NOSSAS REDES

ACRE

Presos em operação da PF-AC vão ser levados para presídios de segurança máxima

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Organização possuía uma rede de movimentação bancária, com vários laranjas, que sabiam que atuavam para o tráfico de drogas.

Dez pessoas foram presas no Acre durante a “Operação Alvorecer”, da Polícia Federal (PF), que desarticulou uma organização criminosa que atuava no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro em vários estados do país. A maioria das prisões foram em Rio Branco, mas também ocorreram em municípios do interior.

O delegado Fares Feghali, responsável pela operação, disse durante coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (13), que os líderes da organização vão ser transferidos para presídios de segurança máxima fora do estado. Um dos líderes foi preso no Acre e outros dois no Rio Grande do Norte.

“Em razão de a organização continuar atuando de dentro dos presídios, a Polícia Federal solicitou e o juiz deferiu a transferência dos principais líderes para o presídios federais”, disse o delegado.

O núcleo de atuação da organização estava instalado no Acre, de onde atuavam através do tráfico internacional de drogas, com entorpecente que vinha da Bolívia e Peru. Quando chegava ao estado, a droga era transportada para os outros estados do brasileiros.

Ainda segundo Feghali, a organização possuía uma rede de movimentação bancária, com vários laranjas, que sabiam que atuavam para o tráfico de drogas. Além disso, levavam uma vida luxuosa, de requinte, com viagens e ostentação.

Investigação

Conforme a polícia, foram dois anos de investigação. Nesse período, a organização movimentou mais de R$ 200 milhões, entre depósitos e retiradas. Além disso, a polícia apreendeu cerca de 700 quilos de cocaína. Mais de 53 veículos de luxo foram apreendidos e ainda tiveram bloqueio de R$ 20 milhões em contas bancárias.

“A Polícia Federal vem seguindo a nova diretriz de perseguir o dinheiro, porque é realmente importante asfixiar economicamente as estruturas criminosas. Hoje, todos os bens da organização foram apreendidos, automóveis de alto valor e as contas foram bloqueadas”, pontua o delegado.

Sobre a operação

Ao todo, foram cumpridos 81 mandados judiciais, entre eles 13 de prisão preventiva, 19 de busca e apreensão e 49 sequestros e bloqueios de bens. Segundo a polícia, os mandados foram cumpridos dentro de presídios no Rio Grande do Norte, em todo o estado do Acre, Alagoas e em Natal.

Durante as investigações, a Polícia Federal contou com o apoio operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O nome “Alvorecer” foi dado à operação porque, segundo a PF-AC, era o horário que a organização atuava no transporte de entorpecentes.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Primeira Turma do STF condena deputado Paulinho da Força a 10 anos de prisão

G1, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Deputado foi acusado de envolvimento em desvio de recursos no BNDES. Defesa nega que ele tenha cometido crime e informou que vai recorrer ao plenário do STF.

(mais…)

Continue lendo

ACRE

Deputados do AC aprovam PL que prevê a realização de encontros religiosos durante a pandemia

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Projeto de lei segue para sanção ou veto do governador Gladson Cameli. Medida determina uso de máscara e distanciamento entre religiosos.

Capa: Deputados do AC aprovam PL que prevê a realização de encontros religiosos durante a pandemia — Foto: Divulgação/IBB. Arquivo.

Os deputados do Acre aprovaram, por unanimidade, um Projeto de Lei (PL) que prevê a realização de cultos, missas e outros encontros religiosos durante a pandemia do novo coronavírus.

O projeto é de autoria da deputada estadual Juliana Rodrigues e foi votado na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) na quarta-feira (3). A medida deve ser enviada na próxima semana para sanção ou veto do governador Gladson Cameli.

O decreto vigente do governo proíbe aglomerações para evitar a proliferação do novo coronavírus no estado. O decreto foi estendido, no último dia 29, até o dia 15 de junho.

Segundo dados da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), o Acre tem mais de 7 mil pessoas infectadas pela Covid-19 e 181 vítimas fatais. Há mais de 150 pessoas hospitalizadas no estado tratando da doença. As altas médicas somam 3.209 pessoas curadas.

PL

Para realização dos encontros religiosos, os líderes e representantes das instituições devem obedecer algumas regras. Ficam proibidos de participar:

  • Idosos acima de 60 anos;
  • Pessoas com algum tipo de problema de saúde ou sintomas de gripe;
  • Crianças;
  • Pessoas que tiveram ou convivem com parentes infectados pela Covid-19;
  • Membros que não tenham a autorização da família para participar do evento.

    “Estamos confiantes que o governador sancione. Todos os deputados presentes, que eram 19, aprovaram. O projeto abrange qualquer tipo de atividade religiosa, qualquer prática de fé. Os cultos e encontros estão sendo realizados pela internet, mas o povo está sofrendo muito precisando de orientação, oração. Muitas pessoas estão com depressão, com medo da doença e a igreja é um alento nesse momento. O apoio espiritual é muito importante nesse momento”, destacou a deputada e autora do PL, Juliana Rodrigues.

    No final do mês de abril, Associação dos Ministros Evangélicos do Acre (Ameacre) disse que já estudava uma forma de retomar com os cultos nas igrejas evangélicas.

    O assunto era tratado com o governo do estado, mas com restrições e obedecendo as regras de distanciamento social.

    Na época, a porta-voz do governo, Mirla Miranda, disse que não havia nada confirmado e nem definido sobre o possível retorno.

    Obrigações

    O projeto também estabelece que para ser realizado qualquer evento religioso o ambiente precisa ser higienizado antes e depois de cada encontro, os participantes devem usar máscaras e manter o distanciamento de no mínimo dois metros uns dos outros; o espaço só pode receber 30% do total de pessoas.

    “Tudo isso precisa ser observado e consta na justificativa do projeto. Os pastores estão orientados quanto a isso e no próprio decreto, quando for publicado, deve ter as regras e punições por desobediência. Sou muito a favor do isolamento e cumprimento das regras e sabemos que para que a lei tenha eficácia precisa da obediência. A medida que as pessoas forem recebendo apoio espiritual vai ajudar muito”, concluiu a deputada.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias