NOSSAS REDES

MUNDO

Steve Jobs era um pai “frio, cruel e desumano”

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

No novo livro de Lisa Brennan-Jobs, o criador da Apple é descrito como um pai frio, distante e cruel. O livro de memórias será lançado em setembro, mas já está gerando polêmica.

Lisa Brennan-Jobs nasceu quando Steve Jobs tinha apenas 23 anos. Agora, a filha do fundador da Apple lança um livro no qual descreve a difícil relação que tinha com o pai, que chegou, inclusive, a rejeitar assumi-la como filha.

O novo livro, que promete revelar o lado mais pessoal de Steve Jobs, deverá chegar às bancas já no próximo mês e é uma autobiografia da sua filha mais velha. Na obra, Lisa confirma que o pai não quis assumir a paternidade no início, tendo jurado em depoimento que era estéril, e foi obrigado pelo tribunal a pagar uma pequena pensão alimentícia.

Mas apesar de ainda não podermos encontrar o Small Fry nas livrarias, o livro já está causando polêmica, tendo feito com que a viúva de Steve Jobs, Laurene Powell-Jobs, emitisse um comunicado para desmentir o perfil feito do marido, que faleceu há sete anos, informa o Observador.

Os trechos do livro, publicados na Vanity Fair e no New York Times, dão conta de que o criador da Apple era um pai pouco participativo na vida da filha mais velha.

Segundo a autora da obra, o tribunal obrigou Steve Jobs a pagar 385 dólares à mãe da sua filha, um valor que o próprio aumentou para 500 dólares, sem contar com o seguro-saúde, até que Lisa completasse os 18 anos.

“O caso foi finalizado em 8 de dezembro de 1980, com os advogados do meu pai insistindo que fosse fechado. Quatro dias depois, a Apple se tornou pública e, de um dia para o outro, meu pai passou a valer mais de 200 milhões de dólares”, conta Lisa.

Estas e outras revelações fizeram com que a viúva e a irmã de Steve Jobs viessem a público defender a imagem do empreendedor. Em comunicado recente, citado pelo Business Insider, Laurente Powell-Jobs e Mona Simpson afirmam que a descrição feita por Lisa “diferem dramaticamente” das memórias que ambas têm da época em questão.

“O Steve amava a Lisa e lamentou não ser o pai que deveria ter sido na sua infância. Foi um grande consolo para o Steve ter a Lisa em casa com todos nós nos últimos dias de vida”, afirmou Laurene. Segundo o Observador, um desses últimos encontros entre pai e filha é retratado por Lisa Brennan, a quem o pai disse: “tem cheiro de banheiro”.


 

Chrisann Brennan, mãe de Lisa, disse ao New York Times que apesar de ter sido “mesmo muito difícil” ler o livro, a descrição está “correta”, e deixa no ar o fato de existirem ainda coisas piores para contar.

O livro será colocado à venda no mercado norte-americano já no próximo dia 4 de setembro. Ciberia // ZAP

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat