NOSSAS REDES

ACRE

Reclassificada de fase, Rio Branco publica decreto com setores que podem reabrir na pandemia

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Todas as regionais do Acre estão na fase de alerta sinalizada pela cor laranja. Prefeitura autorizou abertura de lojas, shopping, salão e hotéis seguindo protocolos.

CAPA: Reclassificada de fase, Rio Branco publica decreto com setores que podem reabrir durante pandemia — Foto: Marcos Vicenti/Arquivo pessoal.

Após Rio Branco mudar da situação de emergência para a de alerta, sinalizada pela cor laranja, a prefeitura publicou um decreto que orienta o protocolo de reabertura do comércio na capital acreana.

No decreto publicado na edição desta terça-feira (21) do Diário Oficial do Estado (DOE), a prefeitura de Rio Branco traz um manual com a lista dos setores que estão autorizados a abrir na faixa laranja e determina os protocolos e critérios.

Na segunda avaliação do Pacto Acre Sem Covid, feita entre os dias 5 e 18 de julho, o comitê que acompanha os casos nas cidades acreanas anunciou que todo Acre passou para a fase de alerta, representada pela cor laranja. O anúncio foi feito na tarde dessa segunda-feira (20) pela equipe do governo do estado.

As fases são definidas por bandeiras: a vermelha é de emergência e as demais fases do planejamento são: alerta, simbolizada pela cor laranja; atenção, pela cor amarela e cuidado na cor verde.

O que pode reabrir

Para elaboração do manual, a prefeitura de Rio Branco seguiu determinação do decreto estadual, que define as regras para reabertura dos setores em cada uma das quatro fases.

Na fase laranja, lojas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, áudio, vídeo e colchoarias podem reabrir seguindo protocolos sanitários: a capacidade limitada a 30% do total, além de delivery e drive-thru.

Também podem reabrir as lojas de materiais de construção, empresas e obras do ramo da construção civil e demais estabelecimentos como olaria, cerâmicas, serraria, marcenarias marmoraria seguindo os protocolos de 30% da capacidade e todas as medidas de distanciamento e higienização.

Bares também podem funcionar nessa fase, mas, exclusivamente, com atendimento delivery ou drive thru. A medida também vale para os restaurantes, pizzarias, lanchonetes, sorveterias e similares que também podem funcionar somente com delivery e/ou drive-thru.

Escritórios e atividades do ramo imobiliário podem voltar, porém com agendamento prévio limitado a uma pessoa por vez.

As concessionárias e lojas de automóveis e motocicletas, oficinas mecânicas, serviços de manutenção veicular em geral, lojas de autopeças estão autorizadas a reabrir nesta fase, mas com com capacidade limitada a 30% do total para visitação e agendamento prévio.

O shopping, galerias e centros comerciais podem voltar também com capacidade limitada a 30% do total, além de delivery, drive-thru e pague-leve. A prefeitura proibiu o funcionamento da praça de alimentação e áreas recreativas.

Os salões de beleza, clínica de estética e similares estão na lista dos setores autorizados a reabrir as portas, porém com capacidade limitada a 30% do total e com agendamento.

No caso dos hotéis, pousadas, motéis e similares podem voltar com capacidade limitada a 30% do total, mas está proibida a utilização das áreas de uso coletivo, como restaurantes, academias, clubes e piscinas.

Comércio de rua e ambulantes em geral e feiras livres pode voltar seguindo protocolos sanitários, barreira física, marcação horizontal e serviço de pague-leve.

Setores que não podem voltar

A prefeitura determinou que os espaços públicos, como parques, quadras poliesportivas, campos de futebol comunitário, espaços destinados para atividades físicas e similares, que ocasionem aglomeração de pessoas, não estão autorizados a reabrir nesta fase.

Os teatros, cinemas e apresentações culturais também não podem voltar a funcionar. Assim como os eventos religiosos em templos ou locais públicos, de qualquer credo ou religião, inclusive reuniões de sociedades ou associações sem fins lucrativos.

As academias de ginástica, clubes esportivos e de lazer e similares também fazem parte da lista dos que não podem voltar.

Centros e escolas de formação e capacitação, estúdios de dança, escolas/estúdios de música, centro de formação de condutores de veículos automotores e similares continuam com as atividades suspensas. Assim como os eventos, feiras, seminários e congressos.

Covid-19 em Rio Branco

Com pouco mais de 407 mil habitantes, a capital acreana registra a maioria dos casos de Covid-19 do estado. Segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), divulgado nesse domingo (19), Rio Branco tem 8.438 casos da doença. Em todo Acre são 17.462 casos.

Do total de 465 mortes causadas pelo novo coronavírus, a maior parte também se concentra em Rio Branco, com 312 óbitos e uma taxa de letalidade de 3,7.

No ranking da incidência da doença, a capital aparece em 7º lugar, com uma taxa de 207 casos para cara 10 mil habitantes. Os municípios de Assis Brasil e Bujari apresentam as maiores incidências do estado com 330 e 282,5 para cada 10 mil habitantes, respectivamente.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat