NOSSAS REDES

Economia e Negócios

Receita Federal investiga a Coca-Cola por fraude no faturamento com xarope

PUBLICADO

em

Auditores da Receita Federal apuram se fabricante de refrigerantes se vale de vantagens fiscais da Zona Franca.

A Receita Federal abriu uma investigação para apurar se a Coca-Cola está superfaturando seus produtos para ampliar seu lucro na Zona Franca de Manaus, onde fica sua fábrica.

https://f.i.uol.com.br/fotografia/2018/07/08/15310188655b417e718ef35_1531018865_3x2_rt.jpg

Essa averiguação ocorre em um momento em que as remessas da subsidiária brasileira para os EUA subiram quase R$ 1 bilhão entre 2016 e o ano passado.



Desde 2015, o fisco americano cobra da Coca US$ 3,3 bilhões (R$ 13 bilhões) em royalties devidos por sete países, incluindo o Brasil.

A Coca-Cola já foi notificada pela Receita. A empresa nega qualquer irregularidade.

Pessoas que acompanham a investigação afirmam que a Coca-Cola está na mira dos auditores porque há a suspeita de que a subsidiária tenha se valido das vantagens fiscais da Zona Franca e superfaturado a venda de seu concentrado (xarope) para os envasadores instalados fora da região.

Pelas regras tributárias em vigor até maio deste ano, a cada R$ 100 vendidos em concentrado, os envasadores geravam R$ 20 em créditos fiscais, que podem ser usados para abater Imposto de Renda e CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido).

Na investigação, executivos da Coca-Cola têm de explicar por que a fabricante vende o quilo do xarope por cerca de R$ 200 se exporta o produto por aproximadamente R$ 20.

Essa situação já foi questionada pelos concorrentes da empresa que têm acesso ao sistema de exportação gerenciado pelo Ministério de Indústria e Comércio Exterior.

Como boa parte dos envasadores pertence à própria Coca-Cola, a suspeita é que ela estaria reduzindo ao mínimo o pagamento de impostos e deslocando para o balanço de sua fábrica, na Zona Franca, o lucro do grupo.

Essa alta ao longo dos anos teria permitido remessas mais significativas para a matriz.

A Folha apurou que as remessas da subsidiária brasileira à matriz passaram de R$ 1,5 bilhão, em 2016, para R$ 2,4 bilhões, em 2017.

No entanto, o volume de vendas não aumentou na mesma proporção, o que reforçou as suspeitas da Receita.

Desde 2015, Coca-Cola e IRS (Internal Revenue Service) discutem o pagamento da pendência tributária de US$ 3,3 bilhões. Em 1996, ambos tinham firmado um acordo que estabelecia parâmetros de cobrança de royalties.

Mas o fisco dos EUA considerou que a Coca-Cola cobrou menos do que deveria pelo direito de fabricação e venda da bebida no Brasil, Chile, Costa Rica, Egito, Irlanda, México e Suíça entre 2007 e 2009.

Sozinha, a Coca ou envasadores ligados a ela geram cerca de 60% de todos os créditos de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) da Zona Franca de Manaus.

Em 2016, o setor de bebidas gerou R$ 2 bilhões em créditos na região. Após pagar R$ 767 milhões em IPI, as empresas ficaram com R$ 1,2 bilhão para compensar tributos.

Ou seja, o setor gera mais créditos do que o que precisa pagar efetivamente de imposto.

Para tentar corrigir essa distorção, a equipe econômica reduziu a alíquota de IPI de bebidas de 20% para 4%.

A medida foi parte da compensação à redução de impostos sobre o diesel, negociada durante a paralisação dos caminhoneiros, em maio.

O setor pressiona os senadores para restabelecer a alíquota de 20%.

Não há qualquer ilegalidade na geração de créditos.

O problema, ainda segundo quem acompanha as investigações, está no possível superfaturamento do produto.

Se isso for confirmado, a Coca-Cola será autuada e terá de devolver os impostos devidos.

OUTRO LADO

A Coca-Cola negou veementemente as supostas irregularidades. Por meio de sua assessoria, a empresa disse que, de acordo com a legislação brasileira, os benefícios fiscais não são passíveis de serem remetidos ao exterior e devem, obrigatoriamente, ser reinvestidos no Brasil.

“Atuamos há 76 anos no Brasil e há 28 anos na Zona Franca de Manaus sempre em cumprimento com a legislação em vigor, comprovada por auditorias externas anuais e dos órgãos concessores”, disse.

A Coca-Cola ainda criticou a carga tributária brasileira.

“O setor de bebidas não alcóolicas do Brasil conta com a maior carga tributária da América Latina”, afirmou.

Segundo a empresa, o percentual atual de tributos sobre refrigerantes é de 43% –em média, o dobro dos demais países da região.

“Anualmente, a indústria de refrigerantes gera R$ 10 bilhões em tributos”, afirmou.

A Coca-Cola informou ainda que a cobrança do fisco americano não tem mérito e que planeja tomar todas as medidas administrativas e judiciais para resolver essa pendência.

A Receita não quis comentar o caso. Por Júlio Wiziack e Maeli Prado.

BOA SORTE

Abraçando a nova regulamentação: Ebdox recebe licença MSB dos EUA

PUBLICADO

em

Recentemente, a tão atenta exchange de criptomoedas Ebdox anunciou oficialmente que obteve com sucesso a licença de Serviços Monetários (MSB) emitida pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, especificamente pela Rede de Execução de Crimes Financeiros (FinCEN). Esta conquista importante não apenas marca um avanço significativo para a Ebdox em termos de operações em conformidade, mas também estabelece uma base mais sólida para o seu crescimento estável no mercado de criptomoedas.

No atual cenário de crescente prosperidade no mercado de criptomoedas, as agências reguladoras estão aumentando suas exigências para a normalização do mercado. Desde sua fundação, a Ebdox tem respondido ativamente às tendências globais de regulamentação financeira, comprometendo-se a fornecer um ambiente de negociação mais seguro e em conformidade para os usuários. Ao obter a licença MSB dos EUA, a Ebdox está agora mais capacitada a oferecer uma variedade de serviços financeiros, incluindo troca e negociação de ativos digitais, em conformidade com as diretrizes regulatórias, atendendo assim às diversas necessidades de serviços de ativos criptográficos dos usuários.



A capacidade da Ebdox de obter a licença MSB dos EUA é resultado de sua filosofia operacional consistente em conformidade e de sua estratégia proativa. Como um dos pioneiros da conformidade na indústria, a Ebdox sempre considerou a conformidade como sua principal prioridade de desenvolvimento, garantindo que todas as operações comerciais estejam em conformidade com os padrões internacionais de Prevenção à Lavagem de Dinheiro (AML) e Conheça seu Cliente (KYC), através do estabelecimento de rigorosos sistemas de controle interno e processos de gestão de riscos.

O compromisso da Ebdox com a conformidade é evidente em cada detalhe de suas operações diárias. A empresa montou uma equipe profissional composta por especialistas em direito financeiro, analistas de conformidade e especialistas em segurança tecnológica, responsáveis por monitorar as últimas tendências regulatórias, avaliar os riscos de conformidade potenciais e desenvolver estratégias de resposta apropriadas. Além disso, a Ebdox fornece treinamento regular de conformidade para seus funcionários de serviço relacionados, a fim de melhorar sua consciência e habilidades operacionais em conformidade.

A Ebdox reconhece que a conformidade não se trata apenas de seguir regras, mas também de uma atitude de responsabilidade para com os usuários e a sociedade. Com o contínuo desenvolvimento do mercado de criptomoedas, a operação em conformidade tornou-se um requisito essencial para o desenvolvimento da indústria. Como participante da indústria, a Ebdox continuará a responder ativamente às últimas exigências regulatórias, melhorando constantemente seu nível de conformidade e contribuindo para o desenvolvimento saudável do setor. Ao mesmo tempo, a Ebdox continuará a fortalecer sua colaboração com as agências reguladoras globais para promover conjuntamente a normalização e o desenvolvimento sustentável da indústria de criptomoedas.

Isenção de responsabilidade:

Este artigo tem natureza promocional e destina-se a fornecer informações gerais sobre os serviços de um cyptocurrency exchange. Investir online pode acarretar riscos significativos, especialmente se não tiver experiência prévia neste tipo de operações.

Antes de tomar qualquer decisão de investimento, recomenda-se vivamente que procure aconselhamento profissional e realize uma investigação aprofundada. Lembre-se de que o seu capital está em risco e pode perder mais do que originalmente investiu. Não invista dinheiro que não pode se dar ao luxo de perder. Os investimentos online não são adequados para todos os investidores. Por favor, compreenda completamente os riscos antes de investir

Continue lendo

Economia e Negócios

Sistema de operações em conformidade atualizado, Ebdox estabelece novo padrão de transações seguras

PUBLICADO

em

Recentemente, a exchange Ebdox anunciou a conclusão de uma importante atualização em seu sistema de operações em conformidade, marcando um avanço significativo em sua conformidade e estabilidade no mercado global de ativos digitais. Com essa atualização no sistema de conformidade, a Ebdox não apenas atende melhor às exigências de várias agências reguladoras em todo o mundo, mas também proporciona um ambiente de negociação mais seguro e transparente para os investidores.

De acordo com informações, a atualização em conformidade da Ebdox abrange vários aspectos, incluindo o reforço do sistema de controle interno, a otimização do mecanismo de negociação e o aumento da segurança dos fundos dos clientes, alcançando plenamente os mais recentes padrões internacionais e recebendo reconhecimento das autoridades reguladoras, com a emissão de uma licença MSB pelo órgão regulador financeiro dos Estados Unidos.



No que diz respeito ao sistema de controle interno, a Ebdox introduziu sistemas avançados de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, monitorando e avaliando as transações em tempo real para garantir sua legalidade e conformidade. Ao mesmo tempo, otimizou proativamente seu modelo de negócios e estratégias operacionais para garantir a conformidade contínua com as leis e regulamentos de todos os países.

Quanto ao mecanismo de negociação, a Ebdox realizou uma atualização completa em seu sistema de negociação, melhorando a eficiência e a estabilidade das transações. Ao introduzir algoritmos de negociação e tecnologias mais avançados, a Ebdox assegura a equidade e transparência das transações, prevenindo manipulações de mercado e flutuações de preços anormais. Além disso, foram estabelecidos diversos planos de contingência para lidar com vários riscos de mercado, garantindo uma proteção mais abrangente dos interesses dos usuários.

No que diz respeito à segurança dos fundos dos clientes, dentro do novo sistema de operações em conformidade, a Ebdox adotou múltiplas tecnologias de criptografia e medidas de segurança para garantir a segurança e privacidade dos fundos dos usuários. Através de parcerias com instituições financeiras de renome, a Ebdox oferece aos usuários serviços de recarga e retirada seguros e convenientes, proporcionando uma experiência de negociação de criptomoedas mais tranquila aos usuários.

Hoje, em um mercado de criptomoedas cada vez mais maduro, a operação em conformidade tornou-se um fator-chave para a sobrevivência e o desenvolvimento das exchange. Através da constante atualização de seu sistema de operações em conformidade, a Ebdox não só oferece um ambiente de negociação mais seguro e confiável para os usuários, mas também estabelece um novo padrão de transações seguras para toda a indústria. Temos motivos para acreditar que, com o impulso de exchange de alta qualidade como a Ebdox, o mercado de criptomoedas terá um futuro ainda mais promissor.

Continue lendo

Economia e Negócios

Equipe de investimento de primeira linha aparece novamente, revelando suas atividades de negociação interdiária

PUBLICADO

em

Equipe de investimento de primeira linha aparece novamente, revelando suas atividades de negociação intermediária

Os recursos são sempre limitados e geralmente permanecem nas mãos de poucos. A lógica das negociações pode ser constantemente inovada para alcançar conclusões superiores, mas o que não pode ser mudado é a mentalidade do próprio trader. Segundo a Financial Weekly, a equipe de investimento liderada por Carlos Oliveira, em colaboração com instituições renomadas no mercado, comprou ações da AHEB3 a R$ 21,85 em 17 de maio e vendeu a R$ 24,68 em 20 de maio, obtendo um lucro de 13% no day trading. Este é um marco recente de sucesso em operações de day trading abertas ao público. De acordo com os jornalistas, esta é a sétima vez que Carlos Oliveira aparece no radar dos investidores neste ano. O plano “Expresso da Riqueza” realizado no ano passado aumentou ainda mais a sua reputação e respeito entre os investidores.



Continue lendo

MAIS LIDAS