NOSSAS REDES

DENÚNCIA

Em Tarauacá, Roberto Duarte denuncia obra inacabada e descaso com dinheiro público

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Veja o vídeo:

 

Na quinta-feira, 09, o deputado estadual Roberto Duarte (MDB) visitou o município de Tarauacá, interior do Acre. Na ocasião, Duarte participou de reuniões, proferiu palestra numa Sessão Especial na Câmara Municipal, visitou o Hospital Dr. Sansão Gomes e a escola estadual João Ribeiro, concedeu entrevistas nas rádios locais, além de visitar obras públicas concluídas, em andamento, e inacabadas.

Distante 7 km do centro de Tarauacá, o polo moveleiro foi uma das obras inacabadas visitadas por Duarte. Na tribuna na ALEAC, nesta terça-feira, 14, Duarte denunciou o total descaso da obra por parte do poder público.

Veja o vídeo:

Obra aguarda inauguração desde 2011

No ano de 2011, o ex-governador Tião Viana, acompanhado dos ex-secretários de Estado de Floresta, João Paulo Mastrângelo, e de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia, Indústria e Comércio, Edvaldo Magalhães, assinaram uma ordem de serviço para o início das obras da fábrica de compensados em Tarauacá.

Na época, segundo informou a Agência de Notícias do Acre, o empreendimento seria uma parceria entre o governo do Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e visava promover a agregação de valor aos recursos florestais madeireiros do Vale do Juruá.

De acordo com o ex-governador Tião Viana, a iniciativa geraria emprego, renda e a conservação do meio ambiente. Na época Viana afirmou que “O mais importante desse empreendimento é o alcance social que ele tem. Nós vamos ter aproximadamente 600 famílias vivendo da floresta de uma outra forma, com emprego e qualidade de vida. Tudo isso que fazemos agora só foi possível graças ao trabalho dos governadores Jorge Viana e Binho Marques, que nos deram as bases para consolidar a economia florestal do estado do Acre”.

A Agência de Notícias do Acre, naquele ano, divulgou que cerca de 200 empregos diretos e 300 indiretos seriam criados junto com a fábrica.

A área de manejo da madeira seria de 6.500 hectares, o que corresponderia a 15% do que já é explorado em todo o Acre. A indústria de compensado teria 8.400 metros quadrados de área construída e atenderá  todos os requisitos para ser ecologicamente correta: geração de energia elétrica própria, a partir do aproveitamento de resíduos. Serão 5.136 mwh/ano, além de uma estação de tratamento de água e efluentes.

Segundo afirmava o então governo, a fábrica deveria iniciar as atividades em julho de 2011. O investimento é de aproximadamente R$ 19,5 milhões. “A indústria em Tarauacá vai trabalhar em sintonia com a indústria de faqueados em Cruzeiro do Sul. O Vale do Juruá será importante polo produtor e exportador de produtos madeireiros agregados”, disse o então secretário Edvaldo Magalhães.

Por Acre.com.br

ACRE

Com mensalidade de R$ 10 mil, Uninorte é acusada por alunos de oferecer curso de medicina de péssima qualidade

Folha do Acre, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor, do Ministério Público do Acre, publicou portaria instaurando inquérito civil para investigar a notícia que de a faculdade Uninorte vem prestando serviço educacionais aos alunos do curso de medicina de péssima qualidade.
O curso de medicina da Uninorte que possui mensalidade de R$ 10,3 mil reais terá de explicar também junto ao Ministério da Educação e Cultura (MEC) a respeito das denúncias que dão conta que a faculdade prestou péssimos serviços aos acadêmicos do curso de medicina, principalmente aos que se graduaram na primeira turma e que se encontram em período de internato.
Segundo levantamento divulgado pelo site Educa Brasil, a Uninorte cobra uma das mensalidades mais caras do Brasil aos acadêmicos de Medicina, ficando atrás somente da Faculdade São Leopoldo Mandic, em São Paulo, que cobra R$ 12,1 mil a mensalidade do curso.
As denúncias de que a faculdade prestou péssimos serviço de ensino partiu dos próprios alunos que procuraram o MPE para denunciar o caso.
Diante das reclamações, a Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor, comandada pela promotora Alessandra Garcia Maques, determinou que sejam juntados aos autos todos os que instruem a presente investigação e que já se encontram em poder do Ministério Público; que sejam expedidos convites de comparecimento dirigidos à Uninorte, ao CRM e à Sesacre, para que compareçam ao Ministério Público com a finalidade de tratar dos fatos investigados; que e seja expedido ofício imediatamente ao MEC, a fim de informar todos os fatos relatados ao Ministério Público em relação ao curso de medicina ofertado pela Uninorte

Continue lendo

DENÚNCIA

Em Tarauacá, internautas criticam quadra abandonada, e Secretaria Municipal de Esporte se mantém em silêncio

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nas redes sociais, internautas criticam atos de vandalismo e descaso do poder público com quadra de grama sintética, construída com dinheiro público.

“Isso é vandalismo e não culpa da administração“, afirmou um internauta.

Secretaria Municipal de Esportes de Tarauacá não se manifestou sobre as denúncias.

Em Tarauacá, os moradores do Bairro Novo e Copacabana, receberam no dia 27 de fevereiro de 2016, uma quadra de grama sintética. A quadra recebeu o nome do falecido José Luiz de Souza, mas conhecido como “Decão”, um grande desportista de Tarauacá.

Atualmente a quadra “Decão” se encontra subutilizada e com indícios de atos de vandalismo e abandono, tanto por parte da Secretaria Municipal de Esportes, quanto pela comunidade local.

A imagem pode conter: planta e atividades ao ar livre

Semana passada, circularam nas redes sociais, imagens da quadra, e nas fotos percebe-se atos de vandalismo e descuido da própria comunidade, inclusive.

COMUNIDADE LOCAL NÃO CONSERVA

Na época em que a quadra foi entregue, o Erivandro Sobralino, que era presidente da associação dos moradores afirmou compromisso, que iria cuidar da quadra dada à comunidade. O que não foi feito.

OMISSÃO DO PODER PÚBLICO

O poder público municipal, através da Secretaria Municipal de Esportes ou Secretaria Municipal de Administração, não se manifestou quanto às denúncias de descaso envolvendo a quadra, que segundo informações compete ao município manter e conservar.

FALTA DE SENSO DE RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA

O Portal Acre.com.br visitou o local, e constatou que os moradores locais também não zelam pela quadra. Há um forte sentimento e uma forte impressão por parte dos moradores locais que a responsabilidade é exclusiva da Prefeitura. Os moradores não possuem o senso de responsabilidade compartilhada pela conservação da quadra. Não entendem que a população tem o dever de fiscalizar o patrimônio público.

Se a Prefeitura ou a Secretaria de Esportes não cuida, nós também não vamos cuidar. Eles que devem fiscalizar. Lá tem gente que usa até drogas. Nunca veio ninguém da prefeitura aqui ver ou falar com a gente“, disse Henrique Nascimento, de 17 anos, residente nas proximidades da quadra.

O vereador Diógenes Fernandes também denunciou o descaso nas redes sociais, dizendo “Essa é a triste realidade das nossas quadras de Grama Sintética no nosso município“.

No Facebook, o internauta F Salles Ksbtv afirmou “isso é vandalismo e não culpa da administração“.

A imagem pode conter: planta, sapatos, atividades ao ar livre e água

Continue lendo

VOTE NA ENQUETE

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

Fale Conosco