NOSSAS REDES

EDUCAÇÃO

Violência obstétrica é tratada em audiência pública promovida pelo MPAC nesta terça

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

https://i1.wp.com/www.mpac.mp.br/wp-content/uploads/Viol%C3%AAncia-Obst%C3%A9trica2.png?resize=740%2C414

Uma audiência pública para tratar da saúde sexual e reprodutiva de mulheres em Rio Branco será realizada pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) nesta terça-feira (18). O evento ocorre no auditório do MP acreano a partir das 8h e é aberto a toda a sociedade.

A intenção é dar visibilidade e promover a difusão de informações, expondo ações, estudos e discussões acerca da violência obstétrica, enquanto violência de gênero e discriminação contra a mulher, bem como, da assistência obstétrica humanizada e à gravidez, parto e puerpério.

“Com isso, pretendemos construir uma agenda de trabalho com os profissionais de saúde, sobretudo da rede pública, visando definir e implementar ações de melhorias dos serviços às mulheres”, explica o promotor de Justiça de Defesa da Sáude, Glaucio Oshiro.

O debate da problemática será feito junto a gestores estaduais e municipais responsáveis, bem como, órgãos governamentais e não-governamentais envolvidos com a temática, em especial, representantes de maternidades públicas e particulares de rio branco e acadêmicos e profissionais com estudos científicos na área.

Também serão convidados a participar da discussão, Poder Judiciário, Defensoria Pública, OAB, Associação dos Municípios do Acre (Amac), universidades e faculdades ligadas à saúde e assistência social, conselhos e associações ligados a saúde, bem como, federação e associações de trabalhadores rurais do Acre, que prestam atenção à mulher no âmbito rural e ou à mulher indígena.

A iniciativa é da Promotoria de Justiça Especializada de Defesa da Saúde com o apoio do Centro de Atendimento à Vítima (CAV), do MPAC.

Violência obstétrica

Embora o termo assuste, nem todas as mulheres estão familiarizadas com o assunto. Muitas já foram vítimas desse tipo de agressão, que pode ser física ou verbal, tanto durante o parto quanto no pré-natal. Ela vai desde um tom de voz ríspido à recusa de atendimento e realização de intervenções e procedimentos médicos não necessários (exames de toque repetitivos,  cesáreas desnecessárias, entre outros).

Em casos de violência obstétrica, é aconselhável procurar o Ministério Público para apurar tanto a conduta do profissional como da instituição. Como muitas vezes a violência obstétrica é cultural, não necessariamente um indivíduo é o culpado, mas todo o sistema.

Violência obstétrica. Denuncie. Você não está sozinha.

Para ter acesso ao edital de publicação da audiência pública, basta clicar aqui.

André Ricardo – Agência de Notícias do MPAC

EDUCAÇÃO

Em Tarauacá, Prefeitura abre inscrições gratuitas para o Projeto Rondon; veja os cursos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Prefeitura de Tarauacá, através da Secretaria de Administração, firmou parceria com o Projeto RONDON para que seja disponibilizado cursos, palestras,  oficinas sobre diversos temas. O Projeto RONDON é uma iniciativa do Ministério da Defesa.

A Secretária Municipal de Administração Emili Figueiredo afirmou que ´a iniciativa tem o propósito de qualificar pessoas para o mercado de trabalho, oferecendo um curso preparatório e conhecimentos básicos e úteis para o exercício de uma atividade remunerada´, destacou a Secretária. 

Os cursos oferecidos são:

• MARKETING PESSOAL E CURRÍCULO.

Oficina: COMO SE DESTACAR EM PROCESSOS SELETIVOS

• FORMAÇÃO CAMAREIRA

Oficina: COMO GARANTIR DINHEIRO PELO YOUTUBE

• PLANEJAMENTO MUNICIPAL

• FORMAÇÃO GARÇOM

• FORMAÇÃO DE SECRETÁRIOS

As inscrições são gratuitas.  Os interessados podem se dirigir à Secretária de Administração, à partir do dia 11 de julho. De 8 às 12h e 14 às 17 h.

Os documentos necessários são:
•RG
•CPF

CONHEÇA OS CURSOS:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continue lendo

CULTURA

Mais de 3 mil cães e gatos da zona rural de Rio Branco devem ser vacinados contra raiva

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Mais de três mil cães e gatos da zona rural de Rio Branco devem ser vacinados contra raiva até 31 de julho. A campanha antirrábica iniciou no final do mês de abril e termina em outubro.

Primeiro serão vacinados os animais da zona rural. A partir do mês de agosto, animais da zona urbana da capital acreana vão receber a imunização.

Dados da Vigilância em Saúde de Rio Branco apontam que precisam ser vacinados 3.250 mil cães e 323 gatos. O coordenador da Vigilância em Saúde, Félix Araújo, contou que a cidade tem cerca de 74 mil animais e a meta é imunizar 80%.

“Começamos nessa área, porque é onde temos mais casos de contaminação pela raiva. A campanha encerra em outubro, porque temos que reforçar a área urbana. Nesse período, a gente antecipa pela questão do acesso aos ramais com o período do verão”, reforçou.

Araújo acrescentou que serão vacinados animais de ruas e os domésticos durante a campanha. Ele pediu também que a população ajude na mobilização e levando os animais até os pontos de vacinação.

“O importante é que a população nos ajude. Às vezes, reclamam que machucam o animal, mas não ajudam a mobilizar o animal para fazer o procedimento sem colocar em risco o profissional e as pessoas próximas”, avaliou.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp OLÁ INTERNAUTA! : )