NOSSAS REDES

Segurança Pública

Ala psiquiátrica de presídio no Acre tem quase 30 internos e está superlotada, aponta Iapen

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na ala, são feitas atividades terapêuticas e os internos são acompanhados por profissionais. Unidade foi inaugurada em 2016.

O Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco, atualmente está superlotada acomodando 26 internos na ala de saúde mental, que trata de presos com dois perfis: os que apresentam transtorno mental e cometem crimes e aqueles que cumprem pena e, quem em virtude do uso abusivo de drogas, acabam desenvolvendo alguns transtornos.

Atualmente, o número de presos nesta ala está acima do que unidade comporta. Ao ser inaugurado há 3 anos, o local tinha vagas para apenas 16 presos. Hoje, cada alojamento acomoda de 4 a 5 internos, segundo o Iapen.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) explica que os que têm transtorno e cometem crime não são considerados presos e sim pessoas que receberam uma medida de segurança em regime de internação.

A pessoa recebe a medida de segurança em regime de internação deve ser reavaliada através de exame de cessação de periculosidade e sanidade mental, feitos anualmente por peritos do Instituto Médico Legal (IML).

“Nesta avaliação pode ser convertida em modelo ambulatorial. Assim, o entregamos à família e orientamos em relação à continuidade do tratamento junto à rede externa. Na ala, trabalhamos com atividades em grupo, individual, recreativa e médica”, explica a psicóloga responsável pela ala, Samara Danzicourt´.

Na ala, são feitas atividades terapêuticas e os internos são acompanhados por profissionais — Foto: Divulgação/IapenNa ala, são feitas atividades terapêuticas e os internos são acompanhados por profissionais — Foto: Divulgação/Iapen

Na ala, são feitas atividades terapêuticas e os internos são acompanhados por profissionais — Foto: Divulgação/Iapen

Apenas Rio Branco tem ala psiquiátrica

Apenas o presídio em Rio Branco possui uma ala com esse tipo de atendimento. De acordo com o Iapen, dos 26 internos atualmente na unidade, três são do interior do estado.

Os presos que recebem medida de segurança podem ser enquadrados no regime de internação ou ambulatorial.

A internação é apenas em casos que o interno oferece risco a si próprio ou a terceiros. O correto, segundo o Iapen, seria que essa pessoa fosse internada em um hospital até estabilizar o quadro e daí ser encaminhada ao modelo ambulatorial, sendo acompanhado pela rede de atenção à saúde mental, CAPS [Centros de Atenção Psicossocial], e família.

Porém, como não ocorre, muitas vezes esse preso pode ter a medida de segurança convertida em modelo ambulatorial, onde fica com a família e recebe o atendimento de saúde dessa rede externa.

“A pessoa com transtorno mental necessita ser acompanhada por uma equipe com psicólogos, médicos e terapeutas. Recebendo o tratamento adequado, ela tem condições de conviver em sociedade perfeitamente”, destaca a psicóloga.

É importante destacar que os presos dessa ala não têm contato com os demais detentos do sistema carcerário da unidade em Rio Branco.

Ala tem 3 anos

A ala voltada para presos com problemas de saúde mental foi inaugurada em 18 de março de 2016. O local tem 320 metros quadrados e oito celas e que poderia atender até 16 detentos. Na época, o Estado colocou a medida como um avanço no sistema prisional, visto que é a única ala desse tipo no estado.

Dados do sistema prisional no Acre

Dados do Iapen apontam que há 7.915 presos em todo o estado. Desse número, 2.552 são provisórios. O deficit de vagas é de 1.877 vagas, mas o Iapen alega que 400 vagas estão em construção. Desse total, 1,4 mil presos trabalham e 180 presos terminaram os estudos no ano passado.

Unidade tem oito celas e comporta 16 detentos e foi inaugurada em 2016 — Foto: Reprodução/Rede Amazônica AcreUnidade tem oito celas e comporta 16 detentos e foi inaugurada em 2016 — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Unidade tem oito celas e comporta 16 detentos e foi inaugurada em 2016 — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

CRIME

PM apreende menores que estavam aterrorizando moradores na Boca do Caeté

Senaonline.net, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Polícia Militar de Sena Madureira conseguiu retirar de circulação, nesta sexta-feira (20), dois menores de idade que estavam causando o terror aos moradores da comunidade Boca do Caeté. Eles são acusados na prática de pelo menos 03 furtos e assaltos naquela região.

O primeiro menor apreendido tem 17 anos. Policiais receberam uma denúncia que o mesmo estaria transportando drogas para a Boca do Caeté. A guarnição deslocou-se até a conhecida estrada do Tião e conseguiu flagrá-lo com 02 tabletes de maconha.

O outro infrator, de 14 anos, estaria escondendo uma caixa de som que, por sinal, foi objeto de furto. Esse menor foi apreendido juntamente com o material.

A Polícia também constatou que eles teriam participado de uma tentativa de homicídio, assalto a um pastor evangélico e furtos, inclusive na Escola Anjo da guarda, de onde foi surrupiada a merenda dos alunos. “Com a retirada dos dois de circulação, a paz vai voltar a reinar na Boca do Caeté”, comentou o Tenente Fábio Diniz.

Continue lendo

CRIME

Polícia de Xapuri procura suspeitos de participação em assassinato de jovem de 20 anos

O Alto Acre, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Investigadores da Polícia Civil da cidade de Xapuri, distante cerca de 188km da capital do Acre, tomou conhecimento por volta das 21 horas desta sexta-feira, dia 20, do assassinato de um homem no bairro Sibéria.

Homens da Polícia Militar teriam sido os primeiros a chegar no local, na Rua São João do Guarani, onde encontraram o corpo de José Oliveira de Brito, de 20 anos, já sem vida e com uma arma branca (faca) na mão direita. Socorristas do Corpo de Bombeiros foram até o local, mas, nada puderam fazer.

Segundo foi informado pelo investigador chefe, Eurico Feitosa, que está com a equipe em campo, a vítima já seria a terceira com morte trágica na família em menos de cinco anos, da mesma forma.

As primeiras informações arte o momento, já leva a crer que ao menos duas pessoas estão envolvidas no assassinato de José Oliveira, que era conhecido por “Zé da Orlene”. O corpo foi resgatado para o necrotério do hospital da cidade, para em seguida ser levado ao IML na Capital.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp WhatsApp Notícias