NOSSAS REDES

BOM EXEMPLO

Eficiente, Servidora do TJAC trabalha cumprindo metas através de teletrabalho pela internet

Gecom TJAC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Servidora do TJAC relata como teletrabalho permitiu conciliar tarefas profissionais e cuidar da filha com paralisia cerebral.

Em junho deste ano, Vera Sidou foi autorizada a trabalhar de casa pela Presidência do TJAC.

Na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, o Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) tem organizado algumas ações voltadas ao tema. Uma delas é referente a história da servidora efetiva Vera Sidou, que teve o pedido de teletrabalho deferido pela Administração, para cuidar da filha de 19 anos, diagnosticada com outras formas de paralisia cerebral, microcefalia, epilepsia e retardo mental grave.

Em caráter de teletrabalho, desde junho de 2019, no município de Cruzeiro do Sul, a servidora tem conseguido organizar da melhor forma o desenvolvimento de suas tarefas sem sair de casa, otimizando seu tempo e melhorando a qualidade de vida de sua família, sem prejuízo na qualidade e celeridade na execução de seu trabalho.

“Meu trabalho em casa me proporcionou mais tranquilidade, principalmente, quando ela (filha) tem convulsões, estou sempre perto para socorrê-la, para ministrar seus remédios nas horas certas e o mais importante de tudo, minha presença a torna mais confiante”, disse.

A servidora afirma ainda que ter um filho especial não anula o ser profissional. “Ao contrário, nos torna mais capazes de organização, atenção e força de passar todos os obstáculos apresentados. Os cuidados dispensados à ela (filha) são feitos por mim e seu pai, não temos cuidador, até porque é muito difícil encontrar uma pessoa que dedique atenção e amor a uma pessoa presa a seu próprio corpo”, afirma.

Em agenda no interior do estado, o desembargador-presidente Francisco Djalma visitou a servidora, conheceu a situação in loco e reafirmou o compromisso que a atual administração tem em garantir a inclusão e acessibilidade no Poder Judiciário Acreano.

“Entendemos o quanto a situação é difícil e o TJAC, por meio da Presidência, quer amenizar essa dificuldade. Nesse caso, por exemplo, deixando a mãe trabalhar de casa para ficar presente diariamente com a filha. O teletrabalho ajuda muito nessas questões”, comentou o presidente do TJAC.

Ele ainda destacou a contratação, via estágio, através de Termo de Cooperação Técnica com o Centro de Atendimento Especializado Dom Bosco, de duas jovens com síndrome de Down. Uma exerce a atividade no Centro Cultural do TJAC, o Palácio da Justiça, e a outra na Gerência de Qualidade de Vida (GEVID).

Pessoas com síndrome de Down têm oportunidade de emprego no TJAC

TJAC inicia tratativas para contratação de jovens com Down para área administrativa

Na sexta-feira, 30, o TJAC também participará de uma Audiência Pública para mostrar os avanços que tem conquistado quando se trata de inclusão e acessibilidade. A atividade tem a finalidade de conhecer as Associações e Conselhos de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e os trabalhos desenvolvidos, bem como conhecer as dificuldades que essas pessoas encontram ao acessar os Sistemas de Justiça no Acre. A Audiência Pública será às 15 horas, no auditório do Palácio da Justiça.

“As políticas públicas  são necessárias para garantir a efetivação de direitos e, essas só são possíveis se iniciadas por pesquisas referentes às situações enfrentadas pelo grupo a quem se destina a política, aos exemplos já implantados em outros países, ao contato direto com o grupo afetado, para assim conhecer as suas demandas, necessidades e opiniões acerca do tema. Assim, é por meio da participação de magistrados, servidores e usuários do serviço de justiça e do comprometimento do poder judiciário, que é possível implantar uma política pública de acessibilidade de qualidade ao longo das administrações. O TJAC vem aprimorando e elevando o nível de atenção com o tema”, disse a presidente do Comitê de Acessibilidade, juíza de Direito Andréa Brito.

Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla foi instituída pela Lei Federal nº 13.585/2017, entre os dias 21 e 28 de agosto em todo país.

Teletrabalho

A implantação do teletrabalho é de caráter facultativo e cabe aos gestores decidir se a modalidade será adotada. Pelas normas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), criadas em 2015, no máximo 30% dos servidores podem trabalhar de forma remota em cada unidade judiciária. A indicação dos servidores beneficiados com a medida é feita pelos gestores e deve ser aprovada pelo presidente de cada tribunal.   Existem critérios para que o servidor realize suas tarefas fora das dependências judiciárias. No Poder Judiciário Acreano 62 servidores fazem parte da modalidade do teletrabalho.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat