NOSSAS REDES

ACRE

Sintomas do coronavírus e como se proteger: o que sabemos

The Wall Street Journal, via Acre.com.br

PUBLICADO

em

As autoridades de saúde estão aprendendo mais sobre o patógeno mortal por trás da pandemia.

Capa: Uma enfermeira realizou uma verificação de temperatura em um hospital em Budapeste, Hungria, na segunda-feira. FOTO: ZOLTAN BALOGH / EPA / SHUTTERSTOCK. Por Betsy McKay e Talal Ansari.

Cientistas e funcionários da saúde pública estão aprendendo mais sobre o novo coronavírus por trás de uma pandemia contínua . Estamos atualizando nossas perguntas e respostas regularmente para acompanhar suas descobertas. Aqui está o que eles sabem até agora e como você pode minimizar seu risco.

  • O que é um coronavírus?

Este vírus pertence a uma família de vírus conhecidos como coronavírus. Nomeados para os picos em forma de coroa em suas superfícies, eles infectam principalmente morcegos, porcos e pequenos mamíferos. Mas eles sofrem mutações facilmente e podem pular de animais para humanos e de um humano para outro. Nos últimos anos, eles se tornaram um participante crescente em surtos de doenças infecciosas em todo o mundo.

Sabe-se que sete cepas infectam seres humanos, incluindo este novo vírus, causando doenças no trato respiratório. Quatro dessas cepas causam resfriados comuns. Duas outras, por outro lado, figuram entre as mais mortais infecções humanas: síndrome respiratória aguda grave, ou SARS, e síndrome respiratória do Oriente Médio , ou MERS.

Esse novo vírus é chamado de síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 ou SARS-CoV-2. A doença que causa é chamada Covid-19. (O número representa 2019, o ano em que surgiu.)

Quais são os sintomas da doença e como você sabe se a possui?

O vírus infecta o trato respiratório inferior. Os pacientes desenvolvem inicialmente febre, tosse e dores, e podem evoluir para falta de ar e complicações por pneumonia, de acordo com relatos de casos. Dos quase 56.000 pacientes na China, 87,9% apresentaram febre, 67,7% tosse seca, 38,1% apresentaram fadiga e 18,6% apresentaram falta de ar. Outros sintomas menos comuns incluem dor de garganta, dor de cabeça, dores, calafrios, vômitos, diarréia e congestão nasal.

Algumas pessoas ficam levemente doentes ou são infectadas, mas não ficam doentes. Outros ficam levemente doentes por alguns dias e desenvolvem rapidamente sintomas mais graves de pneumonia.

Alguns pacientes não tiveram febre inicialmente ou podem desenvolver uma “pneumonia ambulante”, o que significa que eles podem espalhar sua infecção a outros porque não estão doentes o suficiente para ficar em um hospital.

Potencial Epidêmico

Os coronavírus estão pulando cada vez mais de animais para humanos, criando novas ameaças.

NL63 ( 1100s )

SARS (2003)

229E (1800)

MERS (2012)

OC43 (1800s)

SARS-CoV-2 (2020)

HKU1 (desconhecido)

Fonte: Timothy Sheahan, Universidade da Carolina do Norte

Quão mortal é isso?

A taxa global de mortalidade global variou entre 2% e cerca de 3,4%, de acordo com cálculos de casos confirmados e mortes em todo o mundo, que mudam diariamente. Mas a verdadeira taxa não será conhecida até que os epidemiologistas possam determinar o denominador, ou seja, quantas pessoas foram realmente infectadas. Esse número incluirá pessoas que nunca tiveram sintomas ou tiveram uma doença semelhante à gripe, mas nunca fizeram um teste para o Covid-19.

A taxa de mortalidade diferiu por região, de acordo com um relatório de uma missão internacional de especialistas liderada pela Organização Mundial da Saúde na China. A taxa de mortalidade foi de 5,8% nas primeiras semanas em Wuhan, China, onde a epidemia se originou. Mas em outras áreas menos atingidas da China, que tiveram mais tempo para se preparar para cuidar de pacientes, foi de 0,7%. A taxa na China caiu com o tempo, disse o relatório.

A taxa de mortalidade geral pode ser menor que 1%, sugeriram recentemente autoridades de saúde dos EUA no New England Journal of Medicine, se o número de casos assintomáticos ou levemente doentes for várias vezes maior que o dos casos relatados.

Ainda é mais mortal que a gripe sazonal, que tem uma taxa de mortalidade de cerca de 0,1%.

O Covid-19 parece ser menos mortal do que um patógeno relacionado – o SARS, que entrou em erupção na China em 2002 e se espalhou globalmente em 2003. O SARS matou cerca de 10% das pessoas infectadas. O Covid-19 é muito menos mortal que o MERS ou o Ebola.

Mas esse novo vírus se espalha de uma pessoa para outra com mais facilidade do que o SARS, sugerem alguns modelos de doença e estudos de caso.

Quem está mais em risco?

Adultos de todas as idades foram infectados, mas o risco de doenças graves e morte é mais alto para idosos e pessoas com outras condições de saúde, como doenças cardíacas, doenças pulmonares crônicas, câncer e diabetes. A maioria das 1.023 pessoas cujas mortes foram incluídas em um estudo do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças tinha 60 anos ou mais e / ou outras doenças. Muitos pacientes que morreram foram admitidos em hospitais quando sua doença foi avançada. Um grande estudo na China encontrou uma taxa de mortalidade de 14,8% em pessoas com 80 anos ou mais e 8% em pessoas de 70 a 79 anos, em comparação com uma taxa de mortalidade geral de 2,3% na população estudada.

Poucas crianças foram relatadas com a infecção, mas isso pode mudar. Das crianças infectadas na China, apenas uma pequena proporção estava gravemente doente, segundo a OMS. Embora a doença seja leve para adolescentes e adultos jovens, alguns tiveram doenças graves e morreram. Dos 121 pacientes norte-americanos admitidos em uma unidade de terapia intensiva, 12% eram adultos entre 20 e 44 anos, de acordo com um estudo do Centers for Disease Control and Prevention.

Qual é o risco de alguém nos EUA?

O Covid-19 se espalhou rapidamente, com casos identificados em todos os 50 estados e grandes surtos em algumas áreas. Autoridades federais, estaduais e locais estão tomando medidas sem precedentes para tentar minimizar a transmissão, como proibir grandes reuniões e impor restrições ao movimento. Todos os EUA estão sendo aconselhados a aderir a essas medidas para sua própria segurança e para proteger outras pessoas, principalmente as de maior risco.

O número de casos confirmados é substancialmente menor do que o número de infecções reais, dizem as autoridades de saúde pública, devido à escassez de testes e porque muitas pessoas infectadas podem não estar doentes o suficiente para perceber isso.

As autoridades de saúde pública esperam “achatar a curva” das infecções com as medidas de distanciamento social, retardando a propagação do vírus, de modo que menos pessoas sejam infectadas. É importante manter mais pessoas saudáveis ​​e impedir que os hospitais fiquem sobrecarregados demais para cuidar de todos os doentes.

Coronavírus: de animais a humanos

Os pesquisadores não sabem ao certo como o novo coronavírus infectou as pessoas na China, mas os vírus que causam o SARS e o MERS, originários de morcegos, fornecem pistas.

 

4-Os coronavírus também podem pular diretamente para os seres humanos, sem sofrer mutações ou passar por uma espécie intermediária.

5-Pesquisadores descobriram que o novo coronavírus provavelmente se originou em morcegos, mas não identificaram a fonte de transmissão aos seres humanos.

Fonte: Timothy Sheahan, Universidade da Carolina do Norte. Alberto Cervantes e Josh Ulick / REVISTA DA RUA DA PAREDE.

Como o vírus se espalha entre os seres humanos?

Ele transmite através de “gotículas respiratórias” quando uma pessoa infectada fala, tosse ou espirra, de acordo com a OMS. As gotículas se espalham pelo ar e podem pousar na boca ou no nariz de outra pessoa, ou possivelmente ser inaladas em seus pulmões, infectando-as. As gotículas também podem assentar em superfícies próximas, como uma mesa, balcão ou maçaneta, onde podem sobreviver por um período. Uma pessoa pode ser infectada tocando em uma superfície contaminada e depois em sua boca, nariz ou olhos.

As gotículas respiratórias são pesadas e não viajam para longe no ar; portanto, acredita-se que a transmissão ocorra principalmente por meio de contato próximo, ou seja, a um metro e meio de uma pessoa infectada.

Os cientistas também estão investigando se o novo coronavírus pode se espalhar pela urina ou fezes. Testes encontraram no trato digestivo de alguns pacientes. A OMS afirmou que não acredita que a chamada transmissão fecal-oral seja um fator de transmissão do Covid-19.

Quanto tempo o vírus pode sobreviver em superfícies?

Pode durar até 72 horas em plástico e aço inoxidável, até 24 horas em papelão e quatro horas em cobre, de acordo com um estudo do New England Journal of Medicine realizado por cientistas acadêmicos e do governo dos EUA. Mas isso se degrada rapidamente, disse Vincent Munster, virologista do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas que liderou a pesquisa.

O estudo também mostrou que o vírus pode sobreviver em pequenas gotas, conhecidas como aerossóis, por cerca de três horas, embora se desintegre com o tempo. Essas gotículas são pequenas o suficiente para permanecer suspensas no ar por meia hora a uma hora, dependendo do fluxo de ar, disse o Dr. Munster.

Limpe as bancadas, maçanetas e outras superfícies comumente tocadas com freqüência. Toalhetes e limpadores desinfetantes domésticos regulares matam o vírus.

Com que facilidade o vírus se espalha?

Os especialistas em modelagem de doenças estimaram que, em média, cada pessoa infectada transmitiu o vírus para cerca de 2,6 outros, embora o intervalo esteja entre 1,5 e 3,5. Essas taxas são mais altas do que para alguns vírus influenza, algumas mais baixas que a SARS e muito mais baixas que o sarampo, em que uma pessoa infectada pode transmitir o vírus para 12 a 18 outras pessoas.

Especialistas em saúde pública alertam que essas estimativas são preliminares, mudam com o tempo e podem ser reduzidas por medidas para impedir a propagação do vírus.

Especialistas estão debatendo com que facilidade o vírus é transmitido. A missão de especialistas liderada pela OMS que visitou a China relatou que os grupos de transmissão ocorreram em grande parte nas famílias, sugerindo contato próximo. Outros surtos sugerem padrões mais difundidos.

Qual é o período de incubação?

As pessoas ficam doentes entre dois e 14 dias após a infecção, de acordo com a maioria das estimativas. Um relatório descreveu uma pessoa que ficou doente 27 dias após a infecção. No entanto, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins descobriu que o período médio de incubação é de 5,1 dias , e 97,5% daqueles que desenvolvem sintomas o farão em 11,5 dias.

Existe um teste?

Sim, existem testes de diagnóstico que você pode obter através de um médico ou hospital, que são a única maneira de confirmar com certeza se um paciente tem o novo coronavírus ou outra infecção. Centenas de milhares de pessoas foram testadas na China e na Coréia do Sul. Nos EUA, os testes foram limitados por critérios snafu e estreitos. Agora, mais testes estão sendo distribuídos e o CDC diz que os médicos podem decidir se um paciente deve ser testado.

Um teste de sangue foi recentemente licenciado na China para testar pessoas quanto a anticorpos contra o vírus, para determinar quantos foram infectados. Alguns podem não ter ficado doentes. Esse teste também pode mostrar se as pessoas que ficaram doentes estão imunes à reinfecção.

As máscaras podem protegê-lo?

Especialistas em saúde e fabricantes de máscaras afirmam que apenas uma máscara respiratória reutilizável N95 usada e certificada por uma agência independente pode se proteger contra o vírus. Mas o CDC dos EUA diz que você não precisa usar uma máscara, a menos que esteja cuidando de alguém que está doente. Além disso, o suprimento de máscaras é pequeno e deve ser economizado para os profissionais de saúde e cuidadores , afirma o CDC.

Quão eficazes são as máscaras?

A Organização Mundial da Saúde e outros especialistas relatam que a eficácia de uma máscara em ambientes sociais é inconclusiva. Mas alguns especialistas em saúde e fabricantes de máscaras dizem que, quando usada adequadamente, a máscara respiratória N95 pode se proteger contra o novo coronavírus.

 

O que mais posso fazer para me proteger?

A coisa mais importante que você pode fazer é lavar as mãos com frequência, por pelo menos 20 segundos de cada vez . Lave-os regularmente quando estiver no escritório, quando voltar para casa, antes de comer e outras vezes em que estiver tocando superfícies. Você também pode usar um desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 60% de álcool. Não toque nos olhos, nariz ou boca – os vírus podem entrar no seu corpo dessa maneira. Limpe objetos e superfícies com freqüência com o limpador doméstico, que matará o vírus. Mantenha distância das pessoas que estão doentes. Fique cerca de 1 metro ou mais dos outros.

Uma caixa ajudou um comprador em um supermercado em Pfastatt, França, na segunda-feira. FOTO: SEBASTIEN BOZON / AGENCE FRANCE-PRESSE / GETTY IMAGES.

Armazene alguns suprimentos quando recomendado para ficar em casa, dizem especialistas em doenças infecciosas. Os itens a serem considerados incluem alimentos estáveis ​​nas prateleiras, como latas de feijão, pacotes de arroz e macarrão e bebidas; analgésicos e outros medicamentos comuns; medicamentos com receita extra; e produtos de higiene e limpeza.

Você pode pegar o vírus de alguém antes mesmo que ele tenha sintomas?

Vários estudos já mostraram que pessoas que não apresentam sintomas, sintomas precoces ou sintomas leves podem transmitir o vírus a outras pessoas. Os cientistas dizem que esse tipo de transmissão pode ser comum e uma possível explicação para o motivo pelo qual o vírus se espalha tão rapidamente. Eles estão estudando mais. O CDC aconselha as pessoas a manter uma distância segura – 6 pés ou mais – dos outros se o Covid-19 estiver se espalhando em suas comunidades.

Como foram os primeiros pacientes

Em 2 de janeiro , os pesquisadores identificaram 41 novos pacientes com coronavírus que haviam sido internados no hospital em Wuhan, China.

O que devo fazer se desenvolver sintomas?

Se você acha que foi exposto e apresenta sintomas como febre, tosse ou falta de ar, ligue para o seu médico. Pergunte se você pode ser testado. Ele ou ela provavelmente o testará primeiro para outras infecções respiratórias, como a gripe.

Isolar-se dos outros e limitar o contato com animais de estimação também. Cubra a boca e o nariz com um lenço de papel quando tossir e espirrar. Siga as mesmas precauções para evitar a infecção, lavando as mãos regularmente. Use uma máscara, se você tiver uma, quando estiver perto de outras pessoas em casa.

Você pode ser infectado depois de já ter tido a doença?

Isso ainda não é conhecido. Às vezes, uma pessoa é imune a uma doença após uma infecção, mas nem sempre. Exames de sangue que revelam quantos anticorpos as pessoas que se recuperaram terão alguma luz sobre as perspectivas de imunidade.

Quão preocupado eu deveria estar?

A maioria das pessoas infectadas pode ficar levemente doente, sugerem dados. Mas “leve” pode ser qualquer coisa, desde febre, tosse e dores a pneumonia. Portanto, para a maioria das pessoas, provavelmente não são apenas algumas fungadas. E leve ou não, você terá que estar isolado ou em quarentena.

Ao não ser infectado, você também protegeria as pessoas à sua volta, incluindo membros mais velhos da família ou qualquer pessoa conhecida com doença cardíaca ou diabetes, condições que aumentam o risco de doenças graves.

Dos 44.672 casos na China, 81% apresentavam sintomas leves, 13,8% estavam gravemente doentes e 4,7% estavam gravemente doentes, segundo o CDC chinês. Todos os que morreram estavam em estado crítico.

As autoridades de saúde pública estão tentando determinar quantas pessoas foram infectadas, incluindo aquelas que não ficaram doentes. Eles estão preocupados e querem conter o vírus porque seus efeitos não são totalmente conhecidos. Além disso, novos vírus podem sofrer mutações, possivelmente se tornando mais virulentos à medida que avançam na população.

E se eu tiver que me auto-isolar?

Se lhe for pedido para se auto-isolar, você precisará ficar em casa e evitar o contato com outras pessoas por 14 dias. Tente não ficar na mesma sala com outras pessoas ao mesmo tempo, recomenda o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido. Fique em uma sala bem ventilada com uma janela que pode ser aberta. Não compartilhe toalhas, utensílios ou pratos com outras pessoas e lave-os bem após o uso. Limpe banheiros e superfícies regularmente. Lave as mãos antes e depois do contato com animais de estimação.

Não vá a lugares públicos; peça aos familiares ou amigos que comprem mantimentos, medicamentos e outros suprimentos para você. Peça ao pessoal de entrega para deixar os itens do lado de fora.

De onde veio o novo coronavírus?

O novo vírus provavelmente veio originalmente de morcegos, dizem os cientistas. Não se sabe exatamente onde ou como ele saltou para os seres humanos. Os vírus dos morcegos geralmente infectam outro mamífero primeiro e depois sofrem mutações para se tornarem mais transmissíveis aos seres humanos. Uma hipótese é que o animal intermediário para esse novo vírus possa ser um pangolim, um pequeno mamífero vendido nos mercados da vida selvagem, valorizado por sua carne e escamas que cobrem seu corpo.

As autoridades de saúde acreditam que o surto se originou em um grande mercado de animais e frutos do mar em Wuhan, China.

Dos 41 primeiros casos, 27 tiveram alguma exposição a esse mercado, de acordo com um relatório da Lancet. Mas três das quatro primeiras pessoas a adoecer, em 1 e 10 de dezembro, disseram não ter contato com o mercado.

Um estudo no New England Journal of Medicine descobriu que 55% dos pacientes em Wuhan que adoeceram antes de 1º de janeiro tinham um vínculo com o mercado, em comparação com 8,6% daqueles que adoeceram depois desse ponto. Os cientistas dizem que levará algum tempo para identificar a fonte exata.

O vírus está sofrendo mutações, particularmente de uma forma que o tornaria mais contagioso?

Embora o vírus tenha feito algumas alterações genéticas – como os vírus de RNA costumam fazer -, nenhum o tornou mais mortal ou mais contagioso , de acordo com especialistas.

É seguro viajar internacionalmente?

O Departamento de Estado aconselha os cidadãos dos EUA a evitar todas as viagens ao exterior devido ao impacto global do Covid-19 e instou os americanos atualmente no exterior a voltar para casa imediatamente.

Os cidadãos que permanecem em países onde ocorrem surtos devem ficar em casa o máximo possível, limitar o contato com outras pessoas e seguir as orientações do CDC para prevenir a infecção, dizem as autoridades dos EUA.

Existem medicamentos para tratar os coronavírus?

Não existem medicamentos ou vacinas aprovados especificamente para o novo vírus. Mas mais de três dezenas estão em desenvolvimento ou sendo estudadas. Os primeiros testes em humanos da vacina experimental da Moderna Inc. contra o vírus começaram no Instituto de Pesquisa em Saúde Kaiser Permanente Washington, em Seattle, anunciaram os Institutos Nacionais de Saúde. Embora esta primeira parte esteja começando cedo, a estimativa ainda é que o teste da vacina leve um ano a 18 meses para ser concluído. Alguns outros fabricantes de vacinas estão desenvolvendo produtos direcionados ao vírus .

Dois ensaios clínicos na China e um nos EUA estão avaliando o remdesivir, um medicamento antiviral da Gilead Sciences Inc. que também foi testado para o Ebola.

Os produtos importados podem transmitir o vírus?

Isso é improvável, diz o CDC. Os coronavírus geralmente não sobrevivem tanto tempo em superfícies inanimadas, de acordo com a agência. 

Por The Wall Street Journal

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Segundo vídeo da campanha #FiqueBemFiqueEmCasa tem garotos-propagandas de Claro, Oi, TIM e Vivo

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Anitta (Claro), Whindersson Nunes (Oi), Simone e Simaria (TIM) e Ivete Sangalo (Vivo) falam das inciativas das operadoras e pedem para que a população fique em casa

Claro, Oi, TIM e Vivo se uniram em um movimento para ajudar os brasileiros que estão em casa durante o isolamento social por conta da pandemia do Covid-19. Com a hashtag #FiqueBemFiqueEmCasa, as operadoras lançaram uma campanha no último dia 26 que apresenta as iniciativas em comum das empresas para as pessoas a se conectarem e atravessarem o período da melhor forma. Agora, elas juntaram Annita (Claro), Whindersson Nunes (Oi), Simone e Simaria (TIM) e Ivete Sangalo (Vivo), reforçando a mensagem de que a conexão é fundamental para garantir a proximidade e mostrando que as empresas estão trabalhando em conjunto para garantir este acesso.

No vídeo de 45 segundos, os cinco anunciam: Claro, Oi, TIM e Vivo se uniram. “Enquanto você puder ficar em casa, a gente vai seguir fazendo tudo pra você ficar bem”, diz Whindersson. “Porque essa guerra a gente vence quando a gente consegue estar próximo de quem a gente ama”, completa Ivete. “ Nós podemos e vamos fazer tudo para melhorar esse momento”, diz Anitta. “Fique bem fique em casa. Movimento todos juntos contra o vírus”, encerram os artistas. O filme será divulgado nas redes sociais das operadoras e nas redes dos cinco artistas a partir de hoje.

A campanha, criada pela Africa em parceria com as agências Havas+, NBS e Talent, contempla diversas peças, que serão veiculadas nas TV aberta e fechada, nos canais digitais das operadoras, web e em mídia externa em todo o país.

Iniciativas

As empresas adotaram diversas iniciativas nesse momento para trazer o máximo de informação e possibilidades de entretimento às famílias, como a liberação de conteúdo de TV e internet, bônus de internet no celular e navegação gratuita no app Coronavírus SUS. O objetivo neste momento é garantir plena conectividade para ajudar toda a população nos compromissos de trabalho e estudo, nas interações à distância. Tudo isso com tecnologia de ponta e uma rede confiável.

Veja o vídeo em: http://www.youtube.com/watch?v=GjLYsxUQ7Fg&feature=youtu.be

Sobre a TIM

A TIM segue com sua missão de conectar e cuidar de cada um para que todos possam fazer mais. Para isso, atua focada nos pilares estratégicos de oferta, infraestrutura, eficiência e experiência do cliente, com base em uma cultura interna de accountability e na mudança de processos e plataformas que permitam a transformação digital. A empresa é desde 2015 líder em cobertura 4G no País e referência nas tendências do mercado, em linha com a assinatura da marca: “A inovação não para”.

A companhia é a única do setor de telecomunicações a integrar o Novo Mercado da B3, reconhecido como nível máximo de governança corporativa, além de estar há 12 anos seguidos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE): é a operadora por mais períodos consecutivos nesta carteira. Também é primeira empresa de telefonia reconhecida pela Controladoria-Geral da União (CGU) com o selo Pró-Ética, iniciativa que existe com o objetivo de promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente. Para mais informações, acesse: https://www.tim.com.br.

Continue lendo

ACRE

Coronavírus: MPAC emite recomendação sobre licitações e execução de contratos

Agência de Notícias MPAC, via Acre.com.br

PUBLICADO

em

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate à Corrupção (Gaecc), emitiu uma recomendação ao governo do Estado e à prefeitura de Rio Branco para que adotem as medidas necessárias à garantia da lisura dos processos de contratação e execução de contratos relacionados ao enfrentamento da Covid-19.

O mesmo será feito em relação aos gestores dos demais municípios. Os membros do Gaecc querem que todas as informações sejam disponibilizadas no Portal da Transparência, de forma clara e objetiva, para que a população possa saber como os recursos públicos estão sendo utilizados.

Segundo a promotora de Justiça Patrícia Paula dos Santos, coordenadora do Gaecc, a orientação é para que seja observada a legislação no que diz respeito à dispensa de licitação e compras emergenciais, sendo garantida ampla publicidade aos atos, que devem ser encaminhados ao MPAC para o devido acompanhamento e fiscalização.

“A medida visa dar transparência aos atos praticados pela administração pública no tocante a dispensa de licitação para aquisição de bens, serviços e insumos de saúde destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus”, explica.

Patrícia Paula ressalta que a medida é preventiva e visa evitar o desvio de dinheiro público, assim como a correta aplicação dos recursos.

“A discricionariedade do que é emergencial e do que cabe ou não a dispensa de licitação fica a critério da administração pública, mas cabe ao Ministério Público fiscalizar e acompanhar os processos para que o recurso público seja empregado naquilo que realmente é essencial, e havendo necessidade da compra que seja feita com preço justo, respeitando o que orienta a legislação”, acrescenta.

Além da coordenadora do Gaecc, assinam a recomendação, os promotores de Justiça Ocimar da Silva Sales Júnior, Antônio Alceste Callil de Castro, Thiago Marques Salomão, Pauliane Mezabarba Sanches, Thalles Ferreira Costa, Luis Henrique Correa Rolim, Júlio César de Medeiros Silva, Carlos Augusto da Costa Pescador, Daisson Gomes Teles, José Lucivan Nery de Lima, Manuela Canuto de Santana Farhat, Vanessa de Macedo Muniz, Bianca Bernardes de Moraes e Flávio Bussab Della Líbera.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias