NOSSAS REDES

ECONOMIA

Saiba como economizar com o novo negócio de Marmitas Fit

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Sempre sonhou em empreender, mas não sabe como abrir um negócio, em que área investir ou como guardar dinheiro?

Aceite uma dica para o próximo ano: as marmitas fit estão com tudo e podem ser excelentes aliadas nos processos de gerar dinheiro justo, cumprir metas e prosperar.

Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre a tendência das marmitas fit, explicando o que você vai precisar para embarcar nessa ideia e o que você pode ganhar com ela. Confira!

Marmitas fit: como abrir um negócio?

Nos últimos anos, temos falado muito sobre saúde mental, autocuidado e os perigos da alimentação desregrada.

Como sabemos bem, a falta de tempo, aliada ao excesso de trabalho e ao estresse, fazem com que nossos hábitos alimentares fiquem bastante prejudicados.

Quantas vezes você teve que comer um sanduíche duvidoso ou um pacote de comida instantânea para conseguir terminar as suas demandas?

Esse é um problema comum a todos os trabalhadores.

Fornecer comida de qualidade, saudável e boa informação nutricional, neste ínterim, não é apenas uma grande oportunidade de negócios: é genuína preocupação com o bem-estar alheio. Você já esteve lá, afinal.

Por onde começar?

Primeiro, você precisará definir qual é o seu público alvo e quais são as necessidades dele.

Você vai fazer marmitas vegetarianas ou veganas? Os seus produtos ajudarão quem quer manter a saúde ou terão finalidade emagrecedora? Quem é assíduo da prática esportiva e quer ganhar massa magra encontrará na sua marca o que precisa?

Após definir esta etapa, entre em contato com um nutricionista de confiança e peça a ele que faça um cardápio personalizado, que una valor nutricional a sabor.

Pode ser interessante sugerir uma parceria ao profissional de nutrição: converse com ele sobre a possibilidade de oferecer uma porcentagem em cima de cada marmita vendida ou em cima do que foi vendido no mês.

Outras opções incluem fechar um pacote específico de cardápios mensalmente. Muitos profissionais tendem a abaixar um pouco os preço quando veem uma oportunidade duradoura.

Planejamento financeiro

Para começar “para valer”, você precisa listar as contas iniciais e o que será gasto durante a produção dos alimentos.

Com o cardápio do nutricionista em mãos, faça uma consulta de valores e calcule a média de gastos do supermercado.

Depois disso, vale calcular o que é imprescindível: média de água, luz, telefone, pagamento do entregador, valores das embalagens das marmitas, talheres descartáveis.

Após colocar tudo na ponta do lápis, você chegará ao valor adequado de cada marmita e poderá também calcular a quantidade de unidades que precisa vender para cobrir os seus gastos e começar a faturar.

Esquema de entregas

Uma boa opção é contratar um motoboy ou fazer entregas diretamente nas empresas (com o seu próprio carro, motocicleta ou bicicleta, se você achar vantajoso).

Para juntar clientes em um mesmo espaço, você pode fazer pequenas promoções na compra de um número específico de marmitas.

Outra opção inclui fazer pacotes semanais para clientes: uma vez por semana, você entrega de cinco a sete marmitas congeladas, para que o usuário possa se alimentar corretamente sem grandes preocupações.

A fidelização do comprador é uma ótima maneira de manter os negócios em dia.

E a regularização do empreendimento, como funciona?

É preciso reconhecer firma e abrir uma empresa nos órgãos do seu município, mesmo que você tenha um negócio pequeno, com uma a três pessoas? Sim.

Para abrir uma empresa de marmitas fit, você precisará dos seguintes documentos:

  • Cópia autenticada do RG e do CPF;
  • IPTU do imóvel;
  • Cópia de contrato de compra e venda ou locação;
  • Alvará de funcionamento;
  • CNPJ;
  • Documentação na junta comercial.

Alguns documentos variam de cidade para cidade. Informe-se com os setores necessários.

E isso não é tudo: você precisa estar de acordo com as normas da vigilância sanitária, então preparar uma cozinha é primordial.

Panelas, fogão e um freezer industrial são de suma importância, mas são o básico. Outros custos incluem: forno, microondas, utensílios, aventais, equipamentos de higiene dos funcionários (touca, luvas, etc).

A limpeza, como bem sabemos, não pode ser deixada de lado.

Lavar o espaço com frequência, mantê-lo sempre organizado, atentar-se para a qualidade dos alimentos comprados e descartar produtos que passaram da validade são atitudes necessárias.

O não-desperdício de alimentos, no entanto, deve ser prioridade: além de ser uma postura ética, garante que todo o seu investimento será bem aproveitado.

Como controlar os gastos?

Chegamos a um tópico interessante.

De nada adianta fazer um investimento se você não tiver controle do que entra e do que sai. Da mesma forma, não é possível sair do lugar sem estabelecer metas realistas.

Uma boa forma de fazer o controle dos gastos e manter-se sempre atento aos ganhos ou faltas do seu negócio é através de um sistema de monitoramento unificado.

Existem aplicativos e serviços que permitem ao usuário cadastrar todas as suas contas em um só lugar, para que ele possa fazer um cálculo seguro dos valores gastos mensalmente.

Como já comentamos, água, luz, telefone, gás, pagamento de funcionários – quando for necessário, claro – e matéria prima são gastos já certos.

Em cerca de três meses, conseguimos estabelecer uma média do valor mensal de cada um destes itens. Assim, podemos pensar em maneiras idôneas de baratear os custos, além de reformular a nossa linha de ação.

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat