NOSSAS REDES

CORONAVÍRUS

Coronavírus: O contrabando de equipamentos médicos falsificados 

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O escritório antifraude da União Europeia disse hoje que está trabalhando com os escritórios nacionais de alfândega para interromper a importação de equipamentos médicos falsos de coronavírus, dando o passo excepcional de divulgar um novo caso.

A agência, conhecida como OLAF, disse que estava perseguindo itens fraudulentos usados ​​para combater o vírus, incluindo máscaras, desinfetantes, dispositivos médicos e kits de teste. O OLAF disse que os produtos, que podem ser ineficazes e perigosos, estão sendo vendidos a preços muitas vezes normais e sua importação envolve fraude alfandegária.

“Os fraudadores são atraídos por lucros ilícitos potencialmente enormes”, disse a agência, destacando máscaras temáticas “Frozen 2” para crianças que “estão sendo contrabandeadas sem piedade”. A declaração do OLAF incluía imagens de máscaras falsas com embalagens para consumidores em coreano e aquelas marcadas com “Made in China”.

O OLAF disse que os produtos falsificados são geralmente encomendados on-line e entram na Europa “em contêineres com certificados falsos, ou declarados como outros produtos, e depois chegam aos canais normais de distribuição ou são vendidos no mercado negro”. Antes das proibições recentes de viagens, segundo o OLAF, muitos produtos também eram contrabandeados para a Europa em malas.

A agência da UE normalmente revela suas investigações após a conclusão de ataques ou casos. Está trabalhando com as autoridades aduaneiras nacionais dos países membros da UE para coordenar e apoiar seus esforços de combate ao contrabando.

“É muito incomum informarmos sobre um caso logo após abri-lo, mas, dada a atual situação extraordinária da pandemia do Covid-19, acreditamos que as pessoas precisam saber que existem tentativas de importar e vender todos os tipos de produtos falsificados “, afirmou o director-geral do OLAF, Sr. Ville Itälä.

Por Daniel Michaels, WSJ.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat