NOSSAS REDES

TARAUACÁ

‘Marajás da gasolina’: Câmara institui 200 litros mensais de combustível para cada vereador

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Presidente da Câmara de Tarauacá institui cota de 200 litros de combustível para cada vereador.

“Eu apenas legalizei o benefício”, diz presidente da Câmara de Vereadores, Sr. Carlos Tadeu.

A população do município de Tarauacá tem todos os motivos para reclamar dos aumentos constantes nos preços dos combustíveis, o mesmo não se pode afirmar dos vereadores da cidade do interior do Acre, que legislaram em causa própria e através de uma resolução assinada e publicada no Diário Oficial pelo presidente Carlos Tadeu (PCdoB), instituíram uma cota mensal de 200 litros de gasolina para cada um dos 11 parlamentares que trabalham duas vezes por semana.

Vale ressaltar que a Câmara de Vereadores de Tarauacá não possui veículos oficiais. Portanto, os vereadores estariam circulando e realizando tarefas particulares em seus veículos com combustível pago pelo contribuinte. A resolução foi publicada no dia 22 de agosto deste ano, com efeito retroativo a 1o de janeiro, mas de acordo com informações da vereadora Janaina Furtado (REDE), a única que abriu mão da cota, o benefício foi instituído em 2017.

Segundo a resolução, a gasolina recebida pelos vereadores seria utilizada para o cumprimento do mandato. A justificativa do benefício é que os parlamentares da Terra do Abacaxi necessitam de deslocamento para fiscalizar as atividades da prefeita Marilete Vitorino (PSD). O salário de um vereador de Tarauacá estaria em torno de R$ 7 mil, com a cota de gasolina ao preço médio por litro em torno de R$ 5,17 – o acréscimo seria de R$ 1 mil na remuneração dos parlamentares.

As vereadores Janaina Furtado e Veinha do Valmar (PDT) votaram contra a cota de gasolina, mas apenas Janaina protocolou ofício abrindo mão dos 200 litros de combustível. A criação do benefício coloca em xeque a cruzada anticorrupção que a maioria vereadores estaria travando com a prefeita. Eles aprovaram um pedido de investigação da gestora que é acusada de quebrar a hierarquia na transmissão do cargo e irregularidades nos repasses de recursos para Câmara Municipal.

Carlos Tadeu afirma que resolução foi recomendação do TCE

O presidente da Câmara de Vereadores de Tarauacá, Carlos Tadeu, procurou a reportagem para falar sobre a resolução aprovada no mês de agosto, que institui a cota de 200 litros de gasolina para os parlamentares do município. De acordo com Tadeu, “sempre existiu a cota de manutenção dos mandatos dos vereadores”. Ele afirma que apenas legalizou o benefício que sempre foi usados para fiscalizar ações da prefeitura e atender demandas nas comunidades.

Ele afirma ainda que uma consulta para verificar a legalidade da cota de combustível foi realizada junto ao Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCEAC), em 2016, pelo então presidente Ezi Aragão, que manteve os pagamentos. “Sempre existiu a cota de manutenção dos mandatos. Não tem nenhum vereador que não precisa disso. Acredito que o único vereador que não precisa foi quem denunciou. Todos os vereadores emitem seus relatórios sobre o uso do combustível em motor de rabeta, caminhão, carro de passeio ou moto”.

Carlos Tadeu destaca que na sua passagem pela presidência também fez uma consulta ao Tribunal de Contas. O TCE recomendou que os vereadores aprovassem uma resolução para se resguardarem. “Não fui eu quem criou a cota de combustível, ela já existia aqui, como em várias outras câmaras municipais. Apenas fizemos nossa parte de procurar as instituições de controle para verificar a legalidade. Eu cogitei em cortar, mas os vereadores protestaram”.

O vereador comunista acredita que a denúncia é um tipo de retaliação por ele recebido uma denúncia contra a prefeita Marilete Vitorino e ter aprovado, em plenário, a criação de uma comissão de investigação das supostas irregularidades cometidas pela gestora municipal. “Foi por isso que veio esse contra-ataque para tentar intimidar os vereadores, mas nós não vamos baixar a cabeça, nós vamos aceitar as denúncias e investigar se procedem ou não”, finaliza Carlos Tadeu.

A vereadora Janaina Furtado (REDE) abriu mão da cota de gasolina. Com informações: Ac24horas.

Prefeitura de Tarauacá se manifesta, e publica Nota

Em resposta a uma matéria publicada em um site, em que a Prefeita de Tarauacá  Marilete Vitorino foi citada, seguem os seguintes esclarecimentos:

A Prefeita Marilete Vitorino, esclarece a população de Tarauacá, que em relação às declarações feitas pelo Presidente da Câmara de Vereadores ao site AC24HORAS, citando uma possível retaliação a denúncia recebida naquele órgão, à mesma menciona que não tinha informações quanto a Resolução publicada em Diário Oficial do Estado, e, portanto, uma vez publicado se torna público, qualquer cidadão pode fazer suas criticas ao poder público, assim, como a Prefeitura de Tarauacá estará sujeita a mesma situação, a Prefeita menciona que sua responsabilidade com a Câmara de Vereadores é apenas o repasse financeiro  obrigatório, a qual criteriosamente vem realizando mês a mês dentro da data prevista.

Quanto aos gastos e a forma não cabe a ela decidir. Dessa maneira, ao processo instaurado no âmbito daquele órgão é de responsabilidade deles, assim, como cabe à pessoa da Prefeita esclarecer transparência de seus trabalhos qualquer órgão fiscalizador ou a qualquer cidadão.

A Prefeita renova sua confiança junto à população de Tarauacá em levar a melhor transparência pública aos munícipes. Por Assessoria de Comunicação.

POLÍTICA

TRETA: Em Tarauacá, vereadora Veinha compara vereadores a “merda”, e Dólar esculacha pelo Whatsapp; ouça áudios

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Em Tarauacá, o clima esquenta na política. São incontáveis fatos diários que ninguém dar conta. Nesta quinta-feira, 09, o babado foi forte não só em Tarauacá, mas “em todo o Acre e Região”, como diz o web-repórter Chiquinho R7. Prisões ocorreram em vários municípios do Acre, resultado da Operação Mitocôndria, e com isso políticos e população em geral ficaram com ânimos exaltados.

Em Tarauacá, os ânimos na Casa de Leis estremeceram desde ontem. Mas não foi devido nenhuma prisão, foi em razão de um comentário (nada elegante!), proferido por uma representante do povo. 

Após o site Acre.com.br publicar matéria anunciando que a prefeita Marilete iria efetivar a doação de merenda escolar às famílias de alunos carentes,  com base na Lei Federal nº 13.987/2020, que modificou o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que autorizou a doação de merenda escolar durante o período da pandemia do Covid-19, a parlamentar mirim Nerimar Cornélia de Jesus Lima, vulgo “Veinha”, comparou os demais colegas, nobres e honrados parlamentares,  ao substantivo feminino “MERDA”.

Foi isso mesmo, caro leitor, a vereadora chamou os nobres pares de “MERDA”.

No grupo de WhatsApp denominado “Câmara de Tarauacá 2020”, cujos membros são apenas os vereadores de Tarauacá, a parlamentar mirim Veinha afirmou “Acabei de crê que nos vereadores e merda é a mesma coisa kkkkk“. 

O colega, nobre vereador Francisco Diógenes Leão Fernandes, popular “Dólar”, muito querido na cidade pela juventude, imediatamente respondeu às ofensas indignas da parlamentar mirim, dizendo “Desculpas vereadora, mas você está sendo mais que infeliz no seu comentário, não generalize as coisas, fale por si. Jamais irei admitir que outro parlamentar compare minha pessoa, muito menos meu mandato com MERDA“, respondeu o nobre parlamentar, em tom de reprovação ética contra a conduta da colega de Câmara. 

Esse tipo de ofensa ética, segundo o Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Tarauacá, sujeita a vereadora à processo de cassação por falta de decoro ético. Porém, o Presidente da Câmara José Gomes “Raquel”, não fará isso, por temer represálias, e porque a vereadora compõe a Mesa Diretora; ou seja, é protegida da Casa. 

Mas a treta não parou por aí! O imbróglio, treta forte, vazou do grupo de Whatsapp dos vereadores, com áudios e tudo mais.

Em um dos áudios o nobre parlamentar Francisco Diógenes Leão Fernandes esculacha geral. Ouça abaixo:

Em seguida, a vereadora mirim “Veinha”, se retrata, pedindo desculpas. Mas a treta continua. Ouça o áudio:

O assunto viralizou nas redes sociais, um membro de grupo de Whatsapp, fez duras críticas contra a parlamentar. Ouça o áudio:

 

 

 

Continue lendo

POLÍCIA

VÍDEO: Alan Monteiro, apadrinhado de vereador Radamés Leite, é preso na Operação Mitocôndria

Acjornal, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Alan Monteiro é um militante político aliado do vereador Radamés Leite (PSB de Tarauacá) e defensor do deputado estadual Manoel Morais em Tarauacá, também do PSB. Em 2019, ganhou um cargo no Governo do Estado, uma CEC-5, com salário mensal de R$ 5.376,00 (cinco mil, trezentos e setenta e seis reais), para trabalhar na Secretaria Estadual de Educação e Esporte, no governo Gladson Cameli, chancelada pela família Leite.

A portaria foi assinada pelo governador em exercício Major Rocha, conforme Diário Oficial do dia 31 de julho de 2019, edição nº 12.605, fls. 08 e 09, com salário de R$ 5.376,00 mensais.

CECS

Monteiro foi lotado na chefia do Setor Estadual de Merendas em Tarauacá, e era o responsável pelo recebimento e distribuição dos itens entregues pelas empresas vencedoras das licitações. Empresas, cujos proprietários estão sob investigação de corrupção.

Nesta quinta-feira, 09, a Polícia Civil procedeu à prisão de Alan em sua residência pelos supostos crimes de peculato e furto de merenda escolar, dentre outros, e apreendeu em flagrante vários itens da merenda escolar, que estavam ocultos na residência, como açúcar, papel higiênico, e outros itens alimentícios.

 

Foto de capa: Foto pública [reprodução Facebook. 09/04/2020].

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias