NOSSAS REDES

ARQUEOLOGIA

Nova esfinge é descoberta (acidentalmente) no Egito

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Durante obras de reparo em uma estrada, na cidade egípcia de Luxor, foi encontrada uma nova esfinge soterrada, revelou o chefe do Departamento de Antiguidades da província, Mohamed Abdel Aziz.

Foto de capa: A Grande Esfinge de Gizé, no Egito.

De acordo com o funcionário, a estátua encontrada possuiu a forma de um leão com um rosto humano, semelhante à famosa Esfinge de Gizé.

Por enquanto, os especialistas não têm pressa em retirar o monumento soterrado do solo, para não expô-lo e afetar à mudanças drásticas de temperatura.

A construção da Esfinge de Gizé foi ordenada por Quéfren, o quarto faraó da 4ª Dinastia do Império Antigo. A estátua de pedra que retrata um leão com rosto humano é, até os dias de hoje, a maior já encontrada.

Acredita-se que Quéfren deu a ordem de retratar o próprio rosto na estátua – esfinge traduz-se como “pai do medo”, em árabe.

De acordo com os historiadores, todos os faraós que reinaram posteriormente encararam como um dever “renovar” a cabeça da Esfinge, mantendo a mesma estrutura, tentando sempre que a estátua tivesse a máxima semelhança com os próprios governantes.

rodeime / Flickr

A Esfinge de Gizé é a maior escultura do gênero até agora encontrada

As esfinges são um símbolo da realeza do Antigo Egito, representava a força e o poder do faraó. Além disso, são ainda consideradas símbolos da vida após a morte, sendo muitas vezes encontradas junto a túmulos.

Ciberia // Sputnik / ZAP

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat