NOSSAS REDES

ACRE

Igreja no México utiliza Coca-Cola para “purificar a alma”

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Existe uma igreja no México que usa aquela que é provavelmente a bebida mais famosa do mundo para as suas cerimônias religiosas.

Parece brincadeira, mas no estado de Chiapas, no México, existe uma igreja já batizada de “Igreja da Coca-Cola”. Na realidade, o edifício religioso se chama Igreja de São João Batista e fica localizada no município de San Juan Chamula.

De acordo com o Business Insider, a congregação mistura o Catolicismo com uma religião local, em que os fiéis acreditam que o arroto expurga o mal da alma. Não é preciso dizer mais nada, certo? Não há nada melhor do que uma bebida gaseificada para isso.

Há algumas décadas, o líderes da igreja substituíram uma bebida alcoólica tradicional pela famosa bebida norte-americana durante a realização de cerimônias religiosas. Agora, a Coca-Cola também já é usada como decoração (e para fazer curas) na igreja.

A bebida com gás, que gostamos ou odiamos, já faz parte da cultura mexicana de muitas maneiras. O icônico logotipo vermelho com as letras brancas inspira várias coisas no país, tanto seja em sinais de boas-vindas quanto em sinais de fontes escolares. Os pais até dizem aos filhos para beberem Coca-Cola quando estão doentes.

No entanto, nem sempre foi assim, como explica o site norte-americano. A Coca-Cola foi se tornando mais popular no país de forma lenta, sobretudo depois de um dos trabalhadores da empresa no país – Vicente Fox – ter subido nas fileiras corporativas para se tornar presidente da Coca-Cola México e, um dia até, presidente do país.

Fox começou a trabalhar na Coca-Cola em 1964 na parte das entregas. A empresa estava no México há décadas antes de a sua popularidade explodir.

No início dos anos 70, uma campanha internacional a levou às casas de todo o país. Na mesma época, a marca também decidiu patrocinar os Jogos Olímpicos, realizados na Cidade do México, e a Copa do Mundo de Futebol.

Além disso, o México se uniu ao Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta) em 1994, o que fez com que comprar Coca-Cola se tornasse muito mais barato.

Em algumas partes do país, chegou a ser mais fácil e barato comprar a bebida do que água mineral. Muitas comunidades pobres precisavam ingerir calorias, por isso, começaram a beber mais Coca-Cola.

Apesar de ter deixado a empresa em 1979, Fox afirmou que algumas das primeiras doações que recebeu durante sua campanha presidencial foi da empresa norte-americana.

O ex-funcionário foi eleito presidente em 2000 e seu trabalho à frente da presidência deixou muitos mexicanos desapontados (por sua vez, a Coca-Cola “bombou” durante o período).

Atualmente, segundo o Business Insider, um mexicano médio bebe mais de 700 copos de Coca-Cola por ano – quase o dobro do que os americanos bebem. E isso traz pontos negativos: as taxas de diabetes duplicaram no país entre 2000 e 2007. Ciberia // ZAP. Foto: poperotico / Flickr.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat