NOSSAS REDES

Saúde Pública

SAÚDE PÚBLICA: 8 Unidades de Saúde de Tarauacá terão médicos titulares permanentes; veja

Assecom - Prefeitura de Tarauacá, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

CINCO PROFISSIONAIS DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS CHEGAM À REDE BÁSICA DE SAÚDE DE TARAUACÁ.

Das oitos vagas do programa Mais Médicos deixadas em aberto na rede básica de saúde de Tarauacá em função da saída dos médicos cubanos, em novembro do ano passado, as oitos vagas foram preenchidas até o momento.

Os cinco profissionais que faltavam se apresentaram na manhã desta segunda-feira (01), no Gabinete da Prefeita Marilete Vitorino, acompanhado do Secretário Municipal de Saúde, Pedro Cláver, Eles passaram por uma capacitação para conhecimento da rede municipal de saúde, realizada em Brasília.

Os cinco novos profissionais começarão a trabalhar na próxima segunda-feira, 08 de abril, ou seja, toda Unidade de Saúde de Tarauacá terá seu próprio médico titular, totalizando oito unidades beneficiadas.

Os médicos que atuarão em Tarauacá são todos acreanos.

A Prefeita Marilete Vitorino, ressaltou a importância da vinda dos médicos para fortalecer a saúde municipal, que segundo ela é uma área prioritária da atual administração. “Para nós é muito importante à presença de mais médicos aqui. A saúde é uma das nossas prioridades, por isso a chegada de novos profissionais vai somar com outras medidas que estamos realizando para melhorar a qualidade do atendimento no município. E estamos recebendo eles de braços abertos, que todos sejam bem vindos a Tarauacá, contem comigo”, destacou Marilete.

Programa Mais Médicos

O Programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde, que prevê mais investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, além de levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais.

ACRE

Navio Dezinho saírá dia 16 de janeiro com destino ao Rio Muru; “Meta é atender quinze mil pessoas”, diz Prefeita Marilete

Assecom - Prefeitura de Tarauacá, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Navio de Assistência Hospitalar “Dezinho” partirá, na quinta-feira, 16 de janeiro, do Porto do Rio Tarauacá, com destino ao Rio Muru.

Acesso às políticas públicas, promoção da qualidade de vida e dignidade humana fazem parte da proposta dos atendimentos itinerantes promovidos pela Prefeitura de Tarauacá, em parceria com o Governo do Estado.

Dessa vez, as comunidades do Rio Muru serão contempladas com a primeira ação do Navio Dezinho, uma embarcação de saúde moderna e equipada que oferecerá serviços múltiplos de saúde, cidadania, e uma estrutura bem qualificada para atender a população rural.

 

De acordo com a Prefeita Marilete Vitorino, “durante 15 dias serão oferecidas consultas médicas e odontológicas, exames clínicos e laboratoriais, procedimentos de enfermagem, pré-natal, palestras educativas, distribuição de medicamentos e atenção farmacêutica”, disse a Prefeita.

Em Tarauacá, segundo o Censo do IBGE, a população estimada em 2018, era de 41.976 mil pessoas, a maioria concentrada na zona rural do município. É o quarto município mais populoso do Acre, na proporção de 51,00 % residindo na zona rural.

Esse elevado percentual, que constitui mais da metade da população do município, é uma prioridade da Prefeita Marilete.

A embarcação está equipada com consultório médico e odontológico, recepção, laboratório, sala de procedimentos, farmácia, sala de vacina, cabines para os profissionais de saúde, cozinha e banheiros. 

Por Gilson Amorim e Marcos Vitorino

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continue lendo

GOVERNO GLADSON

Família denuncia falta de medicamentos para tratamento de câncer em hospital no Acre

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Parentes de idoso, que faz quimioterapia há três meses, tiveram que pagar R$ 1,2 mil por duas doses de remédio. Saúde diz que solicitou os remédios e aguarda entrega.

Foto de capa: Paciente faz tratamento no Hospital do Câncer, que fica na Fundhacre em Rio Branco — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

A família de um paciente do Hospital do Câncer do Acre afirma ter gastado até R$ 1,2 mil em duas doses de um medicamento que deveria ser oferecido na rede pública. Com câncer na próstata, Isaque Guimarães, de 69 anos, iniciou a quimioterapia há três meses e, desde então, a família paga pelo remédio docetaxel.

Além dessa medicação, Atalibas Aragão Guimarães, filho do idoso, disse que a rede pública parou de oferecer também o medicamento zometa, outro usado no tratamento.

“Ele tomava uma dose desse [zometa] todo mês, só que neste último mês não tinha mais, não tomou. Não procuramos na rede particular, mas deve custar uns R$ 2 mil. Pagamos R$ 1,2 mil em duas doses do docetaxel. Desde que começou tomou apenas uma dose pelo SUS”, acrescentou.

A Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou que já solicitou os remédios ao fornecedor, que deu um prazo até dia 20 de dezembro. Como não chegou o remédio, a Sesacre cobrou a entrega e o fornecedor deu um novo prazo, até dia 31 deste mês para entregar.

“A secretaria pediu vários remédios recentemente. Temos outros remédios faltando, mas como falei foi feita uma solicitação e estão chegando. Não chegaram todos porque nossa logística é muito difícil, mas foi feita a solicitação para toda rede de medicação”, complementou a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Paula Mariano.

Tratamento

Ainda segundo a família, há cerca de três meses que a unidade não oferece o remédio. Para continuar o tratamento do idoso, os parentes procuraram a rede particular, mas também está em falta.

“Na rede particular, disseram que ia chegar dia 26, mas não chegou, e a nova previsão é de chegar dia 6 de janeiro. A questão é que mesmo assim vamos ter que pagar”, criticou a nora do idoso, Mônica Souza.

Com quimioterapia marcada para esta segunda-feira (30), a parente revelou que a família tentou, inclusive, comprar um dos remédios no Rio de Janeiro, porém, não foi possível.

“Começou a fazer quimioterapia recentemente porque na próstata existe outras tentativas antes de entrar na quimio. Existe tratamento com hormonoterapia, só que não deu resultado e, na época, tivemos que pagar algumas coisas. Agora, os médicos optaram pela quimio”, lamentou.

Neste domingo (29), o idoso passou mal e foi levado para o hospital. Ele deve ficar internado para tratamento.

“Entramos em contato porque passou mal, teve uma reação, está com dor na perna e não consegue andar. A quimio estava marcada para amanhã [segunda, 30], mas não tem remédio”, concluiu. Por Aline Nascimento, G1 AC.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias