NOSSAS REDES

ACRE

Alarme amazônico

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Desmatamento aumentou 49% de agosto a outubro, na comparação com o mesmo período de 2017.

Foto: Área desmatada no sul do Amazonas – Lalo de Almeida – 11.ago.2018/Folhapress.

Más novas para a floresta amazônica. A destruição de sua cobertura vegetal acelerou-se nos últimos meses, segundo indicam dois levantamentos independentes.

De agosto a outubro, o desmatamento na região aumentou 49%, na comparação com o mesmo período de 2017, conforme o Deter B, projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que faz monitoramento em tempo quase real para subsidiar o trabalho de fiscalização.

O percentual corresponde a uma perda de nada menos que 1.674 km² de floresta, área pouco maior que a do município de São Paulo. 

Verdade que a taxa oficial é calculada por outro sistema, o Prodes, também do Inpe, de maior resolução. Ambos os métodos, no entanto, apresentam convergência. 

O maior aumento do desmate ilegal se deu na divisa do Acre com o Amazonas, área de influência da BR-364. Nesses estados, a alta foi de 273% e 114%, respectivamente.

Já o acompanhamento conduzido pela ONG Imazon trouxe dados ainda mais inquietantes. Em setembro, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) registrou elevação de 84% na perda florestal da Amazônia, comparada ao mesmo mês de 2017.

Diversos fatores concorrem, tradicionalmente, para a derrubada de florestas. Destacam-se a especulação imobiliária, a expansão da fronteira agropecuária e a consolidação de infraestruturas regionais, como estradas e portos.

Ademais, em especial em Mato Grosso, Pará e Rondônia, circunstâncias como a alta do dólar também dão impulso ao fenômeno.

Deveria ser desnecessário mencionar os motivos para que o poder público se empenhe no combate ao desmatamento. Trata-se de compromissos assumidos no esforço para conter o aquecimento global —a maior parte das emissões brasileiras de gases do efeito estufa provém da devastação das matas.

Sabe-se ainda que a cobertura vegetal da maior floresta tropical do mundo tem influência sobre o regime de chuvas de parte considerável do Brasil, levando água por meio de “rios voadores”, inclusive na estação seca, para o Sul e o Sudeste.

Tem impacto direto, ademais, sobre o clima de regiões mais próximas, como o Centro-Oeste, base do agronegócio nacional.

O país obteve expressiva melhora na preservação florestal durante a década passada. Se novos avanços têm se mostrado difíceis, um retrocesso seria inadmissível.  O que a Folha Pensa. [email protected] ​

ACRE

Empresário que perdeu o controle do carro e colidiu em carreta pode ter sido vítima de AVC

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O empresário Amarildo Campos Coelho, de 47 anos, que colidiu com seu carro em uma carreta na última quarta-feira (19) e foi à óbito pode ter sido vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). Essa é uma das hipóteses levantadas por paramédicos que socorreram Campos no local do acidente.

Com o suposto acidente vascular o pé direito do empresário pode ter ficado preso ao acelerador. De acordo com peritos que estiveram no local, o ponteiro de velocidade travou marcando 180 km/h. O carro que Campos conduzia era um Honda Civic, ficou totalmente destruído.

A revelação da suspeita de AVC foi feita por parentes do empresário na manhã de hoje (22), durante reabertura de uma de suas principais lojas de supermercados na Vila Acre. Ainda de acordo parentes, Campos já tinha apresentado um princípio de AVC meses antes do acidente.

Com o impacto da colisão com uma carreta, o corpo da vítima ficou preso às ferragens e foi retirado por homens do Corpo de Bombeiros, em seguida resgatado por peritos do Instituto Médico Legal – IML.

Continue lendo

ACRE

Três corpos foram encontrados após naufrágio de barco no Rio Juruá; duas crianças estão desaparecidas

Acrenoticias.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os corpos de três passageiros que estavam na embarcação que naufragou no Rio Juruá, no interior do Amazonas, foram resgatados na noite desta sexta-feira (21). Duas crianças, de dois e três anos, seguem desaparecidas. O acidente aconteceu nas proximidades do município de Carauari, a 788 km de distância de Manaus, na noite de quarta-feira (19).

O resgate foi confirmado pelo Corpo de Bombeiros. Segundo a coorporação, foram encontrados os corpos de uma idosa de 82 anos, um homem de 22, e a mãe das duas crianças que seguem desaparecidas.

Equipes de resgate que atuam na área do naufrágio seguem os trabalhos em busca dos dois irmãos desaparecidos. Eles viajavam com a mãe, morta, e uma irmã, resgatada com vida na quinta-feira. O barco, com 97 pessoas, saiu de Manaus no dia 13 de junho e deveria chegar a Carauari na quinta-feira.

Os três corpos encontrados chegaram à sede da cidade de Carauari na madrugada deste sábado. Todos são velados ao mesmo tempo no Ginásio Vivaldino Cardoso Viana, que fica no centro do município.

Após o velório, familiares da mãe querem transferir o corpo da jovem para ser sepultado em Manaus.

Nesta sexta-feira um passageiro foi resgatado com vida por pescadores da região. O barco saiu de Manaus no dia 13 de junho e deveria chegar a Carauari na quinta-feira (20). Havia 97 passageiros na embarcação, que naufragou nas proximidades da comunidade do Bacaba.

São aproximadamente três horas de distância entre a sede da cidade e o local onde o houve o naufrágio, em região remota do Rio Juruá.

O GLOBO

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

Fale Conosco