NOSSAS REDES

JUSTIÇA

TJ realiza treinamento para virtualização de inquéritos sobre violência doméstica contra mulher

Gecom TJAC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Meta é realizar a virtualização de seis mil inquéritos da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Rio Branco.

Equipes compostas por servidores da Justiça Acreana, membros da área da Segurança Pública e do Instituto de Assistência e Inclusão Social (IAIS) do Estado participaram de treinamento, nesta sexta-feira, 5, para iniciar a virtualização dos inquéritos policiais que estão na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Rio Branco. O treinamento acontece na Escola do Poder Judiciário do Acre (ESJUD).

Durante a capacitação foi apresentado o plano de trabalho, os indicadores e as metas. As equipes iniciam o mutirão para digitalizar as peças na próxima segunda-feira, 8, e pretendem virtualizar os seis mil inquéritos até o dia 8 de maio.

A desembargadora Eva Evangelista, responsável pela Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário Acreano, destacou que, com esta ação, pretende garantir o andamento mais célere e eficiente dos casos de violência doméstica, dando resposta para as vítimas.

“Estou contente com a disponibilidade e o compromisso de todos, pois precisamos desse espírito colaborativo para lidar com essa questão. Essa é uma iniciativa com muita audácia, mas que podemos fazer com essa colaboração e junção de esforços. Nós precisamos dar resposta para as vítimas de violência doméstica”, disse a magistrada.

Responsabilidade e compromisso

Essa fase da virtualização dos casos está sendo realizada pela Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário, junto à Vice-Presidência do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), a Corregedoria-Geral da Justiça (Coger), a Diretoria da Tecnologia da Informação (Ditec) e do Núcleo de Estatística e Gestão Estratégica (Nuege), além de servidores da Policia Civil, que atuam na DEAM, e do Instituto de Assistência e Inclusão Social.

O desembargador Roberto Barros, diretor da Esjud, enfatizou a responsabilidade de todos com o enfrentamento a esse tipo de violência, “é um trabalho importante. Nós temos responsabilidade com o combate à violência doméstica. Por isso, como magistrado e diretor da Escola do Poder Judiciário estarei sempre apoiando”.

A delegada da DEAM, Juliana D’angelis, falou sobre o compromisso da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar.

“Agradeço o suporte do Judiciário, além da logística, agradeço o compromisso da Coordenadoria Estadual das Mulheres pelo trabalho realizado junto à da Rede de Proteção à Mulher. Tenho certeza que a digitalização dos inquéritos vai trazer celeridade e efetividade”.

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat