NOSSAS REDES

BRASIL

Vídeo: Soldado pede afastamento da PM após vídeo em que beija um homem

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Segundo advogado, policial está ‘fortemente abalado’ e se internou em clínica de repouso após sofrer ataques homofóbicos; cena foi flagrada no metrô de SP.

Na imagem do vídeo, soldado da Polícia Militar aparece beijando outro homem no metrô (Facebook/Reprodução).

O soldado da Polícia Militar de São Paulo Leandro Barcellos Prior, de 27 anos, pediu afastamento de suas atividades profissionais após a divulgação de um vídeo em que aparece beijando outro homem. Após a veiculação da imagem, ele teria recebido ataques homofóbicos virtuais e ameaças de morte.

No vídeo, o rapaz aparece mexendo no celular e conversando com um amigo enquanto ambos estão dentro de um vagão da Linha 3-Vermelha, no sentido Corinthians-Itaquera. Em determinado momento, eles trocam um “selinho”. Durante a ação, ele está vestindo o fardamento da polícia, no qual está identificado como “SD PM Prior”.

Após receber as ameaças, Prior pediu afastamento da PM na sexta-feira 29 por estar “fortemente abalado”, de acordo seu advogado, José Beraldo. De acordo com ele, o rapaz está em uma clínica de repouso e sob tratamento com calmantes por ter passado por um “estresse profundo”. Ainda de acordo com o advogado, o PM está na corporação há quatro anos. Antes disso, residia no litoral norte paulista.

Ameaças

Beraldo afirmou que um boletim de ocorrência será registrado ainda nesta terça-feira 3 para denunciar os ataques e as ameaças de morte recebidos por Prior. Segundo ele, a maioria das ameaças é de desconhecidos, inclusive de supostos policiais de “alta patente”. “É um crime de ódio. Ele não pode ser hostilizado. É um crime homofóbico gravíssimo”, disse o defensor.

Devido às ameaças, Prior fechou os perfis que mantinha em redes sociais e, ainda, trocou de número de telefone. “Estamos pedindo rigor nas investigações. Posso garantir que ele sempre honrou a Polícia Militar, sempre honrou a farda”, afirmou o advogado.

Por meio de nota, a PM afirmou que Prior está afastado para “tratamento de saúde” após ter procurado o serviço médico da instituição. “As ameaças feitas ao PM pelas redes sociais, com conotação homofóbica, estão sendo apuradas”, informou a instituição.

Além disso, a PM investigará o comportamento do soldado no vídeo. “A conduta do PM fardado no metrô captada em vídeo será apurada única e exclusivamente sob o aspecto administrativo, pois demonstra postura incompatível com os procedimentos de segurança que se espera de um policial fardado e armado, que exigem que esteja alerta.”

A instituição afirma, ainda, ter colocado à disposição do soldado as medidas protetivas previstas pela Divisão PM Vítima, da Corregedoria, que apura crimes cometidos contra policiais e dá apoio a vítimas. Veja.

Veja o vídeo:

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

PAPO DE ACADEMIA

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Mesmo considerando as academias como serviço essencial, “não é o momento de reabri-las” diz empresários de Feijó e Tarauacá. (mais…)

Continue lendo

BRASIL

Morre aos 99 anos Evandro Gueiros Leite, primeiro presidente do STJ

STJ Notícias, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Morreu em Brasília, nesta terça-feira (19), aos 99 anos, o ministro Evandro Gueiros Leite, primeiro presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele foi ministro do extinto Tribunal Federal de Recursos (TFR) de 1977 a 1989 e participou ativamente, na Constituinte, do processo para a criação do STJ.​​

Gueiros Leite segura um exemplar da Constituição de 1988, que criou o Tribunal da Cidadania – processo no qual ele teve importante atuação. | Foto: Gustavo Lima/STJ

O atual presidente do tribunal, ministro João Otávio de Noronha, declarou que a morte de Gueiros Leite é uma perda irreparável para toda a comunidade jurídica.

“Todos os que passam pelo STJ devem um pouquinho ao esforço e ao brilhantismo do ministro Gueiros Leite. Sem o seu empenho, talvez não tivéssemos o Tribunal da Cidadania. Ele lutou por este tribunal e ficou com a tarefa mais difícil, que foi tirar o STJ do papel e colocá-lo em funcionamento. Todos na comunidade jurídica lamentamos muito essa perda irreparável”, comentou Noronha.

A Constituição determinou o aproveitamento dos ministros do TFR na primeira composição do STJ, e, com a instalação do novo tribunal, em abril de 1989, Gueiros Leite assumiu a sua presidência, passando a lutar para viabilizar a construção da sede definitiva da corte.

30 ano​​​s depois

No ano seguinte, Gueiros Leite se aposentou e retornou à militância na advocacia, mas a sua passagem pelo STJ foi marcante. Em 2018, quando o tribunal se preparava para comemorar seus 30 anos de atividade, ele lembrou alguns momentos da história da instituição.

“Em seis meses, precisei extinguir o TFR e criar o STJ. Na verdade, doutor Ulysses, na nova Constituição, nos deu esse limite de seis meses. Eu cumpri, sem dinheiro, porque não houve dotação” – lembrou Gueiros Leite, referindo-se ao deputado Ulysses Guimarães, que presidiu a Constituinte.

Coube a Gueiros Leite ser o relator do Recurso Especial 1, julgado cerca de um ano após a criação do tribunal.

Carreir​​a

Nascido em Canhotinho (PE) no dia 7 de novembro de 1920, Gueiros Leite se formou na Faculdade de Direito do Recife e atuou como advogado de 1947 a 1967 – ano em que tomou posse como juiz federal na Seção Judiciária do Rio de Janeiro.

Em 1977, foi nomeado ministro do TFR, cargo que ocupou até a extinção do tribunal na reforma produzida pela Constituinte, que criou o STJ e os cinco Tribunais Regionais Federais. No Tribunal da Cidadania, atuou na Terceira Turma e na Segunda Seção, e foi membro da Comissão de Regimento Interno e da Comissão de Projetos Legislativos, até se aposentar, em 1990.

Gueiros Leite deixa a esposa, Luci Gueiros Leite, e o filho, Gustavo Alberto Gueiros Leite.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias