fugir. Fuga aconteceu na madrugada desta segunda-feira (20).

Foto: Fuga em massa é registrada em presídio de Rio Branco — Foto: Aline Vieira/Rede Amazônica Acre.

Confira os nomes dos foragidos:

  1. Francisco Santos Braga
  2. Rogério Furtado dos Santos
  3. Ariclene Firmiano da Silva
  4. Dheyci de Angelo Lima e Lima
  5. Marcos da Costa Ferreira
  6. Aloísio Lucas Mesquita
  7. Diego Oliveira da Silva
  8. Adam Smith Oliveira da Silva
  9. Mirleson Nascimento da Silva
  10. Saymon Wallace Fonseca do Nascimento
  11. Valber de Aguiar Morais
  12. Anderson de Souza Alves
  13. Raimundo Nonato dos Santos Fonseca
  14. Vagner Tércio de Moura
  15. Jaciel Batista do Nascimento
  16. Wellington de Souza Lima
  17. Lucas Souza da Silva
  18. Adalcimar Oliveira de Almeida (recapturado)
  19. Joel Menezes de Queiroz
  20. Anderson Lima da Silva Velasquez
  21. Francisane Rocha Ribeiro
  22. Ronicley Ribeiro da Silva
  23. José Valdenes Viana da Silva
  24. Gerilto Caetano da Silva
  25. Sebastião Weverton Lima de França
  26. Francisco dos Santos Coimbra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quase 30 presos fugiram do Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco, na madrugada desta segunda-feira (20). De acordo com a Segurança, 26 detentos fugiram do pavilhão L, onde cumprem pena em regime fechado.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen) disse que os detentos fizeram um buraco na parede da cela e, com lençóis, fizeram cordas escapando pela muralha. Adalcimar Oliveira de Almeida foi recapturado ainda nesta manhã. 25 seguem foragidos.

“Todas as forças de segurança do estado foram acionadas e várias medidas operacionais estão sendo realizadas para captura dos foragidos”, diz a nota assinada pelo Secretário de Justiça e Segurança Pública do Acre em exercício, Ricardo dos Santos e o presidente do Iapen, Lucas Gomes.

A fuga ocorre depois de um fim de semana violento em Rio Branco. Sete homicídios foram registrados em Rio Branco na noite desse sábado (18). Seis deles em um bar na zona rural da cidade, no km 100 na estrada Transacreana, onde houve um chacina.

Uma outra tentativa de homicídio também foi registrada no km 58 da Transacreana no mesmo. A vítima foi levada ao Pronto Socorro. O sétimo crime ocorreu no ramal Bom Jesus, no bairro Vila Acre, também na região do Segundo Distrito.

As medidas tomadas após a fuga foram:

  • O reforço das barreiras policiais na capital e municípios com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e 4° BIS – Exército Brasileiro, nas barreiras em rodovias federais;
  • Acionamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Rondônia e do Amazonas para implantação de barreiras e fiscalização nas áreas de fronteira e rodovias federais;
  • Acionamento da Polícia Federal para apoio com equipes de inteligência para avaliação das circunstâncias de fuga, bem como o apoio de fiscalizações em aeroportos;
  • Acionamento do Centro Integrado Regional de Inteligência para apoio quanto à produção de conhecimento sobre o ocorrido;
  • Determinação para realização de revistas em todos os presídios do estado, com vistas a evitar novas fugas;
  • Acionamento dos corregedores da Polícia Militar e Polícia Penal para instaurar apuração imediata de eventuais responsabilidades pela fuga no aspecto administrativo, visto que a Polícia Civil irá atuar no aspecto penal;
  • E solicitação de apoio do Ministério Público e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para acompanhar as ações de investigação durante as ações que vão apurar eventuais responsabilidades pela fuga dos detentos.

Mortes violentas

Esquartejamentos, execuções e chacina. A onda de violência voltou a assustar no início de 2020 no Acre. Em 18 dias de janeiro, 29 pessoas morreram de forma violenta no estado. A motivação, na maioria dos homicídios: guerra de facções por domínio de território.

Em todo mês de janeiro de 2019, o Acre registrou 32 mortes violentas. Os dados são do índice nacional de homicídios criado pelo G1, que faz parte do Monitor da Violência. Com informações G1AC. 

Continue lendo

ACRE

Fotos inéditas do massacre na Transacreana: Facção Bonde dos 13 assume autoria da chacina

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Com apoio de caminhonete previamente roubada, criminosos eliminam sete homens através de ação criminosa contundente e rápida. As vítimas foram pegas de surpresa. 

Fotos: Um dos jovens foi baleado dentro de casa no km 58 da Transacreana (Foto: Reprodução/WhatsApp).

Sete pessoas foram mortas na noite deste sábado, 18, na Estrada Transacreana, rodovia AC-90, em Rio Branco. Os crimes aconteceram em um bar localizado no km 100 da estrada e na Vila Verde, no km 58.

Segundo informações, homens armados, que seriam membros da facção Bonde dos 13, chegaram no bar em uma caminhonete modelo Hilux e atiraram em várias pessoas. Seis homens foram mortos no local.

A chacina da estrada Transacreana, ocorreu na noite deste sábado (18), e foi um dos maiores ataques realizados por uma facção em Rio Branco até o momento, deixando seis mortos e um ferido. Ao todo, em apenas 3 horas, a facção do Bonde dos 13 conseguiu matar sete pessoas.

Segundo informações da polícia, 12 criminosos em uma caminhonete modelo Hilux, de cor branca, foram até o Bar “Dos Anjos”, no km 100 da estrada, onde havia um grupo de amigos bebendo, e de posse de armas de vários calibres, começaram a atirar e contra as pessoas que estavam no estabelecimento.

Seis pessoas foram atingidas e acabaram morrendo no local. As vítimas da chacina são: João Vitor Gomes de Oliveira, de 16 anos; Rosalvo Barroso de Freitas, de 21 anos; Leonardo de Lima Maia, 32 anos; Wilson Macedo Brito, de 35 anos; Marcos Lázaro Gomes de Almeida, 35 anos e Moisés Andrade da Silva, de 42 anos.

Tiros atingiram janelas, porta e paredes do bar onde houve chacina — Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre

Tiros atingiram janelas, porta e paredes do bar onde houve chacina — Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre.

Vítimas estavam em um bar quando foram mortas, na noite de sábado (18), na Rodovia Transacreana — Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre

Vítimas estavam em um bar quando foram mortas, na noite de sábado (18), na Rodovia Transacreana — Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre.

Em seguida, os criminosos fugiram e foram até a Vila Verde, onde tentaram matar um jovem identificado como Railson Silva de Souza, com quatro tiros na cabeça, dentro de uma casa. O rapaz foi socorrido e levado ao pronto-socorro de Rio Branco.

Várias guarnições da Polícia Militar, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), equipes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o carro do Instituto Médico Legal (IML) foram até os locais dos ocorridos.

APÓS O CRIME

Após a ação, os criminosos fugiram no veículo e pararam no km 58, onde efetuaram vários disparos em direção do jovem do identificado como Railson Silva de Souza, 19 anos, que estava na área da própria residência. Ele foi ferido com 3 tiros na cabeça.

A casa do rapaz ainda foi atingida por outros 20 disparos, possivelmente efetuados com armas de fogo calibre 12. Após a ação, os bandidos entraram no veículo e gritaram que eram membros da facção Bonde dos 13, em seguida, fugiram do local.

Familiares acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que esteve no local, prestou os primeiros atendimentos e encaminhou a vítima para o pronto-socorro de Rio Branco em estado de saúde gravíssimo. O rapaz chegou no PS entubado.

Viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), guarnições da Polícia Militar e agentes da Delegacia de Homicídios e proteção à Pessoa (DHPP) se deslocaram até os locais dos ataques para colher as informações e isolar as áreas para os trabalhos da perícia criminal.

Os policiais militares e as forças de segurança fizeram várias buscas na região em busca de prender os assassinos, mas ninguém foi encontrado até o momento. Os corpos dos homens foram levados ao Instituto Médico Legal (IML), onde serão realizados os exames cadavéricos.

B13 matou jovem na mesma noite

Um jovem de 22 anos também foi morto na noite deste sábado. O crime aconteceu no Ramal Bom Jesus, na região da Vila, uma hora antes da chacina no bar, mas foi efetuado por dois criminosos que, após assassinarem Mateus Vieira Cardoso, gritaram que eram membros do Bonde dos 13.

Em poucas horas, a facção criminosa executou, ao todo, sete pessoas supostos rivais. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) colheu informações e vai investigar todos os casos.

Criminosos roubaram caminhonete e seguiram para bar

O delegado Cristiano Bastos, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, explicou que os criminosos roubaram uma caminhonete na região antes de seguir para o bar. Bastos afirmou que as equipes estão nas ruas em busca de informações e dos suspeitos.

“Teriam praticado o roubo de um veículo e se deslocaram até o quilômetro 100 e lá dispararam. Estamos fazendo todo levantamento. Tem a identificação das vítimas, mas temos que fazer um levantamento da vida pregressa”, reafirmou.

Ainda segundo o delegado, há dificuldade de conseguir informações sobre a quantidade de criminosos que foi ao local porque os sobreviventes fugiram.

“Eram vários que praticaram o roubo e foram até o local. A outra morte não tem ligação com esse caso, a princípio não tem. Estamos em campo em busca de tudo”, informou. Com informações G1AC.

Outras informações:

A onda de massacre continuou na estrada Transacreana, onde um bando armado matou seis pessoas e deixou uma gravemente ferida, com quatro tiros na cabeça.

Um gigantesco aparato policial e de socorro se deslocou para a estrada Transacreana.

Foram constatadas as seus mortes por execuções a tiros. Todas as vítimas do sexo masculino, com idades entre 17 e 36 anos.

Até o fechamento dessa matéria as equipes policiais e peritos do Instituto Médico Legal IML estavam nos locais da chacina. Com informações de Ithamar Souza. 

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Advogados Online