NOSSAS REDES

EXCLUSIVO

EXCLUSIVO: Promotor de Justiça processa Jesus, site Ac24horas e Estado do Acre

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Deputado Federal Jesus Sérgio teria supostamente afirmado, na tribuna da Assembleia, que o Promotor Flávio Bussab Della Líbera “é fraco”, “não presta” e que “foi mandado para a Promotoria local por punição” – conforme argumento do advogado do Promotor. Nesse sentido, o deputado federal teria ´praticado ato ilícito por abuso de direito, consoante previsto no art. 187, do Código Civil´, diz o autor do processo.

Na época dos fatos, Jesus Sérgio era deputado estadual. Jesus teria feito declarações constantes na matéria intitulada “’A ordem dada aos bandidos em Tarauacá é para assaltar e atirar’, denuncia Jesus Sérgio”, veiculada no site ac24horas, e publicada por Ray Melo [leia aqui a matéria].

Constam como réus, o Estado do Acre, o deputado federal Jesus Sérgio de Menezes e o site Ac24horas. O Promotor pede a condenação do deputado federal ao pagamento de R$40.000,00 (quarenta mil reais) a título de  danos morais.

Contra o site, o Promotor pede o reconhecimento do direito ao esquecimento em favor do autor, determinando ao requerido AC24Horas a exclusão dos seus arquivos e/ou bancos de dados digitais da matéria intitulada “’A ordem dada aos bandidos em Tarauacá é para assaltar e atirar’, denuncia Jesus Sérgio”, publicada em 30/08/2017, para que não seja acessível pela internet. [leia aqui a matéria].

O Promotor de Justiça FLÁVIO BUSSAB DELLA LÍBERA, responsável pela Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Tarauacá, interior do Acre, ajuizou AÇÃO DE REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS COMBINADA COM TUTELA INIBITÓRIA, contra JESUS SÉRGIO DE MENEZES, atualmente deputado federal, e o site de notícias Ac24horas.

O Portal Acre.com.br apurou, com exclusividade, todo o imbróglio envolvendo as autoridades.

Segundo afirma o advogado do Promotor, autor da ação,  Flávio é ´promotor de justiça e completou, em outubro deste ano, 8 anos de serviços prestados no Ministério Público do Estado do Acre. Desde setembro de 2015, depois de passar por várias Promotorias, na capital e no interior, o autor foi designado para exercer suas atividades na Promotoria de Tarauacá/AC, o que faz até os presentes dias´.

A Reportagem do Acre.com.br apurou que, segundo afirma o advogado do Promotor, ´no dia 30/08/2017, o autor foi surpreendido com o inexplicável envolvimento do seu nome, na matéria publicada no site de notícia AC24hrs, intitulada: “’A ordem dada aos bandidos em Tarauacá é para assaltar e atirar’, denuncia Jesus Sérgio”. Nela o referido político, inexplicavelmente, proferiu graves ofensas pessoais em desfavor do autor, senão vejamos:

Apesar de acreditar que armar as pessoas não é a solução para onda de violência no Acre, o deputado Jesus Sérgio (PDT) fez uma denúncia grave na manhã desta quarta-feira (30) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). De acordo com o parlamentar “a ordem dada aos bandidos em Tarauacá é para assaltar e atirar”.

Essa ideia de armar a população é do Bolsonaro. Acredito que isso não resolve a situação do país. Em Tarauacá, a situação é grave. A ordem dada aos bandidos em Tarauacá é para assaltar e atirar. Lá estão atirando nas pessoas. As informações que a ordem partiu dos grupos criminosos”, diz Jesus Sérgio.

Segundo ele, uma “menina que comandou o assalto que terminou com uma atendente levando um tiro de escopeta, mesmo sem reagir, foi a mesma que tinha queimado um ônibus há 15 dias, ou seja, ela queimou um ônibus e depois de 15 dias invadiu um (sic) Jesus Sérgio informa que, “até hoje o processo não chegou na Justiça. Por que não se reúne MP, polícia e Secretaria de Segurança para treinar os servidores. Eu acredito que as leis só têm que ser cumpridas. Um juiz não vai sair do fórum para procurar os processos. O processo tem que ser encaminhado”, enfatiza.

O advogado afirma que o parlamentar criticou o promotor de Justiça do município. “O promotor que está em Tarauacá é muito fraco. Ele foi penalizado em Manoel Urbano e foi mandado para Tarauacá. Parece que em Tarauacá só tem que enviar o que não presta”, finaliza o deputado que faz parte da base da administração petista.” (g. n.)´´.

Resultado de imagem para Flávio Bussab Della Líbera

Na foto: Promotor Flávio Bussab Della Líbera [reprodução]

Segundo afirma o advogado do Promotor ´´É este último parágrafo da afirmação do requerido que, especificamente, consubstancia verdadeiro dano à imagem do autor e do próprio Ministério Público. Isso porque são opiniões depreciativas que serviram para ataque gratuito. Além do que, faz ilações inverídicas e maliciosas, pois o autor não foi punido administrativamente tampouco o autor foi designado para Tarauacá como forma de punição´´.

O autor do processo explicou ainda que, no caso, é inaplicável a imunidade parlamentar, e que o discurso do deputado, à época estadual, caracteriza ato ilícito.

O OUTRO LADO

As pessoas citadas na matéria não foram condenadas pela justiça. Não há sentença contra as mesmas. Trata-se ainda, nesta fase, de atos instrutórios, onde poderão apresentar provas e alegar toda a matéria de defesa. Haverá também audiência de conciliação, onde as partes poderão fazer acordo.

A Reportagem do Acre.com.br tentou telefonar para as pessoas envolvidas, mas não conseguimos contato. A Redação informa às partes que o espaço permanece aberto para divulgar sua versão dos fatos, bastando enviar texto completo para o e-mail acrenoticia.com@gmail.com ou WhatsApp 99988-7585, cuja versão será publicada integralmente.

O processo estar em fase inicial. Os reclamados não foram condenados ou sentenciados. Vale dizer, os reclamados, Estado do Acre, deputado federal Jesus Sérgio de Menezes e o site Ac24horas ainda não foram sequer citados para contestar o processo.

O processo 0712844-07.2018.8.01.0001 tramita na Vara de Fazenda Pública, porém deverá ser remetido ao Juizado Especial da Fazenda Pública de Rio Branco, em razão do valor atribuído à  causa de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais).

Por Acre.com.br

 

Advertisement
Comentários

Comente aqui

EXCLUSIVO

Ação Civil Pública contra ex-gestores de Tarauacá será arquivada na Justiça

Avatar

PUBLICADO

em

Em decisão de 01/11/2019, o magistrado determinou novamente a intimação das partes para requerer o que entender de direito no prazo de 30 dias, sob pena de arquivamento dos autos. Ninguém se manifestou ainda. 

No ano de 2006, a Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Tarauacá ajuizou Ação Ordinária de Ressarcimento ao Erário Público contra Jasone Ferreira da Silva, Moisés Diniz Lima, Francisco das Chagas Gomes de Figueiredo Filho, Francisco de Assis da Silva Souza, Raimundo Pinheiro Zumba e Gilcélio Acioli Holanda.

Na época, os então requeridos Jasone Ferreira da Silva, Moisés Diniz Lima, Francisco das Chagas Gomes de Figueiredo Filho e Raimundo Pinheiro Zumba foram condenados a devolver aos cofres públicos os valores definidos na r. Sentença, enquanto os requeridos Francisco de Assis da Silva Souza e Gilcélio Acioli Holanda foram absolvidos, conforme sentença de págs. 461/469, dos Autos 0500683-27.2006.8.01.0014 (014.06.500683-0). 

O então requerido Moisés Diniz Lima fez acordo com o Município de Tarauacá sobre os valores que deveria ressarcir, enquanto os demais impetraram recurso de apelação contra a Sentença condenatória.

Moisés Diniz Lima, na época, requereu a extinção do processo em razão de ter efetuado o pagamento da dívida devidamente atualizada. O que foi aceito pela Justiça.

O então requerido Raimundo Pinheiro Zumba, por sua vez, pugnou pela extinção do processo, pelo fato do ter efetivado o pagamento da totalidade do débito, ocorrido solidariamente com requerido Moisés Diniz Lima, em vista da condenação ter sido em regime solidário entre ambos, tratando-se de mesma dívida que foram aos valores efetivamente pagos.

Em manifestação, o Ministério Público pugnou pela extinção do processo em relação aos requeridos Moisés Diniz Lima e Raimundo Pinheiro Zumba, em vista do efetivo pagamento dos valores estipulados na condenação.

Por sua vez, o Município de Tarauacá não apresentou manifestação aos pedidos dos requeridos Moíses e Pinheiro. Novamente intimado, o Município de Tarauacá requereu realização de cálculo judicial para mensurar o real valor do débito dos réus.

O Juiz então determinou a realização do cálculo pela Secretaria da Vara de Tarauacá. A secretaria informou, porém, que não era possível realizar os cálculos em vista de não dispor de Contador.

A Procuradoria da Prefeitura do Município de Tarauacá manifestou-se no sentido de encaminhar para contadoria do Tribunal de Justiça do Acre ou, disponibilizar prazo para que o mesmo realizasse os cálculos necessários.

O magistrado da Comarca então indeferiu o pedido do Município de Tarauacá quanto à atualização dos valores, e acolheu a manifestação do Ministério Público e decretou a extinção do processo em relação à Moisés Diniz Lima e Raimundo Pinheiro Zumba, pelo cumprimento do acordo.

Após isso, no dia 19/03/2019, terminou o prazo sem que qualquer das partes tenham se manifestado sobre a decisão do juiz. O juízo havia determinado a intimação das partes, para que, no prazo de 30 (trinta) dias, apresentassem manifestação sob pena de arquivamento do processo.

Até hoje (18/01/2020), nenhuma das partes nada requereram, nem a Prefeitura Municipal. O prazo encerra dia 12/02/2020.

Não havendo manifestação, o processo poderá ser arquivado. Os autos tramitam em caráter público, podendo qualquer cidadão ter acesso. 

Continue lendo

ACRE

Fotos reais revelam 3 crianças em suposto abandono em Tarauacá e pai é preso em flagrante

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Magistrado Guilherme Aparecido do Nascimento Fraga homologou a prisão em flagrante do pai das crianças, Antônio da Silva de Jesus, apelido “NÓ”, nos autos 0000074-13.2020.8.01.0014. A Justiça entrou em ação após receber representação por parte do Conselho Tutelar. 

O delegado de polícia arbitrou fiança no valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) para o pai das três crianças. O homem foi posto em liberdade após o pagamento da fiança. Assim responderá aos fatos em liberdade. 

Foto de capa ilustrativa: Protesta en Av. San Martin y Andresito, Alimentos en mal estado – Red. Foto Marcos Otaño.

Três crianças da mesma família em situação de suposto abandono foram resgatadas por uma equipe do Conselho Tutelar de Tarauacá no início da semana, após receber denúncia anônima.

Após receber a denúncia, o Conselho Tutelar formalizou representação ao Juízo da Infância e Juventude da Comarca de Tarauacá. Em seguida, a demanda foi encaminhada à Delegacia de Polícia do município. 

De acordo com informações da polícia, agentes da Polícia Civil foram até a zona rural para socorrer as crianças que, segundo relatos, estavam por três dias abandonas dentro de uma residência, sem a presença dos pais.

Os agentes da Polícia Civil e Conselheiros, relataram que encontraram as crianças sujas, com fome e no local havia um forte odor. Os três irmãos foram resgatados e levados até a delegacia da cidade. 

Fotos reais: As três crianças foram resgatadas pelos agentes de proteção e polícia civil. R. com idade de 04, L. com idade de 03, e J. com idade de 01 ano e 9 meses. No local, havia uma geladeira e um bebedouro, ambos vazios e em desuso. Não havia alimentos no local.

Mais informações:

A ação ocorreu graças uma denúncia anônima ao Conselho Tutelar e Polícia Civil do município de Tarauacá, que após autorização judicial do magistrado da Comarca, resgataram as três crianças: R. com idade de 04, L. com idade de 03, e J. com idade de 01 ano e 9 meses. 

Antônio da Silva de Jesus, apelido “NÓ”, alegou em seu interrogatório na Delegacia de Polícia, que possui problemas mentais, e sua ex-esposa abandonou o lar. Disse ainda que cuida das crianças, porém, precisa trabalhar fora de casa, tendo de deixar as crianças sozinhas em casa.

As três crianças estavam na comunidade “Maracanã”, na zona rural do município, BR 364, trecho de Tarauacá a Cruzeiro do Sul. No local, foram encontradas as crianças sujas, famintas, sem água, com muito odor de xixi e cocô. Elas estavam há mais de 03 dias sozinhas trancadas na casa.
.
O pai, Antônio da Silva de Jesus, apelido “NÓ”, foi preso em flagrante e conduzido à delegacia de polícia, onde foi interrogado e falou sobre o fato. Em sua defesa, disse que possui problemas mentais, e que a mãe das crianças foi embora, abandonando o lar, as crianças e o marido. 
.
Veja o interrogatório do pai:
.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias