NOSSAS REDES

Capixaba

Saúde confirma segundo caso de sarampo em adolescente na zona rural de Capixaba, no interior do Acre

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A adolescente não enfrenta mais risco de morte, pois passou da fase crítica da doença e não precisou ser internada. Um bebê de 9 meses também foi diagnosticado com a doença.

Na foto: O diretor de Vigilância em Saúde do Acre, Moisés Viana, e o secretário de Saúde do Acre, Rui Arruda falaram sobre os casos confirmados de sarampo (Foto: Quésia Melo/G1)

Após 18 anos, o Acre voltou a registar casos de sarampo. Nesta sexta-feira (10) a Secretaria de Saúde do Acre informou que foram confirmados dois casos da doença. Um deles em um menino de 9 meses de Rio Branco, capital acreana. O outro em uma adolescente de 13 anos na zona rural do município de Capixaba, no interior do estado.

O diretor de Vigilância em Saúde do Acre, Moisés Viana, destacou que os casos foram confirmados preliminarmente pelo Laboratório Central (Lacen), mas foram encaminhados para a Fiocruz para serem analisados, conforme o protocolo do Ministério da Saúde. Os resultados devem ser divulgados pelo Ministério até a próxima semana.

Os dois casos confirmados fazem parte de 16 casos suspeitos no Acre. Os outros 14 foram descartados pelo Lacen – alguns deram positivo para dengue e zika – mas ainda assim foram encaminhados a Fiocruz. A adolescente não enfrenta mais risco de morte pois passou da fase crítica da doença e não precisou ser internada.

“Todos os casos notificados foram tratados como casos confirmados, que é a determinação do Ministério da Saúde. Nesses locais, foi feito o bloqueio vacinal, uma das condutas mais importantes, e a orientação de como proceder o no tratamento dessas pessoas”, explicou Viana.

O bebê de 9 meses, segundo o diretor, nem mesmo chegou a entrar na cobertura vacinal básica já que a imunização é indicada para crianças de um ano a menores de 5 anos. O menino está isolado no Hospital da Criança e apresentou problemas respiratórios.

“A nossa equipe esteve em Capixaba e fez os procedimentos necessários. Precisamos que a Fiocruz, dentro dos protocolos exigidos, libere o resultado desses exames e a gente tenha um fechamento definitivo desses casos como positivos”, destaca o diretor.

No Acre, a meta é vacinar 95% de 63.573 crianças de 1 ano a menores de cinco anos contra o sarampo (Foto: Altemar Alcantara/Semcom)

No Acre, a meta é vacinar 95% de 63.573 crianças de 1 ano a menores de cinco anos contra o sarampo (Foto: Altemar Alcantara/Semcom)

Campanha de vacinação

O secretário de Saúde, Rui Arruda, destaca que a confirmação dos casos aumenta o alerta dos órgãos de saúde. Ele lembra que o Acre demorou, comparado a outros estados do Norte, para ter um caso confirmado mesmo que de forma preliminar.

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomelite e o Sarampo segue até o dia 31 de agosto. No Acre, a meta é vacinar 95% de 63.573 crianças de 1 ano a menores de cinco anos.

Ao todo, o trabalho de imunização mobiliza 185 postos de saúde fixos e móveis, 713 servidores e 110 transportes – carros, barcos e motos – que devem ser utilizados também no “Dia D” marcado para o dia 18 de agosto em todo o Brasil.

“O que precisamos agora é que a população tenha consciência da importância da vacinação. O que dependia da estrutura da Saúde foi feito. Nós antecipamos o início da campanha de vacinação, as equipes técnicas foram aos municípios para treinar os servidores para que soubessem proceder diante da possibilidade de casos”, ressaltou.

O diretor de Vigilância em Saúde do Acre, Moisés Viana, falou também sobre a resistência dos pais em levar os filhos para serem vacinados. Ele lembrou o sarampo não era registrado no Acre há 18 anos e que essa nova geração de pais não viveu o surto da doença, por isso acredita que as pessoas acabaram se acomodando.

“Não tem outro meio de evitar a doença que não seja a vacina. O sarampo mata e é preciso deixar isso claro. Estamos com uma cobertura vacinal de 75% no nosso estado e não atingimos a meta no último ano. Agora, com a volta da doença precisamos incentivar, intensificar os nossos esforços para toda a sociedade para que a gente consiga atingir essa meta”, finaliza. Por G1Ac.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

Capixaba

Preso por tráfico de drogas não vai a cultos religiosos, falsifica assinatura de pastor e é condenado no AC

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Homem foi condenado a mais de um ano de prisão por falsificar assinatura de pastor de Capixaba — Foto: Divulgação/Tribunal de Justiça do Acre

Decisão é da Varal Criminal de Capixaba, interior do Acre, e cabe recurso. Acusado tinha que ir a cultos religiosos como parte do cumprimento da pena, mas não estava comparecendo.

Foto: Homem foi condenado a mais de um ano de prisão por falsificar assinatura de pastor de Capixaba — Foto: Divulgação/Tribunal de Justiça do Acre.

Um preso foi condenado a mais de um ano de prisão por falsificar a assinatura de um pastor em um documento da Justiça do Acre. O caso foi divulgado pelo Tribunal de Justiça do estado acreano (TJ-AC).

O homem precisava comparecer a cultos religiosos como parte do cumprimento da pena por tráfico de drogas, mas deixou de ir aos encontros e falsificou a assinatura no documento de execução penal.

A decisão é da Vara Criminal da Comarca de Capixaba, interior do Acre, e cabe recurso. O acusado deve cumprir um ano e seis meses de prisão, em regime semiaberto, por falsidade ideológica.

O G1 não conseguiu, até a última atualização desta matéria, contato com os dois advogados do acusados citados no processo.

A denúncia de falsidade ideológica foi feita pelo Ministério Público do Acre (MP-AC). O acusado cumpria pena por tráfico de drogas e 2017 recebeu o benefício de responder em liberdade, desde que comparecesse a cultos religiosos.

A Justiça destacou que o acusado ainda chegou a acrescentar algumas informações falsas no documento para beneficiá-lo.

“O acusado não estava comparecendo à mencionada igreja para cumprir suas atividades, mesmo ciente que a frequência era uma das condições de sua execução penal. Induziu o juízo a erro, fazendo acreditar que a pena estava sendo cumprida da forma correta, quando na verdade não estava”, relatou o juiz de Direito Clovis Lod, responsável pela sentença.

Continue lendo

Capixaba

EM CAPIXABA, MEMBROS DE FACÇÃO CRIMINOSA SÃO PRESOS PELA POLÍCIA CIVIL COM APOIO DA POLÍCIA MILITAR

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Por volta das 7h da manhã desta quarta-feira, denúncias anônimas chegaram ao Inspetor da Polícia Civil Franciberto Lima e indicavam que dois indivíduos da cidade de Rio Branco estavam comercializando drogas em uma casa no bairro Paraíso.

Ao chegar no local indicado, um dos indivíduos, I.C.M., vulgo Babu, menor de idade, tentou empreender fuga, mas foi contido pela Polícia. Outro indivíduo, Cleilton Amorim da Silva, vulgo Meteoro, se escondeu na cobertura da casa, mas também foi localizado pelos agentes.

Ao serem questionados, sobre onde estavam bolsas e roupas dos mesmos, já que não residiam aqui, um dos indivíduos indicou a casa onde estavam seus pertences. A Polícia se deslocou ao local e encontrou na casa de Agildo Mendes da Silva, uma bolsa com considerável quantia de entorpecentes e encaminhou o mesmo à Delegacia, já que a droga estava em sua propriedade. Ele porém, alega não saber de nada.

Além disso, na ocasião, a Polícia prendeu Juscelino Souza de Macedo, que chegou no local da diligência dirigindo embriagado e em posse de entorpecentes.

“Vamos continuar empreendendo nossos esforços para coibir a comercialização de drogas em Capixaba. Esse é o nosso compromisso com os cidadãos de bem do nosso município. Aproveito e agradeço a parceria do Comandante Dário, da Polícia Militar, que também tem se desdobrado para garantirmos a ordem em Capixaba”, finalizou o inspetor Franciberto Lima

EQUIPEI9CAPIXABA

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias