NOSSAS REDES

Segurança Pública

Polícia Militar prende suspeito de homicídio ocorrido no bairro Belo Jardim II

Lilia Camargo/ASCOM SEJUSP, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Em uma ação rápida, logo após um homicídio ocorrido na tarde desta sexta-feira (08), na região do bairro Belo Jardim II, policiais militares do Segundo Batalhão, prenderam um dos suspeitos de participar do crime e ainda recuperaram uma motocicleta com restrição de roubo. Anderson da Rocha Santos foi preso no bairro Rosalinda e o comparsa continua sendo procurado.

A vítima fatal Leuoneudo Rodrigues da Silva, estava em frente a um bar de sua propriedade, na companhia de um amigo, quando Anderson e o comparsa se aproximaram em uma motocicleta. Armado o comparsa que estava na garupa, efetuou os disparos.

Leuoneudo morreu ainda no local e o amigo Joaquim Alves de Lima foi encaminhado para atendimento em uma unidade hospitalar. Os militares tão logo fizeram a coleta de informações com as testemunhas, conseguiram localizar o suspeito pela roupa, que confessou participação no crime e ainda mostrou o local onde estaria escondida a moto usada na ação. Os militares chegaram a procurar o comparsa em endereços citados por Anderson mas, ainda não foi localizado e continua sendo procurado.

A motocicleta apreendida era roubada e foi levada para a Delegacia de Flagrantes (Defla), juntamente com o suspeito para os devidos procedimentos cabíveis. O inquérito ficará sobre responsabilidade da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (Dhpp).

Segurança Pública

Segurança Pública irá notificar comerciantes que descumprirem decreto

Agência de Notícias GOV/AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na tarde desta sexta-feira, 20, o Governo do Estado lançou um decreto no Diário Oficial do Estado com uma série de medidas de prevenção ao coronavírus. Dentre as medidas está a suspensão de toda a atividade em estabelecimentos comerciais, exceto os de primeira necessidade.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública, estará orientando sobre a importância das medidas estabelecidas no decreto, bem como fiscalizando as áreas comerciais da capital para assegurar que estão cumprindo com as medidas.

Comércios deverão ter suas portas fechadas por 15 dias, contando da data desta sexta, 20. Foto: Neto Lucena/Secom.

Comércios deverão ter suas portas fechadas por 15 dias, contando da data desta sexta, 20. Foto: Neto Lucena/Secom.

De acordo com o secretário Paulo Cézar Santos, por uma questão de organização e prevenção ao coronavírus, o estabelecimento que estiver em atividade descumprindo o decreto será notificado. “Nós estamos realizando um trabalho de fiscalização integrado das polícias militar e civil e o estabelecimento que se encontrar aberto, a Polícia Civil irá notificar, determinando o fechamento do local sob pena de responder por crime de desobediência”, explicou.

Disque-Denúncia

A população também poderá contribuir com o trabalho de fiscalização da Segurança Pública para manter o cumprimento das medidas citadas no Decreto 5496, utilizando o Disque-Denúncia 181.

De acordo com o coordenador do Disque-Denúncia, delegado Mardilson, a ferramenta vai estar inteiramente disponível para esse tipo de denúncia durante a suspensão dos serviços comerciais citados no decreto e alertou sobre o uso indevido de outros números emergenciais. “É importante ressaltar que a população não utilize o 190 para esse fim, pois o congestionamento dessa linha prejudica os serviços cotidianos e emergenciais que já são direcionados a esse número. Portanto denúncias sobre o descumprimento do decreto, o telefone  a ser utilizado é o 181”, frizou.

Das exceções

Não se  incluem  na  suspensão  prevista  no decreto: os estabelecimentos  médicos,  hospitalares,  laboratórios  de  análises  clínicas, farmacêuticos,  farmácias  de  manipulação,  psicológicos,  clínicas  de  fisioterapia  e vacinação  humana,  além  dos  serviços  de  delivery  de  alimentação  e  medicamentos.

As  empresas  que  participem  em  qualquer  fase  da  cadeia produtiva  e  de  distribuição  de  produtos  de  primeira  necessidade  para  população deverão  manter  suas  atividades,  tais  como  distribuidoras,  revendedoras  ou indústrias  de  alimentos,  medicamentos,  produtos  de  limpeza  e  higiene,  água,  gás, postos  de  combustíveis,  padarias,  conveniências,  supermercados,  mercadinhos, minibox  e  congêneres. Com informações: Agência de Notícias do Acre. 

Continue lendo

Cruzeiro do Sul

Pais acusam maternidade de Cruzeiro do Sul de negligência após morte do 1º filho durante parto

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Criança foi retirada no último dia 20 em uma cirurgia na maternidade de Cruzeiro do Sul. Para os pais, o filho morreu porque passou do tempo de nascer.

Foto de capa: Maternidade da Mulher e da Criança do Juruá, em Cruzeiro do Sul. 

Os pais do pequeno Abner de Lima Bezerra estão inconformados com a morte do filho. A criança nasceu morta de um parto cesárea feita no último dia 20 na maternidade de Cruzeiro do Sul, interior do Acre. Para a família, a morte do menino foi causada por negligência médica.

A reportagem entrou em contato com a direção da unidade de saúde, mas não obteve resposta.

Ao G1, o pai da criança e caminhoneiro, Lázaro da Silva Bezerra disse que já procurou uma delegacia da Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência pela morte do filho. Porém, devido ao feriado do carnaval foi aconselhado a retornar na quinta-feira (27).

“Foi negligência deles, porque fizemos pré-natal e tudo certo, fomos uma semana antes fazer um ultrassom e era para ter visto. Não sabiam ao certo quanto tempo ela estava. Vou procurar meus direitos porque foi negligência deles. Foi erro deles, porque viram que o menino estava passando da hora, não é normal o menino nascer de 42 semanas”, criticou.

Parto

Bezerra disse que procurou a unidade de saúde com a mulher Lucimeire Silva de Lima, no sábado (15). Lucimeire fez um exame de ultrassom e foi encaminhada para casa.

“Fomos de novo no dia 20 quando ela sentiu muita dor. Ela com dor, mas as enfermeiras dizendo que ia nascer, até que perceberam que não ia nascer de parto normal e chamaram o médico. Ele já nasceu morto, reanimaram, mas a pediatra disse que foi tirado morto”, relatou o pai.

Quando o médico chegou, Bezerra disse que as enfermeiras foram chamadas a atenção porque a criança estava passando do tempo de nascer. Então, Lucimeire foi levada para a sala de cirurgia.

“O médico disse que tinha que ser cesárea, que não ia ser de parto normal. Ainda deu ‘carão’ na enfermeira que estava cuidando dela e ela sentindo muita dor, o que não era normal. O médico falou que corria risco dela e do bebê morrerem. Eu, como pai de primeira viagem, sem saber o que fazer, sem reação, só vendo ela sofrendo com dor”, disse.

Lucimeire contou que fez o pré-natal em um posto do município. Ela revelou que depois que foi aconselhada a retornar para casa, no sábado (15), já passou a perder sangue e líquido.

“Disse que tinha perdido o tampão, que já tinha ido no sábado. Mandaram eu ir para casa e perguntei se era normal estar perdendo líquido. Fiquei uns dias em casa, o tampão saindo com mistura de sangue, sentia uma forte dor na virilha, mas aguentava”, acrescentou.

Ansiosa para segurar o primeiro filho nos braços, Lucimeire se disse revoltada com a morte da criança. “Me levaram para sala de cirurgia já nas últimas, tiraram ele e não vi mais nada. Tem muitos casos ali que as crianças passam do tempo de nascer. A maioria nasce antes ou depois, tem muita reclamação”, concluiu.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias