NOSSAS REDES

ACRE

Rede confirma candidatura de Janaína Furtado ao governo do Acre

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Vereadora e professora de Tarauacá foi escolhida por unanimidade durante convenção realizada com filiados nesta sexta (20), em Rio Branco. Ex-reitor Minoru Kimpara é candidato ao Senado.

A candidatura da vereadora e professora de Tarauacá, Janaína Furtado, ao governo do Acre foi homologada nesta sexta-feira (20) durante a convenção da Rede Sustentabilidade, em Rio Branco. O ato foi fechado aos filiados do partido.

O ex-reitor da Universidade Federal do Acre (Ufac) Minoru Kimpara, que abandonou o cargo para concorrer ao Senado, também teve a candidatura homologada nesta sexta (20). A candidatura de Janaína e a dele foram aprovadas por unanimidade pelos filiados.

O vice-candidato ao governo e os suplentes para o cargo de senador ainda devem ser definidos, segundo informou o porta-voz da Rede no Acre, Júlio César Freitas. A Rede vai ficar em aberto para a possibilidade de coligações até o dia 28 deste mês.

“Gostamos de chamar de consenso progressivo. A gente foi construindo a escolha da Janaína progressivamente dentro do partido”, disse o porta-voz. G1Ac.

ACRE

Protesto na ‘Casa Azulada’

Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Servidores do Pró-saúde ameaçados de demissão fecham avenida que dá acesso à Casa Civil

Servidores do Pró-saúde ameaçados de demissão interditaram na manhã desta terça-feira, 19, a avenida Brasil, acesso à Casa Civil, gabinete oficial do governo. Os manifestantes estacionaram um caminhão de som na entrada do gabinete.

Na tarde desta segunda-feira, 18, os servidores ocuparam a entrada da Casa Civil no momento em que integrantes de sindicatos da Saúde, procuradores do Estado, o secretário de Saúde, Alysson Bestene, e a equipe econômica do governo se reuniam na Casa Civil.

Após a reunião, procuradores do Estado e advogados dos sindicatos da Saúde entraram em um acordo para a criação de um grupo de trabalho com o objetivo de encontrar uma saída jurídica para a manutenção dos servidores.

Decisão judicial

O imbróglio envolvendo os servidores do Pró-saúde se arrasta desde o ano passado quando os desembargadores do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) acataram a Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de Medida Cautelar, apresentada pelo Ministério Público do Acre (PMAC) para suspensão da eficácia da Lei Estadual no 3.375, de 19 de março de 2018, de autoria do então deputado Raimundinho da Saúde, aprovada na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), que alterou dispositivos da Lei no 2.031/2008, que instituiu o Serviço Social de Saúde do Acre, o Pró-Saúde e transformava a empresa paraestatal criada na administração do ex-governador Binho Marques (PT) em autarquia estadual.

Para resguardar o que estabelece a Constituição do Estado do Acre, o MP entrou em cena e pediu a inconstitucionalidade do Projeto de Lei que tentava impedir as demissões dos servidores do Pró-Saúde

Segundo ainda a ADIN, do MP, os servidores do Pró-Saúde são reconhecidos como empregados privados regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas. O MP alegou ainda que a Lei que instituiu o Pró-Saúde em 2008 especifica que o quadro de pessoal da paraestatal seria regido pela CLT, cuja admissão deveria ser precedida de processo seletivo.

A decisão judicial prevê um cronograma de demissão previsto para acontecer até março de 2019.

1, 8 mil servidores podem ser demitidos, porém durante a campanha eleitoral de outubro, o governador Gladson Cameli prometeu manter o emprego dos servidores, que agora cobram a promessa. Caso o governo decida pela demissão, os sindicatos prometem greve geral na Saúde.

via Facebook/Notícias da Hora

Continue lendo

ACRE

Rio Acre volta a registrar vazante; Rio Juruá apresenta elevação marcando 13,40 metros

Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Defesa Civil do Estado informou nesta terça-feira, 19, que o Rio Acre apresentou sinais de vazante, segundo a medição realizada às 6 horas, registrando a marca de 12,99 metros.

Na região da capital não houve registros de chuva nas últimas horas, de acordo com a Defesa Civil.

Em Brasileia e Xapuri também foi registrado vazante do manancial e o nível das águas chegou a 4,90 metros e 7,53 metros, respectivamente.

A cheia continua na região de Cruzeiro do Sul. O Rio Juruá indicou elevação no seu nível e marcou 13,40 metros na manhã desta terça-feira.

A Defesa Civil informou que houve um problema para verificar a leitura e atualização no nível dos rios do Acre nesta manhã, mas as providências necessárias já estão sendo executadas para solucionar o problema.

Continue lendo

ACRE

Brecha na Lei e influência de Conselheiro do TCE mantém Alércio Dias no Comando do Acreprevidência apesar de MP discordar

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Dias após o governador Gladson Cameli (Progressistas) encaminhar mensagem governamental a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa retirando da pauta de votações a indicação do pecuarista Alércio Dias, para homologação de seu nome para o Instituto Acreprevidência, nada parece ter mudado na rotina do órgão que apresenta déficit mensal de R$ 50 milhões aos cofres do Estado.

Mesmo que nomeado interinamente, Alércio continua despachando em seu gabinete no 2º andar da Sede do Acreprevidência com duas garantias: a brecha na Lei e a influência do Conselheiro do Tribunal de Contas, Antônio Malheiro, que para muitos nos bastidores da Casa Azulada, exerce até mais poder que o próprio governador Gladson Cameli.

ac24horas consultou secretários e pessoas próximas do atual governo que afirmam unanimamente que se for da vontade Gladson, Alércio poderá ficar os próximos 4 anos no comando do Acreprevidência, já que a lei 1.688 de 5 dezembro de 2005, que cria o Acreprevidência, não prevê prazo ou penalidade para que que o indicado do governador ao Instituto seja afastado do cargo por seu nome não ter sido referendado pela Aleac.

Legalmente, somente a exoneração expressa colocaria um fim nesse imbróglio que vem desgastando o governo perante a opinião pública, já que o Ministério Público, por meio da uma recomendação do 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Patrimônio Público endereçada a Assembleia Legislativa, confirmou que o Dias é condenado por improbidade administrativa e não reúne as condições exigidas pela lei para ocupar o cargo, por ausência de reputação ilibada.

A manobra para retirada do nome de Alércio da pauta da Aleac teria sido pensada no Tribunal de Contas. O conselheiro Antônio Malheiro, amigo pessoal de Alércio, influenciado também pelo grupo dos “cabeças brancas”, teria definido a estratégia para que seu “ungido” ganhasse mais tempo no cargo e até mesmo para quem sabe o nome fosse reapresentado em outras circunstâncias mais na frente ao Poder Legislativo. Segundo apurou ac24horas, Malheiro é grato a Alércio Dias por este ter sido responsável por ter lhe dado chance no mercado de trabalho quando chegou ao Acre na década de 80. Naquele período, Dias era o todo poderoso da Eletroacre no Estado e abriu as portas para o homem que atualmente detêm maior poder de influência no governo de Gladson Cameli.

Apesar das influências políticas, o ac24horas foi informado que nos próximos dias o Ministério Público deve fazer nova recomendação, agora ao governador, pedindo que Alércio seja exonerado. Caso isso não ocorra, uma Ação Civil Pública deverá ser protocolada e um novo processo de desgaste deverá ser iniciado.

Independente da decisão de Gladson exonerar ou não Alércio Dias, nos bastidores, aliados do governador começam a sugerir nomes para substituir o diretor-presidente interino. O MDB já começa a hipotecar apoio ao ex-deputado federal João Correia. Já outro grupo, ligado aos liberais cogitam o nome do empresário Fernando Lage. Outros encontram solução dentro do próprio governo ao indicar Livio Veras. Os mais pragmáticos acham que solução esteja no lado do PT, e sugerem o nome de José de Anchieta, diretor-presidente do Instituto nos governos da Frente Popular.

Desde a semana passada, ac24horas vem consultando a Assessoria do governador Gladson Cameli, em relação a situação de Alércio Dias. No dia em que o governo retirou a análise do nome do pecuarista da pauta da Alec, o Estado informou que a Casa Civil estava buscando um entendimento com o próprio Alércio Dias “para resolver essa questão evitando exposição desnecessária dele e do próprio governo”. O governo havia enfatizado que qualquer decisão definitiva será com base no diálogo, ”afinal se trata de um aliado nosso”, especificou.

Já nesta segunda-feira, 19, consultado novamente, a assessoria disse que não teria novidades sobre o assunto e revelou que caberá ao governador decidir sobre a situação. “Ele ainda não tratou do assunto”.

Nos bastidores, comenta-se que Gladson espera ansiosamente pela recomendação do MP para ter a desculpa para abrir mão de Alércio e evitar qualquer tipo de indisposição com o principal influenciador de seu governo, o Conselheiro Antônio Malheiro.

Em nota de esclarecimento encaminhada recentemente a imprensa, Alércio Dias disse, sem nomear quem, que tentam “a qualquer custo e de forma incessante atingir a minha honra e macular a minha dignidade, usando os artifícios da mentira e da difamação. Não conseguirão! Sou um homem de vida limpa, orgulhoso do meu caráter e do meu passado. Por isso recebo tantas manifestações de solidariedade”. O pecuarista reforça, apesar do MP confirmar, que jamais foi condenado por improbidade administrativa ou teve seus direitos políticos cassados.

Ainda em seu comunicado, Dias enfatizou: “Soa estranho, portanto, que a Promotoria de Fiscalização do Patrimônio do Ministério Público espessa manifestação recomendando à ALEAC que meu nome seja vetado para nomeação do cargo de Presidente do Acreprevidência”

Continue lendo

Promoções

TOP 5 MAIS LIDAS

ACRE.COM.BR © 2017-2019 - Todos os direitos reservados. Contato: (68) 98114-3077.

Faça sua denúncia
Enviar denúncia
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: