NOSSAS REDES

GOVERNO GLADSON

Família denuncia falta de medicamentos para tratamento de câncer em hospital no Acre

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Parentes de idoso, que faz quimioterapia há três meses, tiveram que pagar R$ 1,2 mil por duas doses de remédio. Saúde diz que solicitou os remédios e aguarda entrega.

Foto de capa: Paciente faz tratamento no Hospital do Câncer, que fica na Fundhacre em Rio Branco — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

A família de um paciente do Hospital do Câncer do Acre afirma ter gastado até R$ 1,2 mil em duas doses de um medicamento que deveria ser oferecido na rede pública. Com câncer na próstata, Isaque Guimarães, de 69 anos, iniciou a quimioterapia há três meses e, desde então, a família paga pelo remédio docetaxel.

Além dessa medicação, Atalibas Aragão Guimarães, filho do idoso, disse que a rede pública parou de oferecer também o medicamento zometa, outro usado no tratamento.

“Ele tomava uma dose desse [zometa] todo mês, só que neste último mês não tinha mais, não tomou. Não procuramos na rede particular, mas deve custar uns R$ 2 mil. Pagamos R$ 1,2 mil em duas doses do docetaxel. Desde que começou tomou apenas uma dose pelo SUS”, acrescentou.

A Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou que já solicitou os remédios ao fornecedor, que deu um prazo até dia 20 de dezembro. Como não chegou o remédio, a Sesacre cobrou a entrega e o fornecedor deu um novo prazo, até dia 31 deste mês para entregar.

“A secretaria pediu vários remédios recentemente. Temos outros remédios faltando, mas como falei foi feita uma solicitação e estão chegando. Não chegaram todos porque nossa logística é muito difícil, mas foi feita a solicitação para toda rede de medicação”, complementou a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Paula Mariano.

Tratamento

Ainda segundo a família, há cerca de três meses que a unidade não oferece o remédio. Para continuar o tratamento do idoso, os parentes procuraram a rede particular, mas também está em falta.

“Na rede particular, disseram que ia chegar dia 26, mas não chegou, e a nova previsão é de chegar dia 6 de janeiro. A questão é que mesmo assim vamos ter que pagar”, criticou a nora do idoso, Mônica Souza.

Com quimioterapia marcada para esta segunda-feira (30), a parente revelou que a família tentou, inclusive, comprar um dos remédios no Rio de Janeiro, porém, não foi possível.

“Começou a fazer quimioterapia recentemente porque na próstata existe outras tentativas antes de entrar na quimio. Existe tratamento com hormonoterapia, só que não deu resultado e, na época, tivemos que pagar algumas coisas. Agora, os médicos optaram pela quimio”, lamentou.

Neste domingo (29), o idoso passou mal e foi levado para o hospital. Ele deve ficar internado para tratamento.

“Entramos em contato porque passou mal, teve uma reação, está com dor na perna e não consegue andar. A quimio estava marcada para amanhã [segunda, 30], mas não tem remédio”, concluiu. Por Aline Nascimento, G1 AC.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

GOVERNO GLADSON

No Acre, leilão do governo supera 50% da meta e arrecada mais de R$ 1,5 milhão

Agência de Notícias Governo do Acre, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), arrecadou mais de R$ 1.520.600,00 com a realização do primeiro leilão de bens móveis inservíveis realizado na atual gestão. O resultado foi apresentado pela secretária de Planejamento e Gestão, Maria Alice Araújo.

O leilão destinou-se à alienação de bens móveis inservíveis, pertencentes ao patrimônio do Estado do Acre. Foram arrematados 168 veículos automotores, entre caminhonetes, carros de passeio, quadriciclos, caminhões e motocicletas, todos organizados em lotes individuais.

Leilão foi realizado no auditório da Sepa e contou com mais de 300 inscritos Fotos: Marcos Vicentti/Secom.

Além de mais três mil bens móveis desde equipamentos de informática, eletrônicos a mobiliários, distribuídos em sete lotes. O leilão foi realizado no dia 31 de janeiro e contou com a presença de mais de 300 inscritos de 9 Estados, incluindo representantes de São Paulo, Bahia, Pernambuco, Amazonas, Paraná e outros.

O sucesso do leilão foi comprovado em números, superando em 50% o valor inicialmente previsto. A expectativa do governo era de arrecadar R$ 1 milhão. Os objetos foram classificados nas condições de inservíveis, irrecuperáveis e sucatas, alguns devido ao tempo de uso, outros pela completa ausência de manutenção. Antes do leilão, os interessados puderam avaliar os lotes.

A ação cumpre os princípios da administração pública de eficiência, economia e eficácia, já que todo o valor arrecadado já foi depositado no Tesouro Estadual e financiará novas ações em benefício da população. O leilão possibilitou uma economia significativa para o Estado, reduzindo custos com manutenção de veículos e com aluguel de espaços que abrigavam bens inservíveis.

Todo esse material ficava guardado em estacionamentos ou salas das secretarias ou alugadas. Depois da realização do leilão e retirada dos bens, os espaços foram desocupados. Desta forma, o governo encontrou uma solução legal para se desfazer de bens antigos e ainda trouxe economia para os cofres públicos.

“Todo este processo representa a superação de mais uma parcela da herança da gestão passada. É resultado de um enorme esforço coordenado pela Seplag junto a todos os setores de patrimônio do Estado. Além de possibilitar uma importante economia para o Estado, com manutenção inviável de veículos, desocupamos dezenas de espaços em vários órgãos de governo”, salientou a secretária Maria Alice.

Veículos ficavam guardados em espaços públicos Foto: Cedida

De acordo com a titular da pasta o resultado é fruto de um trabalho iniciado em 2019 com a realização de levantamentos e sistematização dos dados fornecidos pelas secretarias, posteriormente todo o patrimônio foi avaliado. Dada a seriedade do processo, um engenheiro mecânico do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre) e comissões da Seplag e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AC) avaliaram o estado de todos os veículos, e estabeleceram os valores de lance mínimo.

Outra etapa que antecedeu a realização do leilão foi um processo licitatório para a contratação de um leiloeiro. O termo de homologação para o credenciamento e contratação de leiloeiros para atuação na estruturação das licitações de mobiliário inservível oficiais foi publicado no Diário Oficial do Acre no dia 23 de agosto de 2019.

Em seguida um projeto de lei foi encaminhado à Assembleia Legislativa do Acre para estabelecer uma legislação específica para a destinação correta dos bens do patrimônio público. Assim, foi aprovada a lei º 3.590, de 19 de dezembro de 2019, publicada no Diário Oficial do Acre em 23 de dezembro, autorizando o poder executivo estadual a alienar bens móveis inservíveis pertencentes aos Poder Executivo do Estado do Acre. De acordo com as normativas publicadas a alienação teria que ser realizada por meio de licitação, nas modalidades leilão e doação.

O secretário-adjunto de Planejamento, Jarbas Anute, lembra que uma das funções da Seplag é fazer a gestão do patrimônio móvel. “Levamos praticamente um ano para fazer o levantamento e sistematização de todas as informações dos bens que são inservíveis e que não têm mais utilidade ou vantagem para o Estado manter. O sucesso do leilão deve-se, inclusive, a ampla divulgação promovida, onde com total transparência e lisura, fato elogiado pelos arrematantes. Nosso gerenciamento será mais eficaz com a baixa de todos os itens leiloados”.

Um novo leilão deve ser realizado com os 31 lotes de veículos remanescentes. “Vencemos o desafio de realizar um leilão que superou nossas expectativas e atingimos nossa meta de garantir a economicidade na administração pública. Nosso trabalho permitiu a desocupação de espaços públicos e a economia com alugueis e manutenção. Estamos prontos para ampliar esta ação”, finalizou Maria Alice.

Continue lendo

ACRE

Genro de Bestene pode faturar quase R$ 12 milhões com venda de computadores no governo de Gladson

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Foi publicado na edição da última quinta-feira, 2, no Diário Oficial do Estado uma Adesão à ata de registro de preços em que a C. Com Informatica Imp. Exp. Comércio E Indústria Ltda foi escolhida pela Secretaria de Educação para fornecer computadores. A empresa, que já foi uma das maiores vendedoras de produtos de informática do Estado com lojas na Avenida Ceará e no Via Verde Shopping, mas que fechou as portas em 2017 devido a forte crise econômica que vem assolando o Estado desde 2014, é de propriedade de Cristiano Silva Ferreira, genro do deputado José Bestene (Progressistas).

Em consulta preliminar no Portal Consulta Sócio.com, o ac24horas aferiu que Cristiano é sócio de 2 empresas no estado de Minas Gerais, 1 em São Paulo, 1 em Amazonas e 1 em Acre, entre elas a C.Com Informática.

O ato, por meio do qual, a secretaria de educação do Estado do Acre adere à ata elaborada mediante licitação promovida pela Secretaria de Fazenda do Estado do Amazonas, tem o valor global de R$ 11.730.000,00 por 12 meses. O ac24horas apurou a Ata é suficiente para atender a uma necessidade inicial e urgente da SEE, da aquisição de pouco mais de 2 mil computadores, ou seja, cada máquina por sair até por R$ 5.865, consideradas de alto padrão que deverá atender as unidades de ensino e setores administrativos da educação. Até onde se sabe, máquinas de alto valor e padrão de uso nunca foram usadas na Rede Pública de ensino.

Apesar da empresa beneficiada com o contrato que ainda deve ser oficializado ser de um parente de deputado da base governista, a Secretaria de Educação informa que devido a adesão, foi possível economizar R$ 400 mil

A divulgação da adesão da ata pelo secretário adjunto de educação, Márcio Matos Mourão, suscitou a dúvida de que o fato ocorreu para beneficiar a família do deputado progressista, porém em comunicado, a SEE afirma que todo o processo foi analisado pelos órgãos de controle do governo como a Controladoria-Geral do Estado (CGE) e a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e salienta, no entanto, que as novas aquisições de computadores serão realizado por meio de licitação própria, após a compra das primeiras duas mil máquinas.

O ac24horas apurou que a homologação do contrato ainda deve ser publicada e oficializada no Diário Oficial nos próximos dias. Por Marcos Venicios.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias