NOSSAS REDES

CULTURA

Tribunal de Justiça abre a exposição “Origens” do artista plástico Gabriel Rodrigues

PUBLICADO

em

Mostra acontece no Hall das Câmaras Cíveis e Criminal, Sede Administrativa do TJAC, até o dia 31 de agosto.

A exposição “Origens”, composta por 17 gravuras, do artista plástico Gabriel Rodrigues, foi aberta no hall das Câmaras Cíveis e Criminal, no primeiro piso, na sede do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), na manhã desta quinta-feira, 26. As obras mostram a identidade do povo acreano e ficarão expostas até o dia 31 de agosto.

Ao abrir o evento, o presidente, em exercício, do TJAC, desembargador Francisco Djalma, asseverou que a gestão do Tribunal de Justiça Acreano tem incentivado a cultura, promovendo exposições nas unidades judiciárias. “Nós já fizemos outras exposições e essa ficará em nossos anais pela sua beleza e criatividade”, disse o magistrado.

Compuseram o dispositivo de honra, na abertura do vernissage, os desembargadores Samoel Evangelista, Pedro Ranzi e Elcio Mendes, o procurador do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Danilo Lovisaro, e, autor das obras de artes, Gabriel Rodrigues.

Em seu discurso, o artista plástico, que é autodidata e formado em Direito, ressaltou a necessidade da valorização da cultura local, especialmente, dentro dos espaços da Justiça. “Arte e Justiça são uma possibilidade. A arte ajuda a Justiça a se transformar. A arte lembra a humanidade da nossa capacidade de transcender. É um suspiro”.

“Origens”

Os quadros da exposição foram desenvolvidos ao longo de cinco anos e representam a cultura acreana, o sincretismo religioso e a diversidade étnica dos povos que compõem o Brasil, com ênfase ao Acre. Assim, como trazem a temática da Justiça. Além disso, as gravuras são confeccionadas com lápis de cor, somente uma das obras exposta foi utilizada caneta tinteiro.

As gravuras chamam-se: Ayahuasca; Arigó, os Heróis da Borracha; Seringueira, Árvores Mãe; Mãe da Lua e a saudades; Gameleira; Pião roxo pra panema; As marcas do desconhecido; Tributo; Revolução Acreana; Constituição e Poderes; Origem/Ama; Aparecida; II Estação – Jesus carrega a Cruz; III Estação – Jesus cai pela primeira vez; IV Estação – Jesus encontra sua santíssima mãe; Helicônia; Justiça.

O artista já havia exposto no Poder Judiciário Acreano, no Palácio da Justiça, a exposição “Acre: as identidades de um povo”, em outubro de 2017, e agora apresenta suas obras na Sede Administrativa do TJAC.

Algumas das obras estarão à venda. Os interessados podem entrar em contato com a Secretaria de Relações Públicas e Cerimonial do TJAC (Serep), que intermediará o contato com o artista. Gecom/TJAc.

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS