NOSSAS REDES

categoria inativa

MPAC dá continuidade à formação de promotores substitutos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) começou nesta quinta-feira (24) o segundo ciclo do Curso de Formação para os membros ingressantes na carreira da instituição. Trata-se da capacitação da segunda turma de promotores de Justiça substitutos do MP acreano que atuam no interior do estado.

O curso é coordenado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) e dá continuidade ao conteúdo da formação de membros ingressantes.

Em nome da procuradora-geral de Justiça, que está em viagem, o procurador-geral adjunto para Assuntos Administrativos e Institucionais, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, deu as boas-vidas aos promotores substitutos e agradeceu a presença de cada um. “Quero dizer que continuamos juntos e sempre à disposição. Contem sempre conosco.”

Segundo o vice-diretor do Ceaf, promotor Glaucio Ney Shiroma Oshiro, o objetivo da formação é despertar um maior espírito crítico nos membros. “Estamos começando o segundo ciclo da formação dos membros e o Ceaf quer despertar um maior espírito crítico nos promotores que estão ingressando, a fim de que eles enxerguem a realidade do MP e a realidade social, bem como o compromisso que eles têm de fazer, com as devidas intervenções e responsabilidades perante a sociedade que defendem”, assinalou.

Adesão ao Cidade Saneadas

Durante a formação, os promotores de Justiça que têm atribuições cíveis assinaram o termo de adesão ao programa Cidade Saneadas, iniciativa do MPAC que tem o objetivo de regularizar a problemática dos lixões. “Os promotores aderiram e se comprometeram com a execução de todas as medidas que a gente estabeleceu com os municípios. E precisa dessa fiscalização, do acompanhamento”, disse a procuradora de Justiça Rita de Cássia.

A formação

Previsto na Lei Orgânica do MPAC, o Curso de Formação é dividido em duas fases e é voltado para promotor de Justiça em estágio probatório. A intenção é desenvolver conhecimentos e habilidades técnico-processuais, vinculados à prática funcional e atitudes, visando cumprir os deveres e funções do cargo, tendo como professores os membros e servidores do MPAC e profissionais de outras instituições.

“Para melhorar nosso atendimento e nossa atuação perante a sociedade, estamos continuamente qualificando nossos membros. O Ministério Público acreano zela pela formação e atuação consistente de seus promotores”, comentou a diretora do Ceaf, procuradora de Justiça, Patrícia de Amorim Rêgo. Por Agência de Notícias do MPAC.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat