NOSSAS REDES

ACRE

‘#Viana Nunca Mais’: acreanos protestam contra a oligarquia viana

PUBLICADO

em

Em protesto contra o governo do PT no Acre, que já dura mais de 20 anos nas mãos dos irmãos Tião Viana e Jorge Viana, acreanos usam faixas nos veículos com a frase ‘#Viana Nunca Mais’. Nabor Júnior sofreu a mesma rejeição, antes de sua última derrota nas urnas.

Na foto, veículo com a faixa ‘#Viana Nunca Mais“, trafegando na avenida Getúlio Vargas, no Centro, em Rio Branco – Acre. 31/07/18. Foto: Fabianna Lioz. 

Os irmãos Tião Viana e Jorge Viana (PT), sofrem dura rejeição na capital, e nos municípios do Acre. As recentes pesquisas divulgadas demonstram a rejeição e o desgaste político, que também é resultado do definhamento do PT, da condenação de Lula e outros políticos do PT, das elevadas taxas de desemprego e violência, dentre outras incontáveis razões locais e nacionais.

O fenômeno da rejeição política é estudado minuciosamente pelos institutos de pesquisa de conjuntura política. Mas a faixa ‘#Viana Nunca Mais‘, afixada em vários veículos que circulam em Rio Branco/Ac, não exige nenhum esforço científico para interpretá-la: o povo cansou do Partido dos Trabalhadores, assim como cansou de Nabor Júnior, o qual também amargou faixas de protesto e rejeição, antes de sua última derrota.

As faixas de ‘#Viana Nunca Mais’, afixadas em veículos, pode ser um prenúncio de derrota do PT nas urnas, nas eleições deste ano, ou seja, o início do fim de um regime político em que o poder foi exercido durante mais de 20 anos, por um pequeno grupo de pessoas, pertencentes ao mesmo partido, classe e família: a oligarquia viana.

OS CORPOS FALAM, E AS CAMISETAS TAMBÉM 

Na convenção realizada pelo PT, no município de Tarauacá, no último final de semana, apenas Tião Viana, Sibá Machado e Léo de Brito usavam camiseta vermelha, cor do Partido dos Trabalhadores.  Edvaldo Magalhães (PCdoB), também agraciou os camaradas locais, usando o vermelho dos comunistas.

Pelo que se ver, a vergonha e o medo de rejeição do eleitorado se entranhou dentro do próprio PT. Mesmo assim, os lançamentos de candidaturas nos municípios do Acre, são uma espécie de alegria e circo para o povo, dada a monotonia e a escassez de eventos nesses locais pobres e pacatos. Esses eventos levam vozes, sons e palavras novas. O leigo vê e ouve com alegria. No palco, pouco se viu o vermelho ‘sangue de boi’, e a estrela brilhou acanhadamente. Mas o povo aplaudiu, riu e se divertiu. No Acre, os políticos chamam isso de ‘festa da democracia’.

Mas é tudo ensaiado, pensado e calculado. Candidatos da frente popular, como Marcus Alexandre, Ermilson Farias, Ney Amorim, Raimundo Angelim e Jorge Viana,  preferem não usar a estrela no peito e a camisa vermelha, símbolo de veneração, até pouco tempo atrás.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O pré-candidato ao governo do Acre, Marcus Alexandre (PT), e seu vice, Ermilson Farias (PDT), não usavam camisetas na cor vermelha. A tese, por parte de alguns membros do PT, é que o distanciamento do ‘vermelho’ favorece os candidatos.

Foto: Jorge Viana usa camiseta cor vermelha apenas em redutos eleitorais majoritariamente do PT. Mas Ney Amorim evita o vermelhão e a estrela. Usa frequentemente camiseta amarela ou branca. 

Com a condenação e prisão de Lula e outros membros do PT, pelo crime de corrupção, o medo de rejeição contra a sigla PT se tornou uma realidade. Os próprios filiados e líderes do PT, disfarçam o desgaste que se tornou ser filiado aos ‘camisas vermelhas’.

A faixa ‘#Viana Nunca Mais” e o distanciamento da ‘estrela vermelha’ podem ser o prenúncio do começo do fim; o fim de uma fase da história, que poderá ser chamada ‘PT Nunca Mais‘.

Redação do Acre.com.br

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS