NOSSAS REDES

História

Reconhecimento de paternidade muda história de família acreana; após 17 anos, pai volta a conviver com seus três filhos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Audiência de conciliação realizada na Vara de Registros Públicos da Comarca de Rio Branco motivou mais uma aproximação real, impactando positivamente o relacionamento familiar.

O reconhecimento de paternidade espontânea muitas vezes muda a história de uma família. No caso do Horácio e seus três filhos, a audiência de conciliação é o marco de uma aproximação real, que tem impactado positivamente esses relacionamentos.

Após a averbação, os documentos de Joarlison, Joab e Guilherme foram encaminhados para atualização no cartório. Depois de 17 anos afastados, o pai voltou a morar no Acre. Inclusive, Guilherme, o filho mais novo, decidiu trabalhar junto com ele na agricultura, e seguem morando juntos.

“Toda a vida eles foram meus filhos, mas agora está no papel também”, enfatizou Horácio.

Documento com espaço em branco

A ex-companheira de Horácio registrou os três filhos sem o nome do pai. Segundo ela, a decisão foi necessária, já que ele tinha ido embora e os meninos que tinham 2, 7 e 8 anos de idade estavam sem documentos.

“Uma vez recebi uma carta da escola dos meus filhos falando da importância do reconhecimento de paternidade”, narra sua história. “Só que eu não sabia do paradeiro do Horácio e assim não era possível realizar o reconhecimento”, conclui.

Ele tinha ido embora para São Paulo. Então, quando houve os primeiros contatos, o pai combinou com os filhos de vir até Rio Branco. Segundo os rapazes, uma das primeiras afirmações é que ele iria registra-los.

Para a promessa ser cumprida, todos combinaram de ir até o Fórum Barão de Rio Branco, onde sedia a Vara de Registros Públicos e lá os vínculos foram legitimados.

A assistente social Ana Paula Paiva, que foi responsável pelo atendimento e por intermediar a conciliação, ressalta que esse foi um dia de resgate da história familiar. Já o juiz de Direito Edinaldo Muniz, que homologou o registro de paternidade, assinala a importância do Programa Pai Presente.

 “A forma mais eficaz de resolver amigavelmente uma paternidade é no Programa Pai Presente. Não é cobrada nenhuma taxa e também não precisa de advogado ou defensor público. Além disso, tudo é feito de maneira muito rápida”, explicou. Gecom TJAc.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat