NOSSAS REDES

ACRE

No AC, mais de 25 projetos sustentáveis podem ser prejudicados por mudanças no Fundo Amazônia

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Um decreto do governo federal pode alterar regras do Fundo Amazônia para permitir o uso do dinheiro para pagar indenizações por desapropriações de terras em áreas protegidas. Com a medida, 28 projetos sustentáveis de monitoramento e inovação podem ser comprometidos no Acre.

O valor que ultrapassa os R$ 3 bilhões foi doado pela Noruega e Alemanha para bancar os projetos desde 2008, e é administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Mas, agora, o governo federal quer usar o recurso para pagar indenizações a proprietários de terras e a pessoas que vivem em áreas protegidas.

Jocy Aguiar, membro do Comitê Orientador Fundo Amazônia, diz que esta é uma proposta totalmente descabida e fora de contexto.

“Como é que você quer proteger a floresta e usar um fundo que é para preservar e diminuir o desmatamento e vai dar para grileiros?”, questiona.

Além disso, Jocy diz que o decreto vai prejudicar o andamento do projeto e várias ações que são feitas para baixar o desmatamento na Amazônia.

Para o membro do Comitê, a medida não vai diminuir a ação dos grileiros nas áreas de preservação, mas vai contribuir para que outras pessoas se apossem das terras em busca de indenizações.

“A gente ainda não teve acesso a essa proposta, mas vamos nos manifestar. Nós somos contra essa proposta, entendemos que qualquer proposta de política pública tem que ser debatida com a sociedade e ela só pode dar certo se a sociedade participar”, complementou Jocy.

Outra ideia do governo é reduzir o número de pessoas da sociedade civil no comitê orientador do comitê.

Por Quésia Melo, Jornal do Acre 2ª Edição

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat