NOSSAS REDES

ACRE

Prefeitura de Tarauacá promete processar site Ac24horas por publicar fake news

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A matéria foi amplamente replicada em inúmeros sites e viralizou na internet. Sentença condenatória foi em desfavor de DERACRE e Estado do Acre, e não Prefeitura.

A Prefeitura do município de Taraucá publicou Nota Pública, neste final de semana, esclarecendo que irá ajuizar ação judicial contra o site de notícias Ac24horas, em razão de publicação de matéria jornalística intencionalmente errada, ou fake news.

Segundo informações internas, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura estaria colhendo as provas, salvando cópias das publicações da matéria no site e redes sociais, bem como verificando outros sites que fizeram a replicagem da falsa matéria.

Entenda o início de tudo:

O Juízo da Vara Cível de Tarauacá garantiu que um ciclista receba R$ 10 mil pelos danos morais sofridos após cair em buraco por falta de sinalização. A sentença foi publicada na edição n°6.171 do Diário da Justiça Eletrônico, de quarta-feira (8).

“A deterioração da camada asfáltica ou a proliferação de buracos, irregularidades, reentrâncias, bueiros abertos ou salientes e outras irregularidades nas vias públicas de passagem de veículos e de pedestres caracterizam omissão desidiosa do Poder Público, que responderá pelos danos que ocorram em razão dessas irregularidades”, registrou o juiz de Direito Guilherme Fraga.

Em outubro de 2014, a autora Processo n°0700516-45.2014.8.01.0014 vinha pela BR 364 e alegou que por falta de sinalização e iluminação caiu em uma cratera, oriunda de desbarrancamento na ponte sobre o Rio Tarauacá. Segundo a autora, por causa do acidente tem dificuldades na movimentação de um dos braços e sofre de fortes dores de cabeça.

SENTENÇA CONDENATÓRIA CONDENA ESTADO DO ACRE E DERACRE

Na sentença, o juiz de Direito Guilherme Fraga, que estava respondendo pela unidade judiciária, constatou a responsabilidade tanto do DERACRE, quanto do Estado do Acre pelo ocorrido, o primeiro pela má prestação do serviço na manutenção da ponte e o segundo por não fiscalizar a realização do serviço.

Na época do fatos, a competência pela manutenção da BR-364 cabia ao Estado do Acre, e a sinalização e manutenção da ponte, ao DERACRE.

Clique aqui, para entender a condenação do Estado do Acre e DERACRE. Clique aqui para ler a Sentença.

FAKE NEWS

O site Ac24horas publicou matéria fake news no seu site, na internet, e inúmeros sites replicaram a matéria, que viralizou na internet e redes sociais (clique aqui ou aqui para ler a fake news).

A fake news publicada também viralizou na página no Facebook.

A notícia falsa também repercutiu nas redes sociais, porque foi publicada na fan-page do site, no Facebook, e teve 222 reações, 40 comentário e 41 compartilhamentos, até a data de hoje (13.08.18, às 09:40hs).

Vários usuários comentaram e fizeram o compartilhamento da matéria no Twitter, Facebook, Pinterest, e outras redes sociais. Além de mais de 20 sites de notícias, que publicaram o conteúdo.

O site Ac24horas até o momento não publicou retratação, e a matéria permanece ativa em mais de 20 sites de notícias do Acre, além da rede social.

Leia a Nota Pública da Prefeitura de Tarauacá:

NOTA DE ESCLARECIMENTO PÚBLICO

Mais uma vez, a Administração Municipal vem a público com o triste objetivo de desmentir matéria equivocada, desta vez publicada pelo site www.ac24horas.com, que inclusive deverá ser acionado na Justiça brevemente para responder judicialmente pela publicação errônea e divorciada de profissionalismo.

Na referida matéria, há a menção feita pelo site de que “Prefeitura de Tarauacá terá que pagar R$ 10 mil para ciclista que caiu em buraco”, vale ressaltar que o fato ocorreu na BR364, cabeceira da ponte. Portanto de competência do Estado e não do Município, estando assim a matéria jornalística sido baseada em fatos inexistentes.

Ademais a Prefeitura não se encontra no polo passivo da ação como se fosse requerida, mas sim os condenados que  foram o Estado do Acre  e DERACRE, tendo a referida ação ajuizada em 2014.

Acreditamos que o jornalista, ao produzir uma matéria sem se inteirar de todos os fatos, e procurar fazer proselitismo politico com fatos que não conhece, presta um péssimo serviço à população ou a quem lhe encomendou a matéria.

Acre.com.br

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat