NOSSAS REDES

ESPECIAL

Militar dos Bombeiros passa a noite em mata após fugir de sequestradores que o mantinham refém em veículo

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O subtenente do Corpo de Bombeiros Militar Cláudio Roberto de Oliveira, viveu momentos de tensão e apuros na noite de sábado (01), após ser abordado por criminosos em seu veículo na Transacreana e ser mantido refen por várias horas sob a mira de uma arma de fogo.

O militar estava indo buscar a esposa no bairro Calafate e conduzia uma caminhonete Hilux quando foi abordado por cerca de seis homens distribuídos em duas motos e um carro. Eles entraram no veículo e o mantiveram refen por várias horas rodando com a caminhonete pela cidade ameaçando-o a todo momento que iam matá-lo.

Já durante a madrugada, eles retornaram para a Transacreana e durante a distração dos elementos, o Bombeiro acabou fugindo. Cláudio se embrenhou na mata deixando o carro para trás e passou a noite por lá até que amanhecesse e pudesse pedir ajuda dos vizinhos. A Polícia Militar foi acionada e ele foi conduzido à Delegacia para registrar o fato ocorrido. A caminhonete foi deixada pelos criminosos na estrada após atolarem o veículo.

Nas redes sociais durante toda a noite, a família soltou pedidos de ajuda dando conta do desaparecimento do militar. O subtente sofreu algumas lesões, mas, foram proveniente de sua fuga pela mata e agora já está bem com a família. LILIA CAMARGO.

 

Comentários

Comente aqui

CONDENAÇÃO

Justiça inocenta site e condena deputado Alan Rick

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Deputado Federal Alan Rick Miranda, que também é jornalista profissional, processou o Jornal Folha do Acre e a Sra. Genoveva Menezes Lopes, “Gina Menezes”, e pediu R$ 10 mil reais por alegados danos morais. A Juíza negou o pedido de exclusão da matéria publicada, e condenou o parlamentar, que já recorreu da sentença. 

julgo improcedente o pedido formulado por Alan Rick Miranda em desfavor de Jornal A Folha do Acre e Genoveva Menezes Lopes e declaro extinto o processo com análise do mérito. Condeno o autor ao pagamento das custas processuais.“, decretou a Juíza Thaís Queiroz B. de Oliveira A. Khalil.

Redação do Acre.com.br obteve com exclusividade acesso aos documentos. 

Segundo o processo nº. 0709427-46.2018.8.01.0001, distribuído em 21/08/2018, em andamento na Justiça da Comarca de Rio Branco, cujo processo não tramita em segredo de justiça, sendo processo público, tendo acesso liberado ao público em geral, podendo ser acessado por qualquer cidadão, através do site do TJAC, o Deputado Federal Alan Rick pede R$10 mil na Justiça, alegando supostos danos morais, cometidos pelo site Folha do Acre e a jornalista Sra. Gina Menezes.

Entenda os fatos:

Reportagem do Acre.com.br apurou que, o Deputado Federal Sr. Alan Rick Miranda, pediu a remoção de “postagens difamatórias e sem compromisso com a verdade, contra sua imagem parlamentar e sua imagem pessoal. Também deseja a reparação pelos danos morais que sofreu ao afirmar que o mesmo apoia “estupradores e torturadores” e que realiza atos ilegais“, afirma o Deputado.

A Juíza do caso, porém, negou os pedidos de exclusão da matéria publicada.

Afirmou o deputado que na data de 19 de outubro de 2017, foi veiculada a seguinte matéria no site Folha do Acre: “Alan Rick apoia indiretamente estupradores e torturadores ao gravar vídeo com Bolsonaro”, escrita pela jornalista Gina Menezes.

A matéria, em parte, se refere ao vídeo selfier gravado pelo Deputado Alan Rick ao lado de Jair Bolsonaro. Veja o vídeo:

Miranda alega que a publicação de Gina seria difamatória.

O deputado afirmou que houve “excesso de adjetivos para conduzir o pensamento do leitor e mesmo em se tratando de uma coluna opinativa, esta opinião não poderia retratar o Autor como alguém que faz apologia ao crime, o igualando a condição de criminoso Para além disso, a Ré diz que o Autor entregou o Acre ao Jair Bolsonaro, negando-o a Deus. Disse ainda que o Autor era uma espécie de “Estado Islâmico”. No meio evangélico, essas alegações tem o condão de danificar muito a imagem do Requerente, tanto parlamentar como pessoal, chegando inclusive a afetar sua imagem enquanto pastor e servo de Deus“.

Miranda sustentou que a afirmação da jornalista lhe ofende ao escrever que “Indiretamente, Alan Rick está apoiando comandantes estupradores, matadores de crianças e torturadores de toda ordem”. Leia a publicação de Gina, clicando aqui.

Miranda afirmou que “Esta alegação é completamente destoante do trabalho desenvolvido pelo Autor em sua atuação parlamentar, que tem trabalhado por uma maior repressão ao crime“.

Alan Rick, que também é jornalista profissional, afirmou que “na data de 25 de julho de 2018, tornou a mesma colunista [Gina Menezes] a espalhar mentiras sobre o Autor. Na ocasião a colunista divulgou que o Autor estaria realizando reuniões ilegais, que teria disfarçado ato político ilegal de ação parlamentar”, alega o Deputado.

Miranda contratou advogados e pediu na Justiça a condenação da comunicadora e do Jornal Folha do Acre ao pagamento de reparação pelo suposto dano que alega ter sofrido, no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), a título de indenização por danos morais, bem como a retirada das matérias da internet.

Ao apreciar a petição dos advogados de Miranda, no dia 03 de setembro de 2018, a Excelentíssima Senhora Juíza Magistrada Thaís Queiroz B. de Oliveira A. Khalil, titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, indeferiu (negou) o pedido de liminarsolicitado pelo Deputado, que pedia a exclusão das matérias publicadas (leia a decisão da Juíza aqui).

A Excelentíssima Senhora Juíza Magistrada Thaís Queiroz B. de Oliveira A. Khalil, negou o pedido de Miranda:

“(…) Assim, quanto à primeira publicação, neste juízo sumário de cognição, não vislumbro a probabilidade do direito, não enxergando, em relação ao autor, abuso ou excesso por parte dos réus.

Ademais, ainda em relação à primeira publicação, também não vislumbro urgência na prestação jurisdicional, já que a postagem foi veiculada em outubro de 2017, o que torna mais difícil o acesso dos leitores ao seu conteúdo.

Em relação à segunda publicação, esta mais recente, datada de julho de 2018, as conclusões são as mesmas, em razão da ausência de explicações do autor para a conduta que lhe foi imputada pelos réus. 

Infere-se, ainda em juízo sumário de cognição, que os réus afirmaram que o autor contrariou a legislação eleitoral, ao realizar um ato político, sob disfarce de atividade parlamentar, enfatizando que tal atividade foi “ilegal”. Além disso, enfatizaram que a conduta do réu foi eleitoreira, o que significa dizer que teve o único propósito de captar votos, sem qualquer comprometimento com o bem da comunidade ou com o interesse social.

Quanto ao primeiro ponto – ilegalidade do ato – faltou o autor esclarecer se participou ou não da agenda apontada pelos réus e, caso sim, se tratou-se de fato de uma atividade parlamentar. O autor alegou que sua imagem foi afrontada pela alegação da prática de ato ilegal, mas não negou a prática de tal conduta, não afirmou que a alegação dos réus era inverídica.

Quanto ao segundo ponto, pelo qual os réus colocaram o autor como alguém que age com propósito eleitoreiro, enxergo, mais uma vez sumariamente, o exercício do direito à crítica, sem excesso ou desvio, uma vez que é dado aos réus expressar a opinião de quais seriam os propósitos políticos do autor.
Portanto, em análise perfunctória, não estão presentes os requisitos legais necessários à concessão da medida de urgência postulada, razão pela qual a INDEFIRO“.

O parlamentar recorreu da sentença. 

Continue lendo

FELICIDADE

Em Tarauacá, Projeto Cidadão e Casamento Coletivo são reagendados para dia 20 de novembro

Assecom - Prefeitura de Tarauacá, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nesta quarta-feira, 25, estiveram reunidos na Prefeitura Municipal de Tarauacá, a Prefeita Marilete Vitorino, o Vereador Antônio Araújo (Príncipe) e o Dr. Marcos Vitorino, para tratar da edição do Projeto Cidadão e Casamento Coletivo que serão realizados no município, em regime de parceria e colaboração recíproca. 

Em razão do reduzido prazo para realização, e da impossibilidade de natureza temporária, quanto ao custeio das ações do Projeto, as instituições parceiras decidiram reagendar o evento para o dia 20 de novembro de 2019 (quarta-feira), mantendo-se o local de realização, que será na Escola Municipal José Augusto de Araújo

A decisão de reagendar, também levou em consideração oportunizar aos munícipes a possibilidade de desfrutar calmamente o Novenário de São Francisco e o Festival do Abacaxi“, destacou o Vereador Antônio Araújo. 

A Prefeita Marilete ressaltou que “as inscrições para o Casamento Coletivo continuarão abertas gratuitamente, bastando que os casais interessados procurem o Cartório Extrajudicial de Tarauacá com os documentos em mãos. Faremos uma linda festa para os casais“. 

Cada instituição parceira contribuirá com seus serviços institucionais. O objetivo é disponibilizar uma ampla Carta de Serviços. O TRE/AC, por exemplo, contribuirá oferecendo os serviços de 1º alistamento eleitoral, revisão eleitoral (biometria), emissão de certidões, regularização de multas, etc“, explicou o Dr. Marcos Vitorino. 

Serviços oferecidos

Os órgãos parceiros oferecerão seus respectivos serviços institucionais. Tribunal de Justiça do Acre, Ministério Público do Acre, Defensoria Pública do Acre, Tribunal Regional Eleitoral, Secretaria Estadual de Saúde, Emater (Empresa de Assistência Técnica, Extrativista e Rural do Acre), DETRAN (Departamento Estadual de Trânsito do Acre), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AC), dentre outras instituições, prestarão atendimento gratuito aos munícipes de Tarauacá. 

Serviços da Prefeitura

Na ocasião, serão prestados diversos serviços pelo Município, como atendimento médico, de assistência social, dentista, vacinação, teste rápido, emissão de carteira de trabalho (CTPS), atualização cadastral e recadastramento do Bolso Família, serviços de corte de cabelo e embelezamento aos casais, atividades de lazer e recreação, dentre outros serviços.

A Prefeitura de Tarauacá prioriza instituições parceiras. O Projeto Cidadão e o Casamento Coletivo são ações sociais da mais alta relevância para Tarauacá, por isso iremos disponibilizar o maior número possível de serviços aos munícipes”, destacou a Prefeita Marilete.

Carteira de Trabalho e Previdência Social

A Carteira de Trabalho (CTPS) será oferecida pela Prefeitura de Tarauacá, e para requerer a 1ª via são necessários os seguintes documentos:

  • Certidão de Nascimento original; 
  • CPF original;
  • RG original;
  • Comprovante residência. 

Se o requerente for casado, é obrigatório apresentar além dos documentos obrigatórios, a Certidão de Casamento original. 

Para emissão de 2ª via a CTPS, o trabalhador deverá informar número de série e data de expedição da carteira anterior, mais os documentos obrigatórios, acima citados. Após a solicitação, a CTPS será entregue no prazo de 20 dias.

Inscrições para o Casamento Coletivo

As inscrição continuam abertas. Os interessados já podem comparecer ao Cartório Extrajudicial de Tarauacá com os documentos necessários. A gratuidade das inscrições foi concedida pelo próprio titular Dr. Silvano Decarli. Veja abaixo os documentos necessários. 

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp WhatsApp Notícias