NOSSAS REDES

CORONAVÍRUS

No Acre, evangélicos pedem a volta de cultos com apenas 30% dos fiéis, durante pandemia de Covid-19

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Cultos estão suspensos desde decreto governamental que proíbe aglomerações. Ameacre diz que encontros religiosos são essenciais neste momento; governo avalia.

Capa: Durante pandemia de Covid-19, evangélicos propõem volta de cultos com apenas 30% dos fiéis no AC — Foto: Divulgação/IBB.

As igrejas evangélicas do Acre já estão ensaiando retomar as atividades religiosas em meio à pandemia do coronavírus. Para evitar aglomeração e manter o distanciamento, a Associação dos Ministros Evangélicos do Acre (Ameacre) estuda fazer escalas de cultos e reduzir em 30% a quantidade de fiéis nas igrejas.

As atividades religiosas, incluindo cultos, missas, procissões e qualquer outra, estão suspensas desde o dia 20 de março, quando o governo determinou a suspensão dos serviços não essenciais como combate à Covid-19.

No último dia 17, o governador Gladson Cameli prorrogou, até o dia 4 de maio, o decreto que suspende as atividades não essenciais. Porém, a abertura de bares, boates e igrejas só deve ocorrer a partir do dia 30 de maio.

Com isso, a presidência da Ameacre está em tratativa com o governo do Estado para que os encontros religiosos voltem a acontecer.

Porém, a porta-voz do governo, Mirla Miranda, disse que ainda não há nada confirmado e nem definido sobre o possível retorno.

“Estamos tentando verificar se nossa ajuda nesta situação traz resultados positivos. A princípio, entendemos toda preocupação do governo e somos parceiros nesse sentido. Todo mundo foi pego de surpresa e precisávamos que o povo fosse educado na prevenção e passamos a produzir cultos on-line”, explicou o pastor e presidente da Ameacre, Paulo Machado.

O pastor frisou que os cultos e celebrações religiosas são necessidades humanas sociais que ajudam tanto no psicológico como no bem estar espiritual das pessoas.

“Tem que ter a preocupação psicológica e espiritual. Se não tiver harmonia nessas coisas não tem uma sociedade próspera. A igreja exerce esse papel de manutenção, portanto, esse serviço precisa ser intensificado à medida que se prolongue a quarentena, evitamos um problema e damos oportunidade para outros”, argumentou.

Na segunda-feira (27), o Acre ultrapassou o número de 300 infectados pela Covid-19. A quantidade de mortos pela doença subiu de 11 para 14 no estado.

Retorno de cultos

Para esse possível retorno, Machado garantiu que todos os cuidados com o distanciamento, higienização, uso de máscaras e os demais para evitar a proliferação do coronavírus serão tomados.

A sugestão também inclui as igrejas realizarem mais de um culto por dia para atender todos os fiéis.

“Nossa ideia seria culto com número de pessoas reduzido, com apenas 30% da capacidade do espaço, onde tinha 100 cadeiras deixa só 30 respeitando o espaçamento, evitando que o grupo de risco participe; ter circulação de ar; higienização e fiscalização do pessoal que vai entrar. A direção da igreja faz dois cultos, aquele pessoal que não conseguiu entrar no primeiro culto volta no segundo. Com isso, vai revezando dentro e não vai ficar lotado”, destacou.

Mesmo com as sugestões, Machado diz que aguarda o posicionamento do governo e que não há pressão para reaberturas. Ele ressaltou que tudo deve ocorrer com segurança e cuidados para priorizar a saúde das pessoas

“Estamos solidário com o governo para observar a escala de aumento de casos. Precisamos de segurança para isso. Queremos fazer do serviço, mas precisa de segurança. Estamos conseguindo controlar e o número de contaminação está dentro do esperado? Estamos esperando os relatórios. A decisão é do governo e não existe pressão nesse sentido, mas muita consciência e o desejo de a gente vencer isso junto”, concluiu.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat