NOSSAS REDES

ACRE

Governador do AC é intimado a depor em operação da PF que investiga desvio de verba pública

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Delegado federal diz que governador e dois secretários foram intimados para explicarem o porquê da nomeação de um homem preso por desvio de verba pública nas eleições.

Foto: Tião Viana foi intimado a depor durante operação da Polícia Federal sobre desvio de fundo eleitoral — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

O governador Tião Viana foi intimado a depor durante a Operação Santinho, deflagrada pela Polícia Federal do Acre nesta terça-feira (11). De acordo com o chefe da delegacia de Defesa Institucional, Eduardo Maneta, Viana e outros dois secretários foram intimados para explicarem o porquê da nomeação de um homem preso por desvio de fundo eleitoral.

Em nota, o governador informou que recebeu a equipe da Polícia Federal em seu gabinete e foi “convidado” a colaborar com a investigação, na Operação Santinhos, como testemunha. Segundo o governo, a equipe da polícia informou que o governador não está sendo investigado.

“Tião Viana se colocou imediatamente à disposição da instituição. O governador, antes da eleição, esteve cinco vezes na Polícia Federal, alertando sobre a violenta compra de votos que estava ocorrendo, inclusive, com envolvimento de organizações criminosas. O governador Tião Viana tem a trajetória na vida pública marcada pela defesa da transparência, da ética e do combate à corrupção”, diz em nota.

Durante a operação, os deputados estadual e federal eleitos na última eleição, Doutora Juliana e Manuel Marcos, ambos do PRB, e mais seis pessoas foram presos. Ao todo, 17 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Thaisson de Souza Maciel, de acordo com a Polícia Federal, foi preso por ser dono de uma empresa fantasma usada para desvios de recursos públicos do fundo partidário e fundo especial de financiamentos de campanha.

Ao todo, a polícia diz que foram desviados mais de R$ 1,5 milhão pelos dois deputados presos com a ajuda de Maciel. Ainda este ano, Maciel foi nomeado na Secretaria de Pequenos Negócios e a mulher dele na Secretaria de Saúde do Acre.

“Foram intimados nesse momento na condição de testemunhas, mas ainda vão ser ouvidos. O governador vem esclarecer os fatos na condição de testemunha, a gente quer saber o motivo da nomeação, isso que a Polícia Federal precisa esclarecer. Os gestores também vão ser ouvidos, justamente para a gente saber quem indicou e se foi o gestor que indicou”, disse o delegado.

Polícia Federal fez operação em Rio Branco nesta terça-feira (11) — Foto: Divulgação/PF-AC

Polícia Federal fez operação em Rio Branco nesta terça-feira (11) — Foto: Divulgação/PF-AC. Por Iryá Rodrigues, G1 AC.

ACRE

Atendimento da OCA em RIO BRANCO-AC deixa a desejar

Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O YacoNews recebeu denúncia de que o atendimento na OCA na Capital de RIO BRANCO-AC, está deixando a desejar, principalmente as pessoas que vao do interior.

Uma estudante formada em 2018 está tentando retirar seu certificado de 2°grau já há algum tempo. Por quatro vezes, com gastos com translado de ída e volta, se dirigiu a OCA e ainda não conseguiu seu certificado validado (com carimbos dos órgãos competentes). Na última ída a OCA, pela 4°vez, recebeu nada mais ou a menos, a simples justificação de que não foi possível confeccionar seu diploma, por conta de que houve um atraso por conta de um feriado, mas que tinha sido agendada sua ída na confirmaçao de receber.

Podemos observar que o setor da OCA nao tem compromisso eficiente com a população, principalmente quem vai do interior. Nisso as pessoas têm despesas com translados, refeições, estadia, perda de tempo… mesmo com agendamento.

Seria viável um setor tão sério como o da OCA, ter mais eficiência com os munícipes vizinhos. E obedecer seu agendamento com êxito, seriedade e compromisso.

YACO NEWS

Continue lendo

ACRE

SENA: Acusado de matar desafeto na frente da mulher e dos filhos é condenado a mais de 32 anos de prisão

Senaonline.net, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Levado a julgamento na última sexta-feira, 20, Fernando Cavalcante da Silva foi condenado a uma pena de 32 anos, 10 meses e 26 dias de prisão. Ele é um dos acusados no assassinato de Tiago Lima de Souza, 30 anos, ocorrido no ano passado em Sena Madureira.
Presidido pelo juiz de direito, Fábio Farias (Vara Criminal), o júri-popular começou por volta de 8 horas da manhã. Ao longo do dia, testemunhas prestaram depoimentos e depois houve o debate entre a promotora Juliana Hoff, do Ministério Público, e o advogado de defesa do réu. Embasada nas provas, a promotora pediu ao corpo de jurados a condenação do acusado.
Conforme o apurado pela Polícia, Tiago Lima de Souza foi morto em maio de 2018, no Bairro da Vitória. Ao menos sete criminosos, entre maiores e menores de idade, arrombaram a residência e executaram a vítima na frente dos filhos e da esposa.
Pelo o que ficou estipulado pela justiça, a pena deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado.

JUSTIÇA DE SENA ATUA COM RIGOR

No decorrer da semana foram realizados no Fórum de Sena Madureira um total de três julgamentos, tratando de crimes contra a vida. Em todos eles os réus foram condenados a penas consideradas expressivas. Isso é a prova inconteste de que, nem a comunidade nem a justiça, não são coniventes com esse tipo de prática.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp WhatsApp Notícias