NOSSAS REDES

CRISE

Reportagem completa: Regime Maduro impede entrada de ajuda e distúrbios deixam mortos e feridos; veja vídeo

Folha de São Paulo, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Cúcuta (Colômbia) , Pacaraima (Roraima) e Brasília.
Foto de capa: Pessoas retiram suprimentos de caminhão incendiado na ponte Santander, entre Colômbia e Venezuela.

Em uma demonstração de força, o regime do ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, impediu neste sábado (23) a entrada de toneladas de alimentos, remédios e itens de primeira necessidade enviados pelos EUA pelas fronteiras de Brasil e Colômbia. 

Confrontos ocorreram nas fronteiras com os dois países, quando caminhões e manifestantes tentaram romper os bloqueios militares para fazer entrar a ajuda humanitária. Segundo Bogotá, os distúrbios deixaram 285 feridos, sendo 255 venezuelanos e 30 colombianos. 

À noite, Brasil e Colômbia retornaram os caminhões para seus respectivos territórios.

Em Santa Elena, cidade fronteiriça, três morreram neste sábado (23) no hospital da cidade, segundo funcionários de saúde venezuelanos. Outros quatro baleados cruzaram a fronteira e foram enviados a Boa Vista.

Na sexta, uma mulher venezuelana já havia morrido em confronto com militares. Já são 13 manifestantes transferidos para o Brasil para atendimento médico.

No final do dia, opositores que se concentravam do lado brasileiro entraram em confronto com militares venezuelanos na divisa. 

A confusão começou após manifestantes colocarem fogo em um prédio que estava sendo usado como base pelas forças de Maduro.

Os militares reagiram jogando gás lacrimogêneo, enquanto os manifestantes lançaram coquetel molotov. Um manifestante foi socorrido.

Dois caminhões colombianos foram queimados em pontes ligando Cúcuta, na Colômbia, a Ureña, na Venezuela. Eles estavam em uma caravana de quatro veículos, de um total de 14, que tentaram seguir viagem depois que os manifestantes romperam uma barreira da Guarda Nacional Venezuelana. 

Veja fotos:

Uma multidão tentou retirar as caixas dos caminhões enquanto o fogo destruía os carregamentos. 

Na ponte Simón Bolívar, o principal ponto de acesso dos venezuelanos a Colômbia, os confrontos duraram algumas horas. 

Os opositores de Maduro atacaram com paus e pedras, e os militares reagiram disparando balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e tiros para o alto. Paramilitares conhecidos como “colectivos” abriram fogo contra os manifestantes. 

“Com pedras será impossível”, contava um jovem com o rosto coberto que tentava atacar as tropas venezuelanas por baixo da ponte.

“O regime usurpador se vale dos atos mais vis e tenta queimar um caminhão com ajuda humanitária que se encontra em Ureña. Nossos valentes voluntários estão fazendo uma corrente para proteger a comida e os remédios”, escreveu em uma rede social o líder oposicionista Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por cerca de 50 países. O vídeo abaixo mostra os veículos em chamas.

Veja o vídeo:

Apesar de algumas deserções de soldados e oficiais de baixa patente —60, segundo a agência migratória colombiana—, as Forças Armadas da Venezuela se mantiveram coesas e agiram com força.

Do lado brasileiro, a chegada de duas camionetes foi acompanhada pelo chanceler Ernesto Araújo e pelo encarregado de negócios dos EUA no Brasil, Willian Popp.

Em entrevista na Polícia Federal em Pacaraima, Araújo disse que não há uma “linha vermelha” que possa interromper a continuidade da operação. “Só se o caminhão quebrar.”

“Vamos continuar com o plano original de que os caminhões entrem na Venezuela para que a distribuição seja feita do lado de lá. É uma questão de tempo.”

A representante de Guaidó no Brasil, María Teresa Melandria, culpou Maduro por ter conseguido reunir apenas duas camionetes. “Os caminhoneiros foram ameaçados de perder a licença e os caminhões e levá-los presos”, disse.

O fracasso da operação é uma dura derrota para Guaidó, que contava com fazer com que os militares desobedecessem a Maduro e deixassem a ajuda passar.

No dia anterior, deputados venezuelanos exilados afirmavam que um “tsunami” de pessoas iria abrir caminho para o comboio humanitário.

“Nós vamos atravessar, acredite, haverá tanta gente, tanto povo, que os soldados não impedirão nossa passagem”, dizia a deputada Gaby Arellano.

Veja o vídeo:

Relações diplomáticas

Em discurso diante de uma multidão em Caracas, o ditador Nicolás Maduro anunciou neste sábado (23) o rompimento de relações diplomáticas com a Colômbia e deu às representações do país vizinho o prazo de saída de 24 horas. 

Sob a presidência de Iván Duque, a Colômbia foi país que atuou de forma mais consistente para pressionar o regime venezuelano com a entrega dos mantimentos.

Sobre Duque, Maduro disse: “Parece que ele tem cachinhos mas, eu diria ‘você é o diabo’. E você vai se arrepender de se meter com a Venezuela”.

“Maduro não pode romper relações diplomáticas que a Colômbia não tem com ele”, afirmou a vice colombiana, Marta Lucía Rodríguez.

Veja o vídeo:

“Nosso governo não indica embaixador para lá nem reconhecemos o embaixador de Maduro, pois seu mandato terminou no dia 9 de janeiro. É um simples ditador que ocupa por força o Miraflores.”

Maduro também fez referências ao Brasil. “Mandei uma mensagem. Estamos dispostos, a comprar todo arroz, todo leite em pó, toda a carne. Mas pagando. Não somos mau pagadores. Nem mendigos.”

Em nota, a Presidência da República afirmou que “a participação do governo brasileiro foi exitosa em reunir e transportar as doações até o destino de distribuição.”

AFP e Reuters

ACRE

Em Tarauacá, sem Samu, idosa é levada em pau-de-arara até UTI aérea, e morre; veja vídeo

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Veja o vídeo:

Sem Samu, idosa é levada em pau-de-arara até UTI aérea e morre dias depois em hospital no AC

Vítima de um infarto, a mulher morreu quando era atendida em Rio Branco. Família vai denunciar o caso.

Foto de capa: Após infarto, mulher é levada até UTI aérea em pau-de-arara e morre dias depois. Mulher foi carregada na carroceria de caminhão até aeroporto da cidade — Foto: Ducivan Bezerra/Arquivo pessoal.

Há 14 dias, a família da idosa Francisca Oliveira, de 76 anos, tenta se conformar com a morte dela. O caso se torna ainda mais grave porque a família acredita que houve negligência no atendimento à idosa que morreu vítima de um infarto.

Veja o vídeo (Chiquinho R7).

Vídeo: https://www.facebook.com/chiquinho.tk

A denúncia é comprovada por um vídeo que mostra Francisca sendo transportada do Hospital Dr. Sansão Gomes, em Tarauacá, no interior do Acre, até o aeroporto da cidade, de onde seria transferida para a capital Rio Branco em um pau-de-arara. Isso porque, segundo a família, não havia ambulância para levar a paciente até a UTI aérea.

A mulher morreu vítima de infarto no dia 5 de fevereiro quando estava já na capital. A família da idosa acredita que o óbito ocorreu por causa do transporte inadequado que teria piorado o quadro da de Francisca que sofreu um infarto.

A família disse que vai denunciar o caso. “Os médicos vieram para levar a mãe e quando chegaram no hospital, estava aquele carro lá. O sol estava muito quente e o estado que ela tava, na carroceria do carro, o trajeto longo e a cidade toda esburacada, o carro balançava de um lado para o outro e meus irmãos e os médicos seguravam para ela não cair”, conta Maria das Dores, filha da paciente.

A prefeita do município, Marilete Vitorino, disse ao G1 que não tinha conhecimento da situação e soube da morte da idosa, ajudou no traslado do corpo de volta para o município, mas não sabia o que tinha acontecido. “Não tinha tido informações da forma como eles tinham ido”, disse.

Sem ambulância

A diretora do hospital, Rosane Maia, informou que durante um período de, pelo menos, cinco meses a unidade não tinha ambulância para transportar os pacientes.

“A nossa unidade aqui de Tarauacá não estava tendo unidade do Samu desde a gestão anterior. Acredito que nós passamos mais de cinco meses sem Samu e o transporte desses pacientes eram feitos no carro de apoio que nós temos ou quando a gente conseguia ajuda do diretor do Hospital geral de Feijó”, conta.

A gestora disse que, após pedido, agora têm uma viatura provisória. Já a família de Francisca Oliveira afirma que o caso será denunciado.

“Nós vamos denunciar para que isso não volte a acontecer. Todas as vezes que a gente vai ao hospital a ambulância não está”, diz Maria das Dores.

 Direção do hospital no interior do Acre diz que passou cinco meses sem ambulância — Foto: Ducivan Bezerra

Direção do hospital no interior do Acre diz que passou cinco meses sem ambulância — Foto: Ducivan Bezerra. Com informações: Alcinete Gadelha e Iryá Rodrigues, G1 AC.

Continue lendo

BR 364

URGENTE: PRF atualiza informações sobre interdição de ponte em Cacaulândia/RO; veja fotos

Agência PRF, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Possíveis rotas alternativas não possuem condições de trafegabilidade com segurança, não havendo como seguir viagem entre as cidades de Ariquemes/RO e Jaru/RO

Nota informativa da PRF – atualizada às 12h50m de 07/02/2019:

1) O desmoronamento da cabeceira da ponte corrego Andirá ocorreu no km 464 da BR-364, no município de Cacaulândia/RO, entre Ariquemes/RO e Jaru/RO, próximo à Fazenda Nova Vida, que fica no km 473.

2) A 2 kms dessa ponte, sentido Jaru – Ariquemes, existe outra ponte com estrutura em situação crítica diante da correnteza, mas sem desmoronamento por enquanto.

3) O desmoronamento é decorrente das intensas chuvas ocorridas durante a madrugada e a manhã de hoje (6).

4) O DNIT já foi acionado e enviou ao local equipes de Ji-Paraná e Ariquemes. O fato já foi repassado para o Ministro dos Transportes. Em nota emitida pela ASCOM/DNIT foi noticiado que o Exército Brasileiro, representado pelo 5 BEC, avalia as condições de viabilidade e segurança para instalação de uma ponte metálica para restabelecimento emergencial do fluxo de veículos. Não obstante, uma empresa que realiza serviços de manutenção e conservação da rodovia foi acionada para iniciar imediatamente a execução de obras no trecho atingido.

5) Não há informações de nenhum veículo ou veículo cruzando a ponte no momento do ocorrido.

6) O tráfego no local, inclusive de pedestres, está totalmente interrompido por questões de segurança. A sinalização está sendo feita com cones e algumas carretas foram posicionadas na via, de modo a impedir o fluxo.

7) As equipes PRFs mobilizadas para verificar o local da interrupção da via, bem como as rotas alternativas, relatam que o nível de água dos rios apresentou aumento, em média de 40 cm, entre a hora da interrupção do trânsito e a manhã de hoje. Dessa forma, as duas possíveis rotas alternativas, (RO-257, acessando Machadinho do Oeste, e RO-140, via Cacaulândia) não estão liberadas, seja para tráfego de caminhões, ônibus, automóveis, motocicletas ou pedestres. As duas rodovias estaduais mencionadas são de responsabilidade da Polícia Militar de Rondônia, que interditou a passagem, em razão de inundação no trecho e rachadura na ponte sobre o Rio Branco.

8) O efetivo da Del 03, que atende a região compreendida entre Itapuã do Oeste e Ouro Preto do Oeste, foi reforçado para que exista maior número de agentes na rodovia, tanto nas localidades próximas aos eventos como na orientação geral de fluxo de veículos.

9) Empresas de ônibus que atuam nas estradas de Rondônia já foram informadas da situação, sendo solicitado que suspendam as viagens que dependam do tráfego no local do incidente.

10) A PRF reforça que a população, por questões de segurança, deve obedecer à orientação de não prosseguir viagem e tal informação será repassada pelos policiais de serviço em todas as 4 Delegacias da Regional, de modo a evitar deslocamentos desnecessários e que coloquem em risco a segurança viária.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, nuvem e atividades ao ar livre

As obras de reparo seguem sendo feitas no trecho que sofreu o desmoronamento (km 464 da BR-364). Nas próximas horas devemos ter novas informações quanto ao tráfego no local.

A imagem pode conter: montanha e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

PRF atualiza informações sobre interdição de ponte em Cacaulândia/RO

Nota informativa da PRF – atualizada às 13h:

1) O desmoronamento da cabeceira da ponte corrego Andirá ocorreu no km 464 da BR-364, no município de Cacaulândia/RO, entre Ariquemes/RO e Jaru/RO, próximo à Fazenda Nova Vida, que fica no km 473.

2) A 2 kms dessa ponte, sentido Jaru – Ariquemes, existe outra ponte com estrutura em situação crítica diante da correnteza, mas sem desmoronamento por enquanto.

3) O desmoronamento é decorrente das intensas chuvas ocorridas durante a madrugada e a manhã de hoje (6).

4) O DNIT já foi acionado e enviou ao local equipes de Ji-Paraná e Ariquemes. O fato já foi repassado para o Ministro dos Transportes. Em nota emitida pela ASCOM/DNIT foi noticiado que o Exército Brasileiro, representado pelo 5 BEC, avalia as condições de viabilidade e segurança para instalação de uma ponte metálica para restabelecimento emergencial do fluxo de veículos. Não obstante, uma empresa que realiza serviços de manutenção e conservação da rodovia foi acionada para iniciar imediatamente a execução de obras no trecho atingido.

5) Não há informações de nenhum veículo ou veículo cruzando a ponte no momento do ocorrido.

6) O tráfego no local, inclusive de pedestres, está totalmente interrompido por questões de segurança. A sinalização está sendo feita com cones e algumas carretas foram posicionadas na via, de modo a impedir o fluxo.

7) As equipes PRFs mobilizadas para verificar o local da interrupção da via, bem como as rotas alternativas, relatam que o nível de água dos rios apresentou aumento, em média de 40 cm, entre a hora da interrupção do trânsito e a manhã de hoje. Dessa forma, as duas possíveis rotas alternativas, (RO-257, acessando Machadinho do Oeste, e RO-140, via Cacaulândia) não estão liberadas, seja para tráfego de caminhões, ônibus, automóveis, motocicletas ou pedestres. As duas rodovias estaduais mencionadas são de responsabilidade da Polícia Militar de Rondônia, que interditou a passagem, em razão de inundação no trecho e rachadura na ponte sobre o Rio Branco.

8 ) O efetivo da Del 03, que atende a região compreendida entre Itapuã do Oeste e Ouro Preto do Oeste, foi reforçado para que exista maior número de agentes na rodovia, tanto nas localidades próximas aos eventos como na orientação geral de fluxo de veículos.

9) Empresas de ônibus que atuam nas estradas de Rondônia já foram informadas da situação, sendo solicitado que suspendam as viagens que dependam do tráfego no local do incidente.

10) A PRF reforça que a população, por questões de segurança, deve obedecer à orientação de não prosseguir viagem e tal informação será repassada pelos policiais de serviço em todas as 4 Delegacias da Regional, de modo a evitar deslocamentos desnecessários e que coloquem em risco a segurança viária.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR © 2017-2019 - Todos os direitos reservados. Contato: (68) 99988 7585.

Fale Conosco