NOSSAS REDES

Segurança Pública

Em revista, agentes apreendem celulares, facas e drogas no Francisco de Oliveira Conde

Lilia Camargo/ASCOM SEJUSP, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Em mais uma revista de rotina realizada em um dos pavilhões do complexo penitenciário Francisco de Oliveira Conde (Foc), agentes penitenciários apreenderam celulares, armas brancas e drogas. A revista  aconteceu na manhã desta sexta-feira (25).

O pavilhão “H” ocupa cerca de 200 reeducandos que durante a revista foram encaminhados ao banho de sol. Com o apoio do canil, o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE), localizou pedras de cocaína e trouxinhas de maconha escondidos, três celulares, além de vinte e três armas brancas. 

O trabalho vem sendo realizado semanalmente como parte do planejamento de ações elaborados pela nova gestão do Instituto de Administração Penitenciário (Iapen), como medida de combate ao crime dentro e fora dos presídios.

 

Advertisement
Comentários

Comente aqui

CRIME

Homem encontra crânio em igarapé enquanto fazia limpeza de quintal em Rio Branco

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Perícia técnica e bombeiros foram acionados para atender ocorrência. Crânio deve ser levado para o Departamento de Polícia Técnico Científica da capital.

CAPA: Homem encontra crânio em igarapé enquanto fazia limpeza de quintal em Rio Branco — Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros.

Um morador levou um susto enquanto limpava o quintal, no início da tarde deste sábado (11), na Travessa Judia, região do bairro Santa Inês, em Rio Branco. É que ele encontrou um crânio em cima de galhos secos dentro do igarapé Judia.

O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) informou que o homem fazia a limpeza do local quando o terçado que ele usava caiu e ao pegar o objeto visualizou o crânio.

Equipes de perícia técnica e do Corpo de Bombeiros foram acionadas para atender a ocorrência. O local foi isolado e o crânio vai ser levado para o Departamento de Polícia Técnico Científica para os procedimentos cabíveis de identificação.

O major Cláudio Falcão, dos Bombeiros, informou que a equipe chegou a fazer buscas no local na tentativa de localizar o restante do corpo, mas nada foi encontrado.

A polícia disse que ainda não é possível dizer de quem seria o crânio. Também não foi encontrada nenhuma outra parte do corpo. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídio e Proteção e à Pessoa.

Continue lendo

CRIME

Após quase 4 anos, suspeito de matar candidato a vereador no Acre é pronunciado a júri popular

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Jocir de Freitas é um dos suspeitos de matar Elivaldo Santana dos Santos em julho de 2016, na zona rural de Porto Acre, interior do estado.

Após quase 4 anos, suspeito de matar candidato a vereador no interior do AC é pronunciado a júri popular — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônica Acre.

Após quase quatro anos, o camelô Jocir Bezerra de Freitas foi pronunciado a júri popular pela morte do candidato do PSDB a vereador Elivaldo Santana dos Santos, morto a tiros em agosto de 2016 na zona rural de Porto Acre, interior do estado.

A decisão de pronunciar o suspeito a júri popular é da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco e ainda cabe recurso. A Justiça decidiu não pronunciar Valdir Valério do Nascimento, apontado na época como o mandante do crime.

O candidato foi morto enquanto saía de casa, no Ramal do Açaí, na Vila do V, zona rural de Porto Acre. Na época, a polícia informou que dois homens em uma moto abordaram o candidato e, após confirmarem o nome, dispararam contra ele. Elivaldo dos Santos chegou a ser socorrido por populares e levado para Rio Branco, mas não resistiu e morreu antes de chegar ao hospital.

As investigações apontaram que Santos foi assassinado em um acerto de contas.

“O júri ia ser em Porto Acre, mas os jurados se sentiram intimidados e foi para Rio Branco e caiu na Vara do Júri”, explicou a juíza Luana Campos, responsável pela 1ª Vara do Tribunal do Júri.

A juíza acrescentou que algumas testemunhas não reconheceram os suspeitos como autores do crime.

“Todas as testemunhas não reconhecerem, o que foi a júri a prova ainda é frágil, mas nesse caso quem vai decidir é o próprio jurado. Não tem como pronunciar o suposto mandante”, reforçou.

A magistrada destacou que vai aguardar os prazos de recursos do Ministério Público do Acre (MP-AC) e da defesa para a decisão da pronúncia transitar em julgado.

“Aí a gente já marca o júri dele. Cabe recurso de ambas as partes”, concluiu.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias