NOSSAS REDES

ACRE

Servidores terceirizados da OCA reclamam de salários atrasados

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Tem dois assuntos que não saem de pauta já há algum tempo em Rio Branco. Um deles são os buracos que tomam conta das ruas da capital acreana. O outro, é o atraso no pagamento do salários de servidores de empresas terceirizadas e de cooperativas que prestam serviços ao Governo do Acre.

Pois agora é a vez de colaboradores de uma empresa que, entre outras atividades, é a contratante de dezenas de servidores que atuam na OCA da capital acreana.

Como é de praxe, por medo de perseguições, o denunciante pede para não ser identificado. Dessa vez, trata-se do não pagamento do salário ainda de dezembro do ano passado.

“Fizeram uma reunião com a gente e ficou acertado de pagarem o salário em quatro parcelas e isso não aconteceu. Outro problema é sempre nos pagam com atrasos, mas nos fazem assinar o contracheque como se o salário estivesse saindo até o 5º dia útil do mês”, afirma o servidor.

A verdade é que a situação dos servidores não é fácil. Não é difícil imaginar o que é ficar sem o salário do mês, quando na maioria das vezes, o que se ganha já não é suficiente para suprir as despesas mensais.

É comum colocar as empresas como as vilãs dessa história, até porque são elas que contratam e que fazem o pagamento de seus servidores.

O problema, nesse caso, lembrando que os servidores nada devem pagar essa conta, é que o governo, contratante dessas empresas, não tem cumprido com o pagamento como deveria. Como são empresas de pequeno capital de giro, não conseguem realizar o pagamento de salários ou pagar sem atraso.

É o caso da Tec News, empresa denunciada.

Marcondes Silva, gerente administrativo da empresa, atendeu nossa reportagem e confirmou o atraso no pagamento do mês de salário, explicando que a somente a Secretaria de Gestão Administrativa (SGA) do governo do estado, deixou na gestão anterior um débito superior a 600 mil reais. “Nós entendemos a situação dos nosso colaboradores. O grande problema é que a gestão passada não pagou os meses de novembro e dezembro e a empresa ficou sem capital de giro. É importante salientar que mesmo nós não tendo recebido novembro e dezembro, pagamos novembro, décimo terceiro, as verbas indenizatórias dos servidores que foram dispensados e só temos o mês de dezembro para acertar”.

Marcondes diz ainda que todo o débito deixado pela gestão passada com a empresa chega a 3 milhões de reais. “Não houve ainda uma manifestação do atual governo sobre o pagamento dos débitos. Pelo que soubemos, foi remetido para análise da PGE. Nossa proposta, no caso específico dos colaboradores da OCA, é que quando a SGA realizar o nosso pagamento, iremos quitar o mês pendente de dezembro”, finaliza.

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat