NOSSAS REDES

BRASIL

Mega-Sena de R$ 170 milhões pode render R$ 629 mil ao mês na poupança

G1, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Mega-Sena está acumulada há treze concursos e pode pagar um prêmio de R$ 170 milhões para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.149. O sorteio acontece excepcionalmente nesta terça-feira (7), às 20h (horário de Brasília), no espaço Loterias Caixa no Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo (SP).
Caso apenas um ganhador leve o prêmio de R$ 170 milhões na poupança, poderá receber mais de R$ 629 mil por mês, considerando o rendimento líquido mensal atual da aplicação, que é de 0,37%.

Sorteios extras

Nesta semana, a Mega-Sena terá sorteios extras especiais por conta do Dia das Mães, comemorado no próximo domingo – a chamada “Mega-Semana das Mães”. Por isso, o concurso 2.149 será sorteado nesta terça, o concurso 2.150 na quinta-feira (9) e o concurso 2.151 no sábado (11). As regras e estrutura de premiação continuam as mesmas, com mudança apenas no número e dias dos sorteios.

Retirada do prêmio

Para receber o prêmio, é preciso ir a qualquer casa lotérica credenciada ou nas agências da Caixa. Quando o prêmio líquido é superior a R$ 1.332,78 (bruto de R$ 1.903,98), o ganhador deve resgatar o pagamento somente nas agências da Caixa. Já valores iguais ou maiores de R$ 10.000,00 são pagos dois dias depois da apresentação do ganhador em uma agência do banco.
Os prêmios podem ser sacados num prazo de 90 dias. Após esse prazo, os valores são repassados ao tesouro nacional para aplicação no FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). Desde a criação da Mega-Sena, em 1996, mais de R$ 1,2 bilhão deixaram de ser resgatados, segundo dados da Caixa.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.
Pela internet também é possível adquirir combos. São seis opções que inclui várias modalidades. Na seleção do combo, o apostador pode escolher entre visualizar os números selecionados em cada aposta ou o formato “Surpresinha”, no qual o sistema escolhe aleatoriamente os números da aposta, quando da sua efetivação. O valor mínimo para apostar na internet é de R$ 30 e o máximo de R$ 500 por dia.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.
Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Comentários

Comente aqui

BRASIL

Luxímetro: como recorrer de multa por uso equivocado de insulfilm?

Você já ouviu falar sobre o luxímetro? Esse dispositivo, também conhecido como “medidor de luz” tem se tornado mais conhecido no Brasil nos últimos tempos, especialmente em alguns estados, já que passou a ser utilizado no trânsito, como forma de intensificar a fiscalização quanto ao uso de Insulfilm.

O Insulfilm é, basicamente, a película protetora instalada sobre os vidros dos veículos. Tais películas desempenham inúmeras funções, como, por exemplo, controlar a entrada de raios ultravioleta no veículo e mesmo intensificar a resistência dos vidros, evitando estilhaçamento em caso de acidentes.

Para aplicar o Insulfilm, é preciso obedecer a uma série de normas estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN). Caso contrário, o proprietário do veículo poderá ser penalizado com multas e pontos na CNH.

Neste artigo, além de explicar melhor o que é o luxímetro no trânsito, vamos detalhar quais são as normas para o uso de insulfilm automotivo. Siga a leitura e evite cometer uma infração pelo mau uso das películas para vidros!

O que é o luxímetro no trânsito?

O luxímetro surgiu há muito tempo, no início do século XX. No entanto, seu uso vem sendo variado e, hoje, ele passou a fazer parte do trânsito como um aparelho para fiscalizar se as películas dos vidros obedecem às normas vigentes.

O luxímetro, na prática, serve para medir a iluminância de um determinado lugar ou, em termos menos técnicos, a quantidade de luz dentro de um local ou superfície. No trânsito, para que esse aparelho possa ser usado, é necessário que esteja com o certificado de verificação em dia e que a medida utilizada como medição seja o percentual.

Para medir, coloca-se um emissor fixado na parte interna do vidro do veículo. Enquanto isso, o receptor fica na parte externa, alinhado ao emissor. Quando acionada a função “medir”, o luxímetro, então, verificará e informará a porcentagem de transmitância luminosa, ou seja, o quanto de luz consegue passar pelo vidro (indo do emissor para o receptor).

Como usar Insulfilm dentro da lei?

Você não sabe quando será parado por um agente de trânsito para que seja feita uma verificação das películas aplicadas no vidro do seu veículo. Por isso – e também para evitar colocar em risco a sua segurança, ao instalar insulfilm que influencia na sua visibilidade como condutor –, conhecer as normas sobre o uso dessas películas é fundamental.

No Artigo 111, o CTB estabelece que:

 “Art. 111. É vedado, nas áreas envidraçadas do veículo:

(…)

III – aposição de inscrições, películas refletivas ou não, painéis decorativos ou pinturas, quando comprometer a segurança do veículo, na forma de regulamentação do CONTRAN.

(…)”.

Nesse artigo, vimos que está proibido o uso de qualquer película que, por algum motivo, prejudique a visão do condutor. Ainda assim, é preciso estar atentos também ao que diz o CONTRAN, na Resolução 254, que esclarece qual luminosidade as normas de trânsito consideram apropriadas. Vejamos:

 “Art. 3º A transmissão luminosa não poderá ser inferior a 75% para os vidros incolores dos para-brisas e 70% para os para-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à dirigibilidade do veículo.”

Depois de ler o que diz o Art. 3º da Resolução acima, vale destacar que os vidros considerados indispensáveis à dirigibilidade são a área do para-brisa e as áreas envidraçadas das laterais dianteiras.

Quais as penalidades para quem usar Insulfilm fora dos padrões permitidos?

De acordo com o Artigo 230 do CTB, conduzir veículo com os vidros cobertos por películas refletivas ou que estejam em desconformidade com as normas do CONTRAN é uma infração grave e a penalidade é a multa, além de gerar cinco pontos na CNH. A medida administrativa é a retenção do veículo para que ele possa ser regularizado.

É importante ressaltar que seguir as normas de trânsito não é apenas uma forma de evitar ser multado, mas, ao mesmo tempo, de evitar quaisquer atitudes que sejam arriscadas e coloquem a segurança em xeque.

No entanto, sem a informação necessária, acabamos cometendo infrações sem estarmos cientes disso. Se isso aconteceu com você e recebeu uma autuação por usar Insulfilm de maneira equivocada, saiba que tem o direito de entrar com recursos.

Para recorrer, contar com a orientação de especialistas é um enorme diferencial, já que são levados em consideração vários aspectos, como os técnicos (as condições do luxímetro, por exemplo) e as especificidades de cada etapa.

As etapas para recorrer podem ser até três: a defesa prévia, o recurso na JARI (se a defesa for indeferida) e o recurso no CETRAN (se o recurso na JARI for negado). Embora possa parecer, entrar com recurso não é algo tão complexo e, além disso, é um direito de todo brasileiro. Pense nisso!

Para receber as orientações de acordo com o seu caso, entre em contato com a equipe Doutor Multas pelo e-mail ([email protected]) ou pelo telefone 0800 6021 543!

Continue lendo

BRASIL

Milhares vão às ruas em todo país para apoiar Bolsonaro e seu governo

Acrenoticias.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ao menos 12 estados e o Distrito Federal registraram neste domingo (26) atos em favor do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Os grupos que tomam as ruas defendem propostas como reformas ministeriais e da previdência, além do pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro.
Até 12h30 (Brasília) já haviam começado atos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Acre, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso e Paraná, além do Distrito Federal.
No Rio, orla de Copacabana é palco dos manifestantes
No Rio de Janeiro, por volta das 11h (Brasília) milhares de pessoas tomavam a orla de Copacabana no ato em apoio ao presidente, que se espalhou por sete quarteirões da Avenida Atlântica. Os manifestantes usavam, em maioria, roupas com as cores e a bandeira do Brasil.
Na altura do posto 5, diversos carros de som se concentraram, assim como na região da rua Xavier da Silveira. Em seus primeiros momentos, o ato em favor do presidente no Rio de Janeiro acontecia de maneira pacífica.
Além do ato na capital, ainda foram registrados atos em Resende, Volta Redonda e Três Rios no sul do Estado. No interior, ainda de manhã, manifestantes se reuniram próximos à Igreja Nossa Senhora do Rosário, no BR 101.
Já no Norte Fluminense, pessoas se reuniram em Macaé, cerca de 5 mil, e em Campos dos Goytacazes, cerca de 200. Os atos ocorreram pela manhã.
Enquanto grupos de direita se reuniam na manhã deste domingo (26) na praia de Copacabana para manifestar apoio a Jair Bolsonaro (PSL), o presidente compareceu a um culto na Igreja Batista Atitude, no Recreio dos Bandeirantes.
Bolsonaro está no Rio desde sábado (25), quando desembarcou na cidade para ir à cerimônia de casamento do seu filho, o deputado federal Carlos Bolsonaro (PSL-SP).
O presidente chegou à igreja por volta de 11h. Foi muito aplaudido por cerca de 3.800 fiéis. O culto foi ministrado pelo pastor Josué Valandro Júnior, líder da igreja frequentada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro.
“A nossa bandeira jamais será vermelha”, cantaram, em uma referência ao PT.
Em Brasília, manifestantes exibem cartazes de apoio à reforma da Previdência
Muitos dos apoiadores vestem camisas da seleção brasileira e trazem cartazes em apoio à reforma da Previdência e ao projeto de lei de endurecimento de penas do ministro Sergio Moro, o chamado pacote anticrime.
O centrão também é um dos alvos dos manifestantes. De um dos carros de som em frente ao Congresso, um dos organizadores do ato gritou: “Fora centrão, bando de ladrão.”
Outro manifestante trouxe uma faixa acusando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de “boicote” às reformas do governo Bolsonaro.
“Maia & centrão & esquerdistas & MBL boicotam as reformas de crescimento do Brasil”, diz a faixa.
Em Belo Horizonte, manifestantes criticam STF e centrão
“Se gritar pega centrão, não fica um meu irmão”, “não é corte, é contingência”, “Brasil acima de tudo, STF abaixo de todos” e “respeitem meu presidente” são algumas das frases nas faixas exibidas na praça da Liberdade, em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.
Manifestantes já enchiam o local antes mesmo do horário marcado para o protesto a favor do governo de Jair Bolsonaro (PSL).
Em um carro de som, um organizador diz que o ato começaria às 10h30 e que os manifestantes farão uma contagem até 17. Na hora do 13 (número do PT), a ordem é que fiquem todos calados. Na hora do 17, os manifestantes soltarão balões verde e amarelo.
Camisetas do Brasil e com as cores verde e amarelo são a marca do protesto até aqui. As bandeiras do Brasil aparecem na forma tradicional, mas também estão sendo vendidas com escudos dos times de futebol Cruzeiro e Atlético-MG.
O ato a favor do governo Bolsonaro terminou com a saída dos carros de som, por volta das 13h30. Manifestantes queriam seguir, mas do alto do carro de som avisaram que o tempo contratado havia terminado.
Segundo organizadores, cerca de 30 mil pessoas se reuniram na praça da Liberdade neste domingo (26). A Polícia Militar não passa estimativas.
Com o começo da dispersão, alguns carros seguiram dando voltas na praça. Um deles liderou uma multidão ao som do hino nacional -tocado vários vezes durante o ato.
Outro, alternava músicas conhecidas da época de campanha como “O mito chegou” com “Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe Moro”, no tom de cantos de estádios de futebol.
Ao fim do ato, alguns manifestantes seguem na praça da Liberdade.
Em Belém, PM estima 15 mil manifestantes
A Polícia Militar estimou entre 10 mil a 15 mil os manifestantes que foram às ruas em Belém em ato a favor do presidente Jair Bolsonaro. A frente Endireita Pará, responsável pela organização do protesto, disse que 20 mil teriam participado.
Após concentração na Escadinha do Comércio, os participantes percorreram por três horas as avenidas Presidente Vargas, Nazaré e Doca de Souza Franco, no Umarizal, onde o ato dispersou, por volta das 12h30.
O ato não teve registros de ocorrências ou confrontos. Durante a caminhada, os participantes oraram e cantaram o Hino Nacional e o jingle da campanha de Bolsonaro à presidência.
Em cartazes caseiros, faixas pintadas e plotagens, mensagens davam apoio à Reforma da Previdência, às políticas anticrime de Sérgio Moro e também pediam apoio do Congresso Nacional às propostas de Bolsonaro.

Yahoo notícias

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

Fale Conosco