NOSSAS REDES

TARAUACÁ

“Rádio Difusora de Tarauacá explora pessoas de baixa renda”, denuncia internauta

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Promotoria de Justiça de Tarauacá poderá investigar possíveis irregularidades, como a cobrança abusiva pela prestação de serviço e uso irregular de frequência modulada. Com péssimo sinal analógico e fora do ar há semanas, a rádio estatal AM não oferece serviço de qualidade aos ouvintes de Tarauacá, denuncia internauta.

A Rádio Difusora AM está funcionando de forma irregular, utilizando indevidamente o sinal da Aldeia FM, segundo denunciou um internauta ao Portal Acre.com.br.

Além de não oferecer um serviço de qualidade, segundo um internauta que denunciou o fato, a rádio AM que recebe toda manutenção e infraestrutura do Governo do Estado do Acre, vem exigindo dos munícipes o pagamento pela prestação de pequenos serviços, como divulgação de mensagens para ribeirinhos e moradores da zona rural.

O denunciante, que não quis se identificar, alega que, embora a rádio seja estatal, 100% financiada pelo Governo do Acre, a maioria dos munícipes que solicitam o serviço de leitura de mensagens é de baixa de renda, e mesmo assim pagam pelo serviço de qualidade duvidosa.

Os usuários que utilizam esse serviço, o fazem para manter comunicação com familiares e amigos residentes nos rincões mais longínquos de Tarauacá.

Muitas vezes, esses moradores se abrigam em suas canoas, expostos à riscos e perigos, com alimentação precária e sem dinheiro, ainda se submetem à exigência de pagamento à rádio estatal AM de Tarauacá”, denunciou o internauta.

O OUTRO LADO

Nossa Reportagem tentou telefonar para as pessoas envolvidas, mas não conseguimos contato. A Redação informa às partes que o espaço permanece aberto para divulgar sua versão dos fatos, bastando enviar para o e-mail acrenoticia.com@gmail.com ou WhatsApp 99988-7585

Por Acre.com.br

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Justiça de Tarauacá condena site Contilnetnoticias a pagar R$ 30.000,00 mil reais à Comandante da PMAC

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Segundo os autos nº. 0700070-37.2017.8.01.0014, que tramitam em caráter público, na Comarca de Tarauacá, o autor da ação, JEFFERSON RUIZ DE ALMADA, então Comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar do Estado do Acre, foi objeto de matéria jornalística sensacionalista, difamatória e ofensiva contra sua honra e nome, praticada pelo Site Contilnetnoticias.com.br

ENTENDA OS FATOS

O autor, ilustre Comandante da PMAC, Jefferson Ruiz de Almada, ajuizou Ação de Indenização e Reparação de Danos Morais contra Agencia de Noticias Contilnet Ltda (CNPJ nº 15.538.862/0001-40), requerendo indenização por danos morais no valor de R$60.000,00 mil reais.

Na ação, patrocinada pelo advogado Gustavo Lima Rabim, as ofensas morais foram provadas mediante cópia da notícia difamatória e ofensiva, publicada pelo site réu, dentre outras provas. 

Segundo os autos, consta na inicial que o requerente era, na época, comandante do 7º Batalhão de Policia Militar do Estado do Acre sediado na cidade de Tarauacá, e que no dia 04 de agosto de 2016 fora publicada no site de noticias do requerido uma reportagem dando conta da existência de uma carta que continha uma denuncia anônima onde há a acusação do requerido pelo cometimento de diversos crimes como abuso de autoridade e atos de improbidade administrativa.

Blog do Accioly - TK: JORDÃO: COMANDANTE DA PM EM JORDÃO PUBLICA ...

JEFFERSON RUIZ DE ALMADA, então Comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar do Estado do Acre, em Tarauacá. Reprodução [http://acciolytk.blogspot.com/2018/03/jordao-comandante-da-pm-em-jordao.html]

Segundo a ação do militar contra o site réu, dentre os conteúdos da matéria estavam noticias de que o requerente como forma de punição aos subordinados, obrigava-os a carregar armários e outros objetos, tarefas que fugiam da atribuição militar, além do que, estaria utilizando-se da viatura da policia militar para deixar a mulher no trabalho e seus filhos na escola, entre outras. 

Afirmou ainda o Comandante que requereu, perante ao requerido, o direito de resposta à matéria veiculada, o que foi devidamente atendido, tendo sido divulgada a resposta elaborada pelo requerente. Contudo, na mesma matéria em que fora divulgada a sua resposta, afirma que o requerido continuou a denegrir sua imagem, na segunda pagina da reportagem publicada no dia 09/08/2016, alegando que as praticas imputadas ao requerido ainda não haviam cessado, além de que o autor teria redigido uma carta de repudio e obrigando os praças a assinarem sob pena de ameaça.

Por fim, a defesa do então Comandante requereu da Justiça que o réu, site contilnetnoticias, fosse compelido ao pagamento da indenização por danos morais no equivalente a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais).

O conteúdo da carta foi divulgado pela ré em seu “site” através do endereço eletrônico https://contilnetnoticias.com.br/2016/08/carta-denuncia-acusa-majordo-7o-batalhao-da-pm-de-tarauaca-de-corrupcao-e-abuso-de-autoridade/, com a seguinte chamada: “Carta Denuncia Acusa Major do 7º Batalhão da PM de Tarauacá de Corrupção e Abuso de Autoridade”. O título da manchete revela o cunho sensacionalista e difamatório da notícia, extrapolando o simples direito de informação, com a clara finalidade de atrair os leitores e fazê-los crer na veracidade das informações. 

A ré, site contilnetnoticias, apresentou contestação de fls. 153/169, alegando liberdade de imprensa, direito de sigilo da fonte, ausência de danos morais, e ainda pediu a a condenação do autor em custas e honorários advocatícios. O juiz rejeitou todas as alegações da ré. 

Na sentença condenatória de fls. 257/266, o Excelentíssimo Senhor Juiz Doutor Guilherme Aparecido do Nascimento Fraga,  magistrado da vara cível, condenou o site de notícias afirmando “Cabe notar que referida carta, uma vez divulgada, torna-se um verdadeirorastilho de pólvora”, sendo a informação rapidamente disseminada nas redes sociais o que, indubitavelmente, gera repercussão social negativa da vida da pessoa exposta. No caso do autor, por ser militar, repercutiu de forma ainda mais grave, já que é de conhecimento notório o caos em que se encontra o sistema de segurança pública, gerando sentimento de revolta no público leitor“, e por fim decidiu “condeno o réu ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais)“, destacou. 

A ré, site contilnetnoticias, apresentou Embargos Declaratórios, porém foram rejeitados. A decisão aguarda publicação no DJE. 

Continue lendo

TARAUACÁ

Prefeitura de Tarauacá fará pente fino no Programa Bolsa Família; confira os detalhes

Assecom - Prefeitura de Tarauacá, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nesta sexta-feira (26), a Prefeitura de Tarauacá publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), Edição DOE nº. 12.826, de 26.06.20, às fls. 65-66, o Decreto nº. 62, onde institui uma equipe que comandará uma sindicância que será realizada para identificar perfis suspeitos e possíveis irregularidades no Programa Bolsa Família.

A Controladoria Geral da União (CGU) identificou possíveis falhas em três programas federais, razão pela qual a Comissão Sindicante fará um pente fino para aprofundar a fiscalização.

A Comissão Sindicante é autônoma e independente, ao teor do Art. 150, da Lei nº. 8.112/90, podendo ter acesso à todos os órgãos e secretarias, tendo amplos e gerais poderes para requisitar documentos e informações, que deverão ser prestados no prazo de cinco (5) dias, em formato físico e/ou digital, inspecionar in loco, adentrar toda e qualquer repartição, fazer registro fotográfico, realizar oitiva de servidores, apurar eventuais irregularidades, expedir portaria, recomendação e/ou manual de procedimento, solicitar cooperação de outras instituições, determinar o recolhimento de bens em risco, requerer senhas de acesso à sistemas informatizados, além de outras atribuições inerentes à sua finalidade.

Existindo indícios da prática de improbidade administrativa, ilícito penal, civil ou administrativo contra a administração pública, ou ter o servidor apropriado-se de qualquer bem público de que tem a posse em razão do cargo, ou de desviá-lo, em proveito próprio ou alheio, ou havendo evidências de desaparecimento de bens, ou indícios de dano ao erário, a Comissão instaurará procedimento administrativo disciplinar – PAD, e comunicará o fato à Polícia Judiciária e ao Ministério Público Estadual, conforme Art. 145, inciso III, da Lei nº. 8.112/90.

Serão investigados servidores municipais e cidadãos beneficiários dos Programa Bolsa Família – PBF, e ainda os programas Bloco de Atenção Básica em Saúde – PAB, e Estratégia de Saúde da Família – ESF.

A comissão é composta pelos seguintes servidores José Soares Gomes (Presidente), Elivânio Maia Costa (Membro), Marcos Antônio Cavalcante Vitorino (Membro), Fandermiler da Cunha Freitas (Membro), e Antônio Gilson de Amorim Santos (Membro), que comporão a Comissão Sindicante com a finalidade de apurar os fatos descritos nos Relatórios da CGU.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias