NOSSAS REDES

CRIME

Em Tarauacá, pai (que cometeu suicídio) voltou atrás e não permitiu aborto de filha grávida aos dez anos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Depois de três dias de conversa com os médicos de maternidade, pai da menina não autorizou interrupção da gravidez. Criança mora na cidade de Tarauacá com o pai e uma irmã de 12 anos.

O pai de uma menina que engravidou aos dez anos e que foi levada a uma maternidade de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, para fazer um aborto não autorizou a interrupção da gestação.

O diretor do hospital de Cruzeiro do Sul, Rafael Gomes, disse que a garota, que está grávida de cinco meses, deu entrada na unidade de saúde com o pai. Mas, depois de três dias de conversa com a equipe médica, o homem voltou atrás e não quis que a filha fizesse a cirurgia. Ainda não se sabe quem engravidou a menina.

O caso surpreendeu os médicos e está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar, pelo Tribunal de Justiça e pelo Ministério Público do Acre (MP-AC). A investigação é da Polícia Civil de Tarauacá, cidade onde a menina vive com o pai e uma irmã.

O Conselheiro Tutelar de Tarauacá, Antônio de Souza Castro, disse que o pai da menina assinou o documento autorizando o aborto, mas depois teria relatado que foi forçado a assinar. “Ele não foi forçado, ele foi orientado dos riscos e levou 24 horas para assinar esse documento, por isso que deu esse protocolo, essa demora, ele não queria assinar no primeiro dia.”

O G1 não conseguiu contato com o pai da criança.

Procurado pelo G1, o delegado de Tarauacá, Cleber Gnatta, disse que não vai comentar o assunto por se tratar de estupro de vulnerável. A reportagem também entrou em contato com o MP-AC, por meio da assessoria de imprensa, e com a Vara do município. Os dois órgãos informaram que não vão comentar o caso, porque ele corre em segredo de Justiça.

“Conversamos com ele [o pai da menina], que passou pela nossa equipe multidisciplinar, composta por assistente social, psicóloga, médico ginecologista e, então, ele desistiu de fazer o aborto legal. Foi dada assistência a essa criança, que tem realmente dez anos, e ao bebê que ela espera”, disse o diretor do hospital.

Rafael afirmou ainda que a menina passou por exames médicos que constataram que ela e o bebê também estão bem de saúde.

“Demos assistência específica para ela e encaminhamos novamente para Tarauacá, com a condição de que ela seja acompanhada, tanto na parte da atenção primária, quanto na atenção secundária até ela completar as 34 semanas”, disse Gomes.

O diretor da maternidade explicou que, como a menina é muito nova, a opção nesses casos é que o bebê seja retirado antes de a gravidez chegar a 41 semanas.

“Ela, com 34 semanas, deve retornar para Cruzeiro do Sul para que a gente possa fazer a cirurgia cesária, e tentar fazer com que aconteça tudo da melhor forma possível. Como ela tem uma idade bem inferior à de outras grávidas, até mesmo para a gente ter uma segurança maior para a criança e para o bebê que ela espera, o procedimento deve ser esse,” esclareceu.

A história veio à tona depois de uma postagem da vereadora de Tarauacá Janaína Furtado (Rede). “Estarei acompanhando o desfecho desse caso que só nos entristece”, escreveu ela.

Menina foi levada para a maternidade de Cruzeiro do Sul — Foto: Adelcimar Carvalho/G1

Menina foi levada para a maternidade de Cruzeiro do Sul — Foto: Adelcimar Carvalho/G1.

Menina tem epilepsia e recebe apoio psicológico

O Conselheiro Tutelar de Tarauacá, Antônio de Souza Castro, disse foi informado do caso pelo hospital do município, no início de dezembro. Segundo ele, a menina, que completou dez anos em março deste ano, passou a receber apoio psicológico.

Segundo o Conselho Tutelar, a mãe da menina vive em um seringal na cidade de Jordão.

“Aconteceu o fato, encaminhamos para a Justiça, MP, delegacia, o que estava à altura do Conselho Tutelar nós fizemos. Agora, ela recebe atendimento psicológico”, explicou Castro.

O conselheiro afirma que houve um pedido da Justiça para que os médicos avaliassem os riscos da gestação.

O juiz pediu para os médicos darem um parecer, orientaram o pai sobre o risco que uma criança de dez anos corre no estado de gestação. Encaminharam para Cruzeiro para a obstetra fazer novas avaliações porque, em caso de abuso sexual, estupro, o aborto é garantido por lei“, disse.

O conselheiro diz que a criança tem epilepsia e que o hospital de Tarauacá não tem estrutura necessária para atender o caso.

Corre o risco, porque ela tem epilepsia. Tarauacá não tem estrutura para um parto como esse. Ela será acompanhada, vai fazer o pré-natal no posto de Saúde e depois volta para Cruzeiro do Sul para a fazer o parto“, explicou. Colaboraram Dayane Leite e Glédisson Albano, da Rede Amazônica Acre. Por Janine Brasil, G1 AC.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Pingente de prata com símbolo do Espírito Santo salva homem de tiro fatal, no Santa Helena

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Um verdadeiro milagre foi vivido por Remilson Queiroz Júnior, de 32 anos, ferido a tiros no início da noite desta segunda-feira (10) na capital e salvo de um tiro fatal no peito por um pingente de prata com símbolo do Espírito Santo. O crime aconteceu na rua Santa Helena, no bairro Santa Helena, região do Segundo Distrito de Rio Branco.

Por volta das 18h a providência divina resolveu agraciar e dar mais uma chance a Remilson Queiroz que foi atingido com quatro tiros enquanto caminhava em via pública na rua Santa Helena. O homem teria sido mais uma vítima fatal dessa guerra desenfreada entre as organizações criminosas, se não fosse por um detalhe, a medalha que ele carregava no peito.

Segundo informações da Polícia repassadas a reportagem do ac24horas, dois homens não identificados, em uma motocicleta, tentaram contra vida de Júnior.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, prestou os primeiros atendimentos e conduziu a vítima ao Pronto Socorro de Rio Branco em estado de saúde estável.

Policiais Militares estiveram no local, colheram as características da dupla na motocicleta e em seguida fizeram patrulhamento na região em busca de prender os faccionários, mas ninguém foi encontrado.

O caso segue sob investigação dos Agentes de Polícia Civil da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Continue lendo

CAPA

Suspeito do caso Marielle é morto pela polícia na Bahia

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A driano Magalhães da Nóbrega, ex-policial do Bope e foragido da polícia por ser um dos suspeitos do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, foi morto neste domingo 09 pela polícia baiana. As informações são da Secretaria de Segurança Pública do estado. 

 

Segundo nota divulgada pela SSP, o miliciano carioca, apontado como um dos líderes do “Escritório do Crime” no Rio de Janeiro, localizava-se escondido na cidade de Esplanada e estava sendo monitorado por equipes de inteligência da polícia. No momento da prisão, porém, a SSP alega que houve troca de tiros.

“No momento do cumprimento do mandado de prisão ele resistiu com disparos de arma de fogo e terminou ferido. Ele chegou a ser socorrido para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos. Com o foragido foi encontrada uma pistola austríaca calibre 9mm. Vasculhando outros cantos da casa os policiais encontraram mais três armas.”, diz a SSP.

De acordo com o divulgado, estavam presentes equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Litoral Norte, do Grupamento Aéreo (Graer) e da Superintendência de Inteligência (SI) da Secretaria da Segurança Pública.

Recentemente, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, deixou o nome de Nóbrega de fora da lista de criminosos mais procurados do País. A polícia baiana divulgou que procura sempre “apoiar as polícias dos outros estados”, e que decidiu priorizar o caso por ser de “relevância nacional”. “Buscamos efetuar a prisão, mas o procurado preferiu reagir atirando”, comentou o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa. Por Carta Capital 

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias